Quinta-feira, 22 de Outubro de 2020
PANDEMIA

Atividades físicas devem seguir os protocolos de segurança contra a Covid-19

O uso de máscaras durante os treinos e o distanciamento são algumas das normas mais difíceis de seguir



zCD0122-1_p01_9C361F7B-4BEB-44AB-82AD-BA789557166A.jpg Foto: Euzivaldo Queiroz
22/07/2020 às 09:17

Com a reabertura das academias e espaços públicos, os aficionados por atividade física passaram a lidar com o desafio de cuidar da saúde e, ao mesmo tempo, prevenir-se contra o novo coronavírus.

 O uso obrigatório de máscaras durante os treinos e o distanciamento são algumas das normas mais difíceis a serem seguidas, opina o professor de Educação Física Gleiser Barbosa, especialista em Fisiologia do Exercício pela Universidade Nilton Lins.



“O distanciamento ainda é um tabu a ser vencido, principalmente neste momento em que atravessamos uma queda nos índices de covid-19 em Manaus”.

A aposentada carioca Solange Nogueira*, 64, chegou à capital em janeiro deste ano para visitar um parente e teve de estender a temporada na cidade por causa da pandemia.

Nesse período, manteve-se em isolamento com a irmã. Após o fechamento do Parque do Idoso, onde costumavam praticar caminhada, elas começaram a subir e descer as escadas do edifício no conjunto Vieiralves, Zona Sul, para escapar do sedentarismo e reforçar a imunidade.

“Depois da reabertura, as pessoas estão mais relaxadas, e isso nos assusta”, diz Nogueira. “As pessoas não estão usando máscaras, o que é uma falta de respeito”, observa.

Todos os dias, a dupla caminha cerca de sete quilômetros no calçadão da Ponta Negra pelo período da manhã, de modo a manter distância dos grupos de desprevenidos.

Na manhã de segunda-feira (20), a reportagem flagrou dois agentes da Ciclopatrulha da Polícia Militar circulando pelo local sem máscaras de proteção.

Em junho, o Conselho Regional de Educação Física da 8ª Região (CREF8/AM-AC-RO-RR) publicou uma cartilha com normas e condutas a serem seguidas por gestores, usuários e população na reabertura desses espaços, ocorrida no final do mês passado.

Controle da entrada e permanência dos alunos, orientações de distanciamento nas áreas de exercícios aeróbicos e proibição do acesso de grupos de risco integram a série de medidas.

O gerente geral da Rede Califit, Leonardo Bezerra, afirma que a empresa segue o padrão do Departamento de Vigilância Sanitária (Devisa), cujo protocolo determina a instalação de pia de higienização na entrada, uso individual de toalhas e garrafas de água e aferição da temperatura dos alunos.

A máscara é acessório obrigatória no acesso às dependências da academia, e pode ser retirada antes da utilização dos aparelhos.

A direção da empresa recomenda também que os usuários evitem frequentar a academia em grupos e mantenham os armários de objetos pessoais abertos.

A academia dispõe de climatizadores instalados em pontos estratégicos para possibilitar a circulação contínua do ar.

Após a reabertura, a empresa registrou aumento na adesão de novos alunos, “uma parte da população que provavelmente atravessou a quarentena sem praticar atividade física”, opina o gerente.

Retorno cauteloso à rotina de treino

“É meu primeiro dia na academia. Tentei praticar exercícios em casa,  mas a decisão não funcionou muito bem”, confessa a esteticista Daniela Eduarda de Souza, 28. Ela praticava cam inhadas e dança até aceitar o convite de uma amiga para se matricular, e aprovou o cumprimento das orientações de distanciamento e higiene. “A pandemia é um momento difícil, mas não podemos deixar a saúde de lado e ficar vulnerável ao vírus”, aconselha.

A estudante Andreia Aparecida Vieira, 47, fez uma inspeção dos procedimentos de higienização na academia onde começou a malhar, há dois anos, antes de se certificar de que poderia voltar aos treinos em segurança. “Vi que estavam desinfetando os aparelhos. Disponibilizaram álcool em gel e o distanciamento está sendo seguido”, relatou.

Durante o isolamento, Vieira corria dentro do condomínio onde mora, no bairro Santo Agostinho, Zona Oeste, hábito que manteve após o relaxamento da quarentena. “Começo a correr por volta das 22h, quando há pouco movimento”, conta. “Ainda sinto dificuldades em me exercitar com a máscara no rosto”.

Recuperar o condicionamento e perder peso são as metas

A Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou sobre os riscos que o uso da máscara pode trazer aos praticantes de atividades físicas, como fadiga muscular, tornando-os suscetíveis a tonturas e desmaios.

“O processo de oxigenação e a troca gasosa ficam comprometidos, sem falar no deslocamento constante da máscara no rosto”, comenta o professor de Educação Física Gleiser Barbosa.


Foto: Euzivaldo Queiroz

Outro problema é a umidificação do tecido pelo suor, o que pode reduzir a capacidade de defesa contra micróbios.

Então, como garantir o bom desempenho sem ficar exposto ao novo coronavírus?

“A relação volume x intensidade deve ser analisada na sua execução, contribuindo para uma forma mais saudável o processo de oxigenação e umidificação da máscara”.

Cuidados

Barbosa recomenda cautela aos esportistas e atletas que pretendem recuperar o condicionamento e/ou eliminar alguns quilos adquiridos durante a quarentena.

“A dica mais importante neste momento é observar o seu corpo, o estimulo que você está dando a ele. Observar a sua respiração, se durante a prática você está sentindo algum incomodo. Caso isso ocorra, diminua o ritmo ou interrompa o treino. Mesmo aqueles que continuaram se exercitando no isolamento vão perder condicionamento, logo é necessária uma readaptação a essa nova rotina”, destacou o profissional de educação física. A retomada das atividades está sendo retomadas gradualmente.

News d amorim 845c88c9 db97 48fa b585 f1c0cb967022
Repórter de Cidades
Formado em Comunicação Social/Jornalismo pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam). Além de A Crítica, já atuou em uma variedade de assessorias de imprensa e jornais, com ênfase na cobertura de Cidades e Cultura.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.