Terça-feira, 18 de Junho de 2019
PARCERIA

Após atritos, 3B e Iranduba realizam amistoso e diretorias selam 'acordo de paz'

Fera da Amazônia vai ceder estrutura para treinamentos do elenco do Hulk. Desde 2017, clubes protagonizam rivalidade no futebol feminino baré



3b-iranduba_6CB204DB-A76A-4989-8E21-A02E882E9A38.JPG Foto: Arquivo/AC
08/04/2019 às 08:30

Rivais declarados do futebol feminino amazonense, Iranduba e 3B da Amazônia decidiram “assinar tratado de paz”, no último sábado (6). E nada mais adequado do que encerrar uma guerra onde ela teve início: dentro de campo. Hulk e Fera disputaram um amistoso para selar a paz entre as duas equipes que representam o Amazonas nas séries A1 a A2 do futebol brasileiro, respectivamente.

“Na verdade, eu e o Said (José), preparador físico do Iranduba, somos muito amigos. Então, desde o começo do campeonato (Série A1), nós estávamos tentando trazer o Iranduba para treinar aqui no 3B, para fazer vários treinos, ceder o campo para o Iranduba e não estava acontecendo. Essa semana falei com o Said novamente sobre a preocupação dos dois times se unirem em prol do futebol amazonense e o Amarildo (Dutra, presidente do Hulk) me ligou. Nós conversamos, marcamos uma reunião e fizemos um amistoso, que foi muito bom para as duas equipes”, explicou Bosco Brasil Bindá, presidente do 3B, enfatizando que o Hulk volta a usar o CT da Fera.

“De hoje em diante, quando for possível, eu cedo minha estrutura para o Iranduba vir treinar aqui com a gente”, disse.

Disputando o equivalente a segunda divisão do futebol feminino, a Fera luta pelo acesso, enquanto o Hulk tenta o título na elite nacional. “Para o 3B, é bem importante (a reconciliação) porque essa fase (Série A2)  é contra times do Norte do País, e fiquei com receio de a gente, pegando primeiros esses times (mais fracos) e lidando muito bem, ter problemas depois, lá na frente”, analisou Bosco.


Recepção do Iranduba na sede do 3B. Foto: Divulgação

A Fera iniciou a Série A2 com goleada sonora (9 a 2) sobre o modesto Porto Velho-RO, e é líder de sua chave. No entanto, os times chamados de camisa, que têm elencos fortes, estão nos grupos do Sul/Sudeste do País. “Nosso maior rival da Série A2 são Palmeiras e São Paulo, eles têm o Paulista lá, onde se encontraram ontem e empataram em 2 a 2, e estão pegando adversários fortes. E isso, lá na frente, pode nos dar problema. Então, me achei o maior beneficiado nessa reconciliação”, disse.

O Portal A Crítica tentou entrar em contato com o presidente do Iranduba, Amarildo Silva, mas o dirigente não atendeu às ligações. O amistoso foi vencido pelo Hulk pelo placar de 1 a 0.

Entenda a guerra

Parceiros no Peladão de 2016, 3B e Iranduba foram campeões sob as mesmas cores. No entanto, quando a Fera decidiu disputar o Estadual Feminino de 2017, veio a separação nada amistosa entre as equipes. O auge da rivalidade ocorreu no primeiro confronto entre os times, quando Bosco Bindá Brasil, logo após a vitória do seu 3B, atirou um abacaxi em frente ao banco do Hulk. Desde então os clubes acirraram a rivalidade no que ficou conhecida como a “Guerra do Abacaxi”.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.