Publicidade
Esportes
IRANDUBA

Zagueira Antônia chega ao Iranduba como reforço e querendo se adaptar à equipe

Vencedora da última edição da Libertadores, ex-Audax deverá ajudar o Hulk na competição internacional 16/10/2018 às 02:02 - Atualizado em 16/10/2018 às 10:06
Show jogo 6d8dea17 d7f6 496f bff9 66efc6878b89
Foto: Winnetou Almeida
Camila Leonel Manaus (AM)

Chegar no meio de uma temporada não é fácil, mas a para o reforço do Iranduba, a zagueira Antônia, cada dia é uma oportunidade de integração ao grupo que disputará a Libertadores Feminina. Vinda do Audax, ela chegou no Iranduba no início do mês e já está integrada ao grupo. No ano passado, a jogadora atuou no Audax/Corinthians, onde foi campeã da Libertadores feminina.

“A gente sempre quando chega fica com receio, mas acaba todo mundo enturmando e deixando o ambiente legal. Isso conta muito para a gente se sentir à vontade para desenvolver o trabalho melhor e é difícil porque vai ter que se enturmar dentro e fora de campo também, mas a gente aproveita os dias, o tempo que tá junto para esse processo ser mais rápido”, disse a jogadora que já teve passagens pela Ponte Preta e Seleção Brasileira. Para ajudar no processo, a jogadora poderá contar com conhecidas como Djeni Becker, com quem jogou na Seleção Brasileira, e com a meia Amanda Brunner, que foi campeã da Libertadores junto com ela no Corinthians.

No ano passado, o Iranduba já havia tentado a contratação da jogadora, mas foi justamente a Libertadores que a fez ficar em São Paulo. No Iranduba, ela terá a chance de jogar novamente a competição continental.“A expectativa é grande. A gente sempre busca o título e dessa vez não é diferente. Eu vim para cá tentando buscar o título com a equipe e quem sabe na nossa casa”, contou a jogadora que espera usar as experiências que teve na última Libertadores.

“Tanto a Libertadores masculina como a feminina tem aquele clima diferente. Reúne times de outros países, o jeito de jogar é diferente. O jogo é mais pegado, truncado e nem sempre se ganha com técnica. Tem que ter raça, vontade, um pouco de malícia. Ou seja, é um conjunto”, explicou.

Publicidade
Publicidade