Segunda-feira, 19 de Agosto de 2019
Superação

Brasileira luta amanhã (16) por medalha no Mundial Paralímpico de Halterofilismo

Apenas três atletas da categoria até 67kg levantaram mais peso do que Mariana D'Andrea em competição anterior realizada no Brasil



5a86541b756f47c48908175cc287606b_F2FD6C93-6840-470F-8E95-8AF9894935F2.jpg Mariana D'Andrea em treinamento durante o Mundial de Nur-Sultan/ Ivo Felipe/CPB
15/07/2019 às 10:23

A halterofilista brasileira Mariana D'Andrea competirá nesta terça-feira (16), no Mundial Paralímpico de Halterofilismo, em Nur-Sultan, no Cazaquistão, para mostrar que pertence ao seleto grupo das melhores atletas do mundo, onde já é considerada a quarta melhor na categoria de 67 kg, depois de conseguir erguer 118 kg durante uma competição em abril deste ano, em Curitiba.

À frente dela estão a chinesa Yujiao Tan (140 kg), a egípcia Fatma Omar (135 kg) e a nigeriana Olaitan Ibrahim (125 kg). Todas presentes neste mundial.

"Eu espero fazer uma ótima participação aqui no Mundial do Cazaquistão, me colocar entre as melhores do mundo e melhorar a minha marca pessoal", disse Mariana, que tem nanismo. Em 2018 ela foi eleita melhor halterofilista do país, ganhando o Prêmio Paralímpicos.

Outro brasileiro que irá competir nesta terça-feira é o paraibano Ailton Andrade, da categoria até 80 kg masculina, Ailton destacou-se no Regional das Américas de 2018, na Colômbia, conquistando a medalha de prata. O atleta de 34 anos tem uma limitação em sua perna esquerda decorrente de paralisia infantil.

No último domingo (14), Bruno Carra quase conquista um lugar no pódio. O paulista da cidade de Salto ficou com a quinta colocação na categoria masculina até 59 kg, conseguindo o melhor resultado brasileiro do dia na classe adulta. O halterofilista garantiu a quinta colocação ao erguer 175 kg em sua segunda tentativa. Na derradeira chance, ele elevou o peso para 184 kg, que lhe renderiam a medalha de bronze, mas não conseguiu a classificação, pois não teve validado o movimento que asseguraria a ele um lugar no pódio.

O Brasil ganhou até agora três medalhas. Todas na classe Júnior. Lucas Manoel (ouro até 49 kg), Marcos Terentino (ouro até 54 kg) e Vinicius Freitas (prata até 80 kg) já subiram ao pódio. O Mundial no Cazaquistão vai até 20 de julho e conta com 11 brasileiros entre os 488 atletas de 76 países. Hoje nenhum brasileiro esteve em ação.

*Com informações de Agência Brasil.

Receba Novidades

* campo obrigatório
News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.