Publicidade
Esportes
Craque

Arena da Amazônia completa 1 ano amanhã (9), com gastos de R$ 8,3 milhões por mês

Estádio completa um ano de inaugurado nesta segunda-feira (9) e, até o momento, acumula um baita saldo negativo 08/03/2015 às 13:54
Show 1
Arena da Amazônia foi inaugurada no dia 9 de março de 2014
DENIR SIMPLÍCIO Manaus (AM)

Nesta segunda-feira (9), a suntuosa e bela Arena da Amazônia Vivaldo Lima estará completando um ano que foi inaugurada e a Fundação Vila Olímpica (FVO), administradora do estádio, planeja alguns eventos em comemoração a data. No entanto, quando paramos para analisar os números que envolvem a construção, manutenção e os lucros com a praça esportiva desde que foi oficialmente aberta, percebe-se que não há muito o que comemorar.

Orçada inicialmente em quase R$ 500 milhões, a obra foi concluída com acréscimo de mais de 50% do valor inicial, batendo a impressionante cifra de mais de R$ 757 milhões.

Para tornar a construção do estádio possível, o Governo do Estado do Amazonas fez um empréstimo junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no valor de R$ 400 milhões, somente para a execução da parte física do estádio. Outro empréstimo no valor de R$ 103,5 milhões, junto à Caixa Econômica Federal, foi feito para a construção da estrutura em forma de paneiro da cobertura da Arena. Além dos empréstimos, o Estado entrou com uma contra-partida de R$ 133,3 milhões.

Segundo dados repassados pela Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz-AM), - que foram enviados de forma incompleta, já que não constam os juros pagos à Caixa -, os prazos de pagamento foram financiados em 15 anos, para o estádio em si; e de 20 anos para a cobertura. E o poder público já pagou pela Arena da Amazônia a quantia de R$ 91,9 milhões só ao BNDES. Vale lembrar que, durante os primeiros três anos, o Estado pagou apenas os juros do empréstimo. A carência junto à Caixa é maior, e chega aos 5 anos. Ou seja, aproximadamente R$ 75 milhões do montante pago para a construção da Arena são relacionados apenas com os juros dos financiamentos. Juros esses que giram em torno de 5,5%, segundo a Taxa de Juros a Longo Prazo (TJLP), do BNDES.

Gastos e mais gastos

Os gastos somente com a manutenção da Arena da Amazônia são de R$ 700 mil por mês de acordo com a FVO. Se multiplicarmos pelos 12 meses desde que foi inaugurada, o governo do Estado já pagou apenas com a manutenção do local a cifra de R$ 8,4 milhões. Numa conta rápida, somados o que o poder público já pagou pelo estádio (R$ 91,9 milhões) chegamos ao impressionante valor de R$ 100,3 milhões de gastos com o estádio até hoje.

Fazendo um comparativo, o montante gasto até agora com o estádio daria para pagar o programa bolsa-atleta de mais de 2 mil atletas durante um ano. Se dividirmos esse valor pelos 12 meses de existência do estádio, chega-se ao absurdo número de mais de R$ 8,3 milhões por mês pagos pelos cofres públicos pela obra. As despesas com o estádio devem continuar até que a administração da praça esportiva seja entregue aos cuidados da iniciativa privada. A FVO anunciou na última quarta que o processo de licitação para privatização da Arena deve sair até o final deste semestre. A intenção é repassar o estádio o quanto antes para as mãos de uma empresa que possa custear a manutenção e tentar fazer com que o local se torne lucrativo, além de evitar que a obra se torne, em definitivo, um gigantesco “elefante Branco”.

Lucro ainda é mínimo

Com base nos custos com manutenção da Arena da Amazônia, - que hoje chegam a R$ 700 mil mensais - a praça esportiva gasta bem mais do que arrecada. De acordo com a planilha de eventos realizados no estádio divulgada pela FVO, foram arrecadados com shows e partidas de futebol a quantia de R$ 1.981.714,50.

Se levarmos em conta que já foram gastos aproximadamente R$ 8,4 milhões apenas com a manutenção da Arena, o prejuízo passa facilmente dos R$ 6 milhões desde a inauguração do estádio até hoje. A listagem ainda deixou de fora alguns eventos, como o show gospel “Louvarei” e as finais do torneio de times amadores chamado Taça Lima. A partida de inauguração da Arena, entre Nacional e Clube do Remo, e o jogo amistoso que reuniu os “Amigos do José Aldo” e “Amigos do Delmo” constam na lista como “cessão de uso onerosa”. O valor arrecadado no duelo do Leão amazonense e o Leão paraense (cerca de R$ 248 mil) foi doado para instituições de caridade.

A partida que mais rendeu dividendos ao estádio multiuso foi o confronto entre Botafogo e Flamengo, válido pelo Campeonato Brasileiro de 2014. Na ocasião, a administração da Arena arrecadou pouco mais de R$ 400 mil. São justamente os clubes cariocas que deram mais lucro ao estádio. Dos 13 jogos oficiais realizados na Arena, em oito delas estava um time do Rio de Janeiro. No início desde ano, um torneio envolvendo Flamengo, Vasco e São Paulo movimentaram o local, mas não houve tanta empolgação dos torcedores locais.

Publicidade
Publicidade