Publicidade
Esportes
Craque

Arena da Amazônia: contagem regressiva

Faltam exatamente 30 dias para a inauguração do estádio, prometida para 20 de dezembro 20/11/2013 às 11:25
Show 1
Inauguração está marcada para dezembro, mas chuvas podem atrapalhar
ANDERSON SILVA ---

Mais longe já estivemos. O dito popular reflete muito bem os 30 dias (exato um mês) que faltam para que a Arena da Amazônia seja entregue. Desde a demolição do estádio Vivaldo Lima em julho de 2010, os amazonenses viram se erguer, aos poucos, o imponente estádio da Copa do Mundo, provavelmente um dos mais belos palcos do Mundial de 2014.

No entanto, apesar do estimado na semana passada pelo coordenador da Unidade Gestora da Copa, Miguel Capobiago - uma evolução das obras de pelo menos 1% por semana - o número apresentado hoje é o mesmo de sete dias atrás, ou seja, de 89,9% das obras concluídas.

Segundo o gestor, um fator de dificuldade é o período de fortes chuvas na cidade. Ele alega o inverno amazônico atrapalha significativamente o andamento das obras, principalmente a parte da cobertura da Arena. “A finalização da soldagem da estrutura da cobertura da Arena pode atrasar um pouco. Com essa chuva é preciso paralisar os trabalhos”, justificou Miguel.

Força-tarefa

O fato é que a praça esportiva amazonense tem passado por uma verdadeira força-tarefa. Colocação das cadeiras, atenção no gramado e na montagem das membranas da cobertura, pintura e a finalização das soldas da estrutura metálica fazem com que o mais de 1.900 operários se desdobrem para que tudo ocorra perfeitamente. “Estamos nas últimas etapas. Falta um mês e estamos com 1900 operários trabalhando durante 24 horas para finalizar os trabalhos”, disse Capobiango.

Assentos pela metade

Os assentos multicoloridos que vão acomodar os apaixonados por futebol passaram da metade. Até a tarde de ontem mais da metade das 44 mil cadeiras já haviam sido colocadas. “Vamos colocar até dezembro 41 (mil) das 44 mil cadeiras. O restante será colocado somente depois que as plataformas de câmeras e a tribuna de imprensa forem inspecionadas pela Fifa”, revelou o gestor, que acompanha de perto a colocação das membranas da cobertura. “Até o momento, passamos das 20 membranas colocadas. São 252 peças que até dezembro estarão instalados”, finalizou.

Abertura

O clássico amazonense Rio-Nal (Rio Negro e Nacional) - que completaram 100 anos em 2013 - será o primeiro jogo da Arena da Amazônia. A partida deve ocorrer no dia 15 de janeiro.

Público ansioso

A entrega do estádio tem deixado os torcedores animados. Órfãos de estádios de qualidade na capital há cerca de três anos, a Arena da Amazônia passa a ser o principal espaço para a realização das partidas dos clubes amazonenses, ou simplesmente um atrativo de primeiro momento para os simpatizantes que querem registrar um momento dentro do estádio. “Com a entrega da Arena, acredito que vai influenciar bastante o turismo e a qualidade do futebol local que precisar ser mais valorizado e aprimorado. Estou ansioso para a entrega”, disse o técnico de informática Said Costa.

Não muito fã de futebol, a dona de casa Eliane Jardim, 39, pretende levar os filhos para visitar o estádio assim que for liberado para visitação. “Quando for aberto ao público, eu vou lá com os meus dois filhos. Quero registrar esse momento”, disse sorrindo.

Com “pés no chão” o comerciante Dário Barroso, 28, acredita que o estádio não terá muita utilidade após a Copa, mas que vai beneficiar o futebol do Amazonas. “O estádio pode se tornar um elefante branco e acredito que somente no mundial teremos um grande movimento. Para o futebol local vai ser ótimo porque não tem nenhum estádio bom”, definiu.

Clique aqui e assista a reportagem

Publicidade
Publicidade