Domingo, 18 de Agosto de 2019
UFC na República Tcheca

Antes do UFC Praga, amazonenses falam sobre expectativa para lutas

Diego Ferreira e Klidson Abreu lutam neste sábado (23). Ao todo, cinco brasileiros vão representar o Brasil na competição



lutam_CFF94C28-837D-4D8B-A415-BD0580E6F031.JPG Diego Ferreira é um dos representantes do Estado. Foto: Divulgação
22/02/2019 às 01:36

No próximo sábado (23), o UFC Praga terá uma legião de brasileiros e uma dobradinha amazonense no octógono no card da maior organização de artes marciais mistas do mundo. No primeiro evento do Ultimate em solo europeu neste ano, cinco brasileiros vão representar o País na competição, em duelos que envolvem chance de disputa de cinturão, estreias e confrontos que prometem tirar o fôlego do público. Dentre eles, destaque para os manauaras Diego Ferreira e Klidson Abreu, lutadores “da casa” e que vão levar o sangue baré para dentro do cage. 

Com três vitórias consecutivas, Diego enfrenta o russo Rustam Khabilov pela categoria dos leves. Já seu conterrâneo estreia no Ultimate contra o também russo Magomed Ankalaev, na categoria meio-pesado.

Em conversa exclusiva ao Portal A Crítica, a dupla amazonense comentou sobre a expectativa das lutas e a preparação de cada um, antes de subir no octógono na República Tcheca neste sábado.

Nascido no Careiro da Várzea e criado no bairro de Petrópolis, na Zona Sul de Manaus, Diego Ferreira está no auge da sua carreira. Depois de enfrentar uma longa suspensão por doping em 2016 - ficou 17 meses longe do octógono - o lutador baré agora quer manter a boa fase no Ultimate. Abrindo a tarde dos brasileiros no UFC Praga, Diego encara Rustam Khabilov, que acumula seis vitórias consecutivas. No entanto, o brasuca afirma que está preparado e que já estudou bastante o adversário.

“A preparação foi bem intensa e tudo ocorreu bem, graças a Deus sem nenhuma lesão ou algo do tipo. Foram sete semanas de muito trabalho e foco para esta luta. Será um rival forte, o cara é um pouco estratégico, golpeia bastante. Mas estou pronto”, comenta o peso-leve, que atualmente mora na cidade de Texas-EUA.

O amazonense de 34 anos, que tem um cartel de 14 vitórias e 2 derrotas, ressalta ainda que vai respeitar a estratégia do adversário, mas vai partir pra cima em busca da quarta vitória seguida no octógono.

“O Rustam é um cara muito pontuador. Ele gosta de trabalhar golpes visando ganhar pontos, não é muito agressivo e raramente finaliza. Eu gosto de ir pra cima, agredir e espero praticar meu estilo de luta para sair vencedor na luta”, explica Diego.

Apesar de figurar na elite do MMA mundial, o casca grossa baré garante que ainda está em busca de alguns objetivos.

“Minha maior vontade é ter uma casa própria. Graças a Deus, as coisas estão se fortalecendo e quero muito conquistar meus objetivos no seu tempo. Espero brevemente dizer que eu tenho uma casa, mesmo com 34, 35 anos”, espera o lutador amazonense.

Estreia de Klidson Abreu

Conhecido como ‘Terror dos Russos’, o amazonense Klidson Abreu vai lutar pela primeira vez no Ultimate. No seu primeiro compromisso na organização, o casca grossa abre o card preliminar do UFC Praga contra o russo Magomed Ankalaev, pela categoria meio-pesado.

Se depender do retrospecto contra os europeus, a vitória parece certa, já que em três duelos contra atletas daquele País, Klidson venceu todos. Mas segundo o lutador, será uma luta bem dura.

“É um ótimo lutador, especialista em finalização e gosta de lutar em pé. Mas estou 100% atento, focado e disposto a colocar ele de costas no chão e fazer meu jogo”, comenta Klidson, que mora em Curitiba e treina na academia Evolução Thai, na capital paranaense.

Com 26 anos, Klidson é cria do bairro Alvorada, de onde saiu José Aldo e outros atletas promissores do MMA baré. Porém, o estreante do UFC afirma que se inspira no ‘campeão do povo’ e rechaça comparações com o conterrâneo.

“Desde pequeno que sou fã de José Aldo e me inspiro muito na carreira dele. Uma pena ele está encerrando a carreira no UFC no mesmo momento que estou dando os primeiros passos. Mas acredito que a vida é feito de ciclos e sei da responsabilidade que é representar o bairro, o povo amazonense e o Brasil no octógono”, destaca o lutador.

Sobre a sua estreia, o casca grossa  confessa que a ansiedade bate forte, mas garante que está pronto para o duelo contra mais um russo.

“Estou muito ansioso pela luta, minha cabeça está totalmente voltada para esta luta. Espero estrear com pé direito no UFC e trazer a vitória pro Brasil”, conclui Klidson.

Incentivo da família

Na corrida por uma carreira de glórias no MMA, Diego e Klidson abriram mão da família para chegaram na topo do esporte, que é disputar o Ultimate. No entanto, eles contam que as redes sociais são fundamentais para a comunicação dos atletas com seus familiares.

“Todo dia falo com a minha família e também com meus amigos. Seja por mensagem ou telefone, eles me fortalecem com mensagens de apoio e força, porque a saudade é grande”, comenta Diego.

Já Klidson destaca que a saudade é uma de suas maiores motivações para sair vencedor de suas lutas.

“Coloco sempre a minha família em primeiro lugar. Sem eles, eu não estaria aqui”, relata o amazonense.

Conversa baré

Dividindo o card do UFC Praga, Diego Ferreira e Klidson Abreu aproveitaram o desafio do próximo sábado para conversar sobre suas carreiras. Naturais do Amazonas, os atletas falaram da trajetória de ambos e desejaram boa sorte em seus confrontos.

“Fiquei feliz em saber que vamos lutar no mesmo evento. A gente sabe das dificuldades que enfrentamos para chegar até aqui, saímos do mesmo lugar e agora estamos no topo do MMA, onde muitos querem estar. Conversamos bem pouco, mas foi bem legal”, comenta Diego Ferreira.

Já Klidson conta que já conhecia Diego e que agradece pelo incentivo do conterrâneo.

“Eu já tinha visto ele lutar algumas vezes, mas não conhecia pessoalmente. Quando nos encontramos, me deu maior força, disse palavras de incentivo, força e apoio pra eu acreditar sempre nos meus sonhos. Muito grato a ele”, salienta o ‘Urso Branco’.

Outros brasileiros em ação

Na luta principal da noite, Thiago Marreta enfrenta o polonês Jan Blachowicz na categoria meio-pesado. Atual sexto do ranking e com um cartel de 20 vitórias e 6 derrotas, o brasileiro vem de três vitórias consecutivas e pode ganhar uma disputa de cinturão se sair vencedor no duelo. Já Blachowicz teve seu braço levantado nas últimas quatro vezes e mira também a sequência invicta no octógono.

Na luta co-principal, Marcos Pezão pega o holandês Stefan Struve em duelo válido pelos peso-pesado. O paulista de 1,88m vai enfrentar um gigante adversário, literalmente, já que Stefan tem 2,13m, 

Com oito vitórias consecutivas, Michel Trator encara o austríaco Ismail Naudiev, num embate que promete pegar fogo. Sem perder desde 2015, o brasuca encara uma adversário com cartel de 17 vitórias e 2 duas derrotas e que estreia no Ultimate.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.