Publicidade
Esportes
GUERREIRA DO ORIENTE

Após sair do Iranduba, atacante Kelen Bender brilha na Coreia do Sul

Ex-jogadora do Hulk mal desembarcou na Coreia do Sul e já deixou sua marca fazendo gol e ajudando sua equipe a vencer a primeira na WK-League 02/08/2017 às 16:15 - Atualizado em 07/08/2017 às 09:37
Show show kele
Bender foi o destaque do Gyeongju WFC na vitória sobre o time da atacante da seleção Bia Zaneratto (Foto: Acervo Pessoal)
Denir Simplício Manaus (AM)

Dizem os entendidos em futebol que uma das principais características de um grande artilheiro é a frieza na hora de marcar um gol, não titubear no momento de decidir um jogo. E esse fundamento a atacante Kélen Bender, 21, parece ter nascido com ele.

A ex-Guerreira do Hulk, que há pouco mais de um mês deixou o Iranduba para atuar no futebol da Coreia do Sul, já deu sua “flechada” - comemoração dos gols do Hulk -, agora com a camisa do Gyeongju WFC. E não foi um gol qualquer. Logo em sua segunda participação na WK-League, Kélen foi o destaque de sua equipe o líder do campeonato, o Incheon Red Angels, da atacante da Seleção Brasileira Bia Zaneratto.

“Nem acreditei. Jogamos muito sério, nosso time é o sétimo colocado e ganhamos do primeiro. Marcamos lá atras, tivemos dois ataques no jogo todo (risos). Aí num deles eu sofri o pênalti e bati”, relata Kélen feliz com sua participação na partida que tirou o Gyeongju WFC da lanterna da competição.


Bender foi apresentada junto à Giovanna Crivelari, do Kundermann-SC (Foto: Acervo pessoal)

“Foi meu segundo jogo e, sério, foi um jogão. Terminei o jogo exausta, mas valeu muito a pena. A minha felicidade define”, comentou.

A saída de Kélen do Iranduda ocorreu um dia antes da partida em que o Hulk acabou perdendo para o Santos, no primeiro jogo das semis do Brasileirão. Mas por problemas com a transferência entre a CBF e o clube sul-coreano, a atacante só pode estrear três semanas após sua chegada no novo clube.

“Está sendo uma experiência maravilhosa, eles têm uma estrutura incrível aqui, fiquei muito surpresa com tudo isso. As únicas dificuldades são a questão da comunicação, por que o coreano é uma língua bem difícil, e a alimentação por que a comida é bem diferente do Brasil, mas aos poucos estou me adaptando”, revelou a gaúcha.

Como uma flecha

A saída de Kélen pegou a torcida do Hulk de surpresa. Em menos de 48 horas, a jogadora já havia mudado de clube, país e continente. “Foi tudo muito rápido. A oportunidade surgiu e eu não tinha como recusar. Conversei com meus familiares e todos me apoiaram, então resolvi aceitar”, disse a atacante que trocou o Verdão irandubense, pelo Verdão coreano.


Kelen não deu mole e marcou o dela sobre o time de Bia Zaneratto (Foto: Acervo pessoal)

“É uma equipe nova aqui na Coreia, começou esse ano. Não tem tanta torcida como o Iranduba. São meninas novas também, mas tem tudo pra crescer muito”, apontou Bender, que foi contratada para disputar a Liga Sul coreana de futebol feminino juntamente a outra atacante brasileira, Giovanna Crivelari, do Kindermann-SC.

O investimento dos sul coreanos no futebol feminino tem crescido bastante nos últimos anos e na equipe de Kelen Bender não tem sido diferente. Mesmo ocupando a sétima posição, com 13 pontos em 18 jogos, no campeonato, ex-jogadora do Hulk espera que o Gyeongju WFC evolua ainda mais até o fim da competição.

“A acho que não dá pra saber ainda (melhora no time) com apenas dois jogos. No primeiro tinha o nervosismo da estreia e no segundo era uma equipe muito mais forte, não tivemos muito poder no ataque. Acho que no decorrer dos próximos jogos vai dar pra sentir isso”.

A WK-League entrou em intervalo e só retorna no dia 21 de agosto, quando Kelen volta a campo pelo Gyeongju WFC contra o Seoul (3º colocado). “Agora vai ter uma pausa por que eles vão ter um outro campeonato coreano, mas esse não podemos jogar, só joga quem é daqui. Vou aproveitar pra treinar”, concluiu Kelen.

Publicidade
Publicidade