Publicidade
Esportes
AUTOMOBILISMO

Após dominar F1600, piloto amazonense, Gabriel Silva, mira novo desafio para 2019

Gabriel busca patrocínio para correr numa categoria mais forte no ano que vem, a Sprint Race Brasil 29/12/2018 às 17:53 - Atualizado em 30/12/2018 às 10:44
Show gabriel 1 b8d2bc8c b679 4886 9e64 1b3e5251316d
Fotos: Euzivaldo Queiroz/A crítica
Jéssica Santos Manaus - AM

 Em 2018, o piloto amazonense Gabriel Silva, 21, viveu mais um grande ano na sua carreira. Campeão paulista de F1600, ele venceu 14 das 18 corridas realizadas, bateu o recorde de Interlagos na categoria, e conseguiu a maioria das pole positions e voltas mais rápidas da competição. Com esse domínio, Gabriel conquistou também o Troféu “Capacete de ouro” da categoria Formação de pilotos, concedido pela revista Racing, para fechar o ano. Agora, às vésperas de 2019, Gabriel traça uma nova estrada para sua carreira – quer deixar as categorias de base para correr a rápida e desafiadora Sprint race Brasil. 

“Já tenho um alvo, uma categoria – sei como ela funciona, os custos para correr nela, mas faltam os patrocinadores. Tenho a meta de correr na Sprint race Brasil, que tem motor mais forte, pneu slick, mas os valores para correr nesse campeonato são três, quatro vezes mais altos que na F1600, então ainda não tenho nada confirmado para o ano que vem, e preciso correr atrás de patrocínios”, destaca. 

A Sprint race Brasil é a meta Gabriel, mas ele reconhece que para estar no grid, vai precisar de mais suporte. “Nunca foi fácil conseguir patrocínios, mas tenho que buscar porque meu ‘paitrocinador’ está cansado. Acredito que os meus títulos ajudam, mas, mesmo assim, tenho que bater de porta em porta. Tem uma galera aqui de Manaus que me ajuda, alguns empresários, mas não dá para os custos ficarem todos nas costas deles, preciso de mais apoios”.

Questionado sobre sua lista de metas e sonhos, que todos costumam fazer quando vai iniciar um novo ano, Gabriel respondeu que prefere manter os pés no chão. “Eu tenho que focar nesse objetivo, ver como as coisas vão indo, porque não adianta eu mirar lá em cima, e não observar minha realidade agora”. 


 

Naturalmente veloz 
No ano passado, Gabriel brilhou na FVee e, neste ano, foi a vez dele impressionar na F1600, correndo pela equipe Della Barba Racing. O piloto explica que sua transição de um carro para outro de Fórmula foi tranquila. “A categoria (F1600) não é tão diferente da que eu corri no ano passado (FVee), a adaptação foi muito rápida, mas foi bom para mim porque o campeão do ano passado, Bruno Leme, correu este ano também, então, tinha uma cara a ser batido”, relembra Gabriel. 

Foram oito vitórias seguidas, nas oito primeiras etapas. “Eu venci a primeira, ganhei confiança, fui indo, fui indo...”. Gabriel foi vencendo, exatamente 14 de 18 corridas. 

Ano passado, ele ganhou o prêmio “Capacete de prata” pelo seu ano na FVee ,e este ano, com seu desempenho, conquistou o “Capacete de ouro”. “É um dos maiores prêmios de automobilismo do Brasil, então fiquei muito feliz porque três categorias participam, a Fvee, Formula 1600 e Formula E, e eu fui eleito o melhor”.

Publicidade
Publicidade