Publicidade
Esportes
Craque

Aos 8 anos de idade, goleador mirim se destaca e tem vida 'planejada' para vencer no futebol

O jovem atacante Daniel Filho, que pratica o futebol de salão desde os 5 anos de idade, foi artilheiro em várias competições das quais participou ano passado e sua família planeja voos mais altos 17/02/2016 às 19:41
Show 1
O artilheiro mirim Daniel Filho, de 8 anos de idade
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Com apenas 8 anos de idade, o jogador de futsal Daniel Coelho Cordeiro Filho é um exemplo de que a soma de habilidade e dedicação pode dar resultados desde cedo. O jovem atacante, que pratica o futebol de salão desde os 5 anos de idade, foi artilheiro em várias competições das quais participou em 2015, além de ter conquistado títulos e colaborado com as suas equipes para importantes triunfos.

No início do ano passado, pelo time do Guerreirinhos do Fluminense, escolinha de futebol do clube carioca em Manaus, ele fez 14 gols pelo Campeonato Sub9 da Copa Futuro.

No Campeonato Amazonense de Futsal da categoria Sub9, mesmo não tendo conquistado o título pela sua equipe – o La Salle -, o atleta foi artilheiro com um total de 15 gols marcados – o campeão foi o Palas Atena/Projeto Idesca. Também defendendo o La Salle ele foi campeão da Liga Futsal Sub9 anotando 3 gols. Na Escola Denizard Rivail, onde estuda, ele foi o goleador marcando 17 gols nas 3 categorias do torneio Amazon Soccer – sub9, sub11 e sub12.

“Ele encerrou bem esta temporada e com a conquista desses trofeús de artilheiro e títulos. Fechou com chave de ouro graças a Deus”, disse Rachel Cohen Litaiff, mãe do jovem atleta e uma das suas maiores incentivadoras junto com o pai dele, Daniel Coelho Cordeiro (o jovem craque tem os irmãos Amin Cohen Litaiff Cordeiro, de 12 anos, e  Davi José Cohen Litaiff Cordeiro, de 5).

A família de Daniel dá todo o suporte para que ele progrida no futebol. O pai, por exemplo, custeia uma equipe formada por fisioterapeutas, ortopedistas, personal trainer e preparador físico ao pequeno craque. Às segundas, quarta e sextas ele treina no La Salle à tarde e, à noite, na escola de futebol do Guerreirinhos. Às terças e quintas é a vez dos treinamentos da modalidade de 11h às 13h na escola particular Denizard Rivail (após a aula da manhã) e à tarde ele recebe treino que é físico, funcional, de finalização e do que personal e preparador físico que o acompanha determinar. Detalhe: a quadra da instituição de ensino fica alugada para ele no horário de 13h às 16h.

“Pra mim o esporte é uma prática que eu levo muito a sério. Eu treino muito, me dedico em tudo o que eu faço e o meu principal sonho é ser um grande jogador de futebol profissional”, comentou Danielzinho.

O pequeno craque tem como ídolo ninguém menos do que o atacante Neymar. “Ele é muito habilidoso e joga bem. Um dia quero ser como ele”, enfatiza o jovem, que é torcedor do Nacional em Manaus e Fluminense no Rio de Janeiro. 

O recente desempenho de Daniel no futsal é tão elogiável que ele possui até vídeos publicados no YouTube, informa a mãe Rachel Litaiff.

COMPETITIVO

A competividade de Daniel e a dedicação que tem pelo esporte o fizeram lamentar muito a perda do título do sub9 estadual, conta Rachel Litaiff. “No caso do Campeonato Amazonense Sub9, ele falou pra mim que preferia o título em vez de ser artilheiro e começou a chorar. Eu perguntei: ‘É isso que você quer realmente? É que a vida é feita de derrotas e vitórias, meu filho’. E o Daniel respondeu que é isso mesmo que quer. E colocou como objetivo conquistar esse título do sub9 do Campeonato Amazonense”, destaca a genitora.

VIDA ESCOLAR

O comportamento exemplar de Daniel nos campos é alavancado pelo excelente desempenho que ele tem na escola Denizard Rivail. O jovem estudante foi aprovado para o quarto ano do ensino Fundamental e vai até sair como aluno-destaque no outdoor de final de ano da instituição. Um dado interessante é que, de acordo com seus familiares, o garoto não tira notas inferiores a 9. Em período escolar acorda sempre às 5h para revisar suas provas.

“Ele é super inteligente e isso favorece a ele ser um bom atleta no futebol. O Daniel é perfeccionista, gosta de ganhar tudo, como em gincanas. É dedicado e cuida da alimentação dele. O Danizinho tem muitas medalhas, é muito competitivo e exemplo de dedicação”, enfatiza a mãe.

PLANOS

A família de Daniel tem planos ambiciosos para o pequeno prodígio. Mais exatamente de todos se transferirem para outro Estado até 2017 para ele tentar uma carreira como jogador em um grande clube.

“É o sonho de toda a família que ele vire jogador.Temos planos para o Daniel e não estamos fazendo isso à toa, nossa programação é para dar a ele suporte de verdade. Pretendemos morar fora e em 2017 estamos nos programando. Se isso não acontecer em 2016... A finalidade é ele ser mais visto por outros clubes e, consequentemente, ter mais oportunidades. E ele quer isso também. Enquanto está dando frutos estaremos investindo e apoiando. Mas sempre o estudo em primeiro lugar . Nós, adultos, sabemos que não é fácil. Sabemos que há fatores como investimento, sorte e persistência. É muita coisa envolvida. Hoje ele é um jogador, um atleta de vida disciplinada ao esporte”, comentou Rachel Litaiff.

Publicidade
Publicidade