Publicidade
Esportes
DURO 'DIVÓRCIO'

Após saída nada amigável, Neymar e Barcelona entram em batalha judicial

Clube catalão entrou com processo contra craque brasileiro por suposta quebra de contrato depois de ida para o PSG; Camisa 10 da Seleção também entrou na Justiça cobrando bônus do ex-time 22/08/2017 às 18:41 - Atualizado em 22/08/2017 às 18:42
Show bb
Neymar e Barça trocam farpas na esfera judicial (Foto: Reprodução)
Reuters Barcelona (Espanha)

O Barcelona está processando Neymar em 8,5 milhões de euros por suposta violação de contrato e exigindo que ele devolva bônus pago depois de renovar seu acordo em outubro, menos de um ano antes de se transferir ao Paris Saint-Germain, informou o clube espanhol nesta terça-feira (23).

Os catalães estão pedindo um pagamento adicional de 10 por cento em multa. "O Barcelona tomou essas ações em defesa de seus interesses, depois que o contrato de Neymar foi rescindido apenas alguns meses depois que ele renovou até 2021", disse um comunicado do clube.

O PSG contratou Neymar por um valor recorde de 222 milhões de euros em agosto, pagando sua multa rescisória com o Barcelona, que não queria negociar a venda de um dos seus melhores jogadores.

Em comunicado, a assessoria do jogador disse ter ficado "surpresa" com a ação do Barcelona. "O atleta cumpriu integralmente o contrato então vigente, com o depósito integral dos valores livremente pactuados com o FC Barcelona visando sua liberação", afirmou.

Após a ida de Neymar para o clube francês, o Barcelona se recusou a pagar parcela de 26 milhões de euros do bônus que o atacante deveria receber neste verão, citando violação do contrato.

O jogador também recorreu à Justiça para tentar receber o montante. "Com relação aos bônus devidos pela assinatura do contrato de 2016, contratualmente ajustados e declaradamente não pagos pelo FC Barcelona, cumpre ainda informar que o atleta já iniciou o procedimento formal de cobrança perante o foro competente", informou a assesoria do jogador no comunicado.

O Barcelona apresentou a ação na Federação Espanhola de Futebol (RFEF) depois de primeiro entrar com o processo no tribunal, além de exigir que o PSG o subsidie, caso Neymar não assuma a responsabilidade por isso.

Publicidade
Publicidade