Publicidade
Esportes
Ressaca pós derrota

Após derrota, presidente do Nacional admite cobranças à Comissão Técnica

O clima foi de tensão após a derrota para o Dom Bosco. Muro do CT do Naça amanheceu pichado e presidente do clube admitiu que não está satisfeito 22/04/2016 às 09:25
Show zcr032201 p01
O muro do CT Barbosa Filho amanheceu pichado (Foto: Antônio Lima)
Camila Leonel Manaus (AM)

A derrota do Nacional para o Dom Bosco por 2 a 0, na estreia da Copa do Brasil, não desceu bem para o torcedor nacionalino e nem para a diretoria do clube. No dia seguinte à derrota, o muro do CT Barbosa Filho, Zona Leste de Manaus, amanheceu pichado. Frases como “diretoria Incompetente” e “respeitem o Naça” estavam escritas nos muros do CT.

E a insatisfação não é apenas do torcedor azulino. O presidente do clube, Mário Cortez, disse que se sentiu incomodado com a derrota do Leão da Vila Municipal.

“Nós que somos diferentes (do torcedores) não ficamos satisfeitos com o resultado, imagina o torcedor que dá o sangue, dá a vida pelo clube”, disse.

O presidente do clube também aproveitou para criticar quem pichou os muros do CT. De acordo com ele, a revolta do torcedor é legítima, mas depredar o patrimônio do clube não.

“Em relação à pichação eu acho que quem fez isso é marginal. Porque não está me atingindo. Está atingindo o patrimôniodo clube. Tudo bem, nós aceitamos a reclamação, ela (a torcida) tem toda a razão de ficar magoado mas isso não me dá o direito de destruir o patrimônio do Nacional, que é dos associados”, explicou.

Cortez mencionou que   a diretoria do clube já está tomando as medidas para identificar e entrar com ações judiciais contra os autores das pichações.

A delegação nacionalina desembarcou em Manaus no início da madrugada de hoje.

Cortez, que ficou em Manaus falou que haverá uma reunião com a comissão técnica para identificar problemas que culminaram com a derrota do Nacional.

“Vamos ter que reunir, evidentemente, com a comissão técnica. A responsabilidade é da comissão técnica. Toda a linha de ação é deles, a vivência diária, então é claro que eles devem explicação à diretoria”.

“Perdeu? Tá tudo bem? Não! No Nacional tá tudo mal. Saíram com um objetivo e esse objetivo não aconteceu. Então tem que ter cobrança”, completou.

Mando de campo

O jogo de volta entre as duas equipes será no dia 27 de abril, quarta-feira. O Nacional foi punido com a perda de um mando de campo, mas o presidente do Nacional alegou que essa punição será cumprida no primeiro jogo da Série D do brasileiro.

“Pela informação que eu tive, o jogo será na Arena da Amazônia. A penalidade de mando de jogo vamos cumprir no primeiro jogo da serie D”, alegou.

Publicidade
Publicidade