Quinta-feira, 05 de Dezembro de 2019
Craque

Após jogos concluídos da Copa, Arena da Amazônia ficará por enquanto sob cuidados do Estado

Segundo Agência de Comunicação do governo do Estado, somente depois do Mundial é que o Governo do Estado vai definir o futuro do estádio. A administração do estádio deve custar aos cofres públicos R$ 500 mil/mês



1.jpg A Arena da Amazônia, por enquanto, vai continuar sendo gerida pela Fundação Vila Olímpica
27/06/2014 às 08:55

Considerada pela Fifa como a melhor das 12 subsedes da primeira fase da Copa do Mundo, Manaus e a Arena da Amazônia Vivaldo Lima, que recebeu quatro jogos nesse Mundial, encantaram os turistas de vários países e os brasileiros que não conheciam o estádio mais bonito do Brasil. Mas, passado o glamour dos jogos Itália x Inglaterra, Estados Unidos x Portugal, Croácia x Camarões e Suiça x Honduras, a pergunta que não quer calar é: qual vai ser o futuro da Arena da Amazônia depois da Copa do Mundo?

De acordo com nota enviada pela assessoria de imprensa da Unidade Gestora dos Projetos da Copa (UGP–Copa), a Arena da Amazônia, por enquanto, vai continuar sendo gerida pela Fundação Vila Olímpica.



“Existe um estudo que será finalizado em agosto pela empresa Ernest Young para definir o melhor modelo de concessão onerosa da Arena. A UGP deve ser desativada, mas com o fim dos jogos do Mundial em Manaus, o órgão estará empenhada na consolidação dos relatórios da realização do evento na cidade desde a escolha de Manaus como sede até o final do Mundial. Todo arcabouço dos documentos e relatórios serão importantes registros históricos da Copa do Mundo no Amazonas”, comunicou a assessoria de imprensa da UGP.

Apesar do governador José Melo (PROS) ter confirmado à imprensa no último dia 30 de abril, durante a partida entre Nacional e Corinthians, na Arena da Amazônia pela Copa do Brasil, que três empresas - uma do Canadá, outra da Alemanha e um consórcio brasileiro - estavam no páreo, para administrar a Arena, a Agecom (Agência de Comunicação do governo do Estado) afirmou ontem que somente depois da Copa do Mundo é que o Governo do Estado vai definir o futuro da Arena. E que, por enquanto, ainda não está nada definido em relação à administração do estádio que deve custar aos cofres públicos R$ 500 mil/mês.

Vasco da gama

O clube carioca - que antes da Copa do Mundo, jogou na Arena pela Copa do Brasil contra o Resende (RJ) - estaria interessado em voltar a Manaus, para enfrentar o Santa Cruz (PE) pela Série B do Brasileiro.

O diretor técnico da Federação Amazonense de Futebol (FAF), Ivan Guimarães, confirmou o interesse do clube cruz- maltino.

“Isso está sendo cogitado, (jogo entre Vasco e Santa Cruz) mas a administração da Arena da Amazônia Vivaldo Lima, pediu para não confirmar nenhum jogo na Arena até o final de julho”, afirmou Guimarâes.

No site oficial da CBF, o duelo entre cariocas e pernambucanos está com local indefinido.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.