Publicidade
Esportes
Craque

Atleta do hipismo amazonense quer conquistar a América

Yasmim Almendros já faz parte da seleção brasileira júnior e vai encarar desafio internacional 09/09/2014 às 12:10
Show 1
Yasmim divide sua rotina com treinos e estudos. Ela vai disputar o Sul Americano de hipismo, no mês que vem, no Chile
alírio Lucas ---

A conexão Manaus-São Paulo feitas pelo menos uma vez por mês pela amazonense Yasmim Almendros, de 17 anos, já se tornaram “rotina” para a jovem. Atualmente ocupando a oitava colocação do ranking nacional de hipismo, pela categoria júnior, a atleta se prepara para representar o país pela segunda vez, no Sul-Americano da modalidade, que ocorre entre os dias 7 a 12 de outubro, no Chile.

A paixão de Yasmim pelo esporte começou bem cedo. Segundo ela, o interesse pelos cavalos começou quando ela tinha apenas cinco anos “Desde pequena tinha um fascínio muito grande por cavalos. Berrava, gritava e chorava para montar em um cavalo quando avistava um deles”, contou a jovem, que no ano passado passou a integrar a seleção brasileira.

Recém chegada de uma competição realizada em São Paulo, a amazona conta que seu foco será a sua segunda ida ao Sul-Americano, que este ano acontece no Chile. “Quando estou em Manaus treino três vezes por semana. Pelo menos uma vez no mês, ou vou a São Paulo onde tenho o meu outro cavalo de competições e realizo treinos para adaptar ele a competição. A gente sente, por não permanecer apenas em um local treinando, mas aqui ainda falta o devido apoio. Mas sigo meus treinos aqui e lá e já estou acostumada. Dia 27 embarco para a capital paulista onde vou treinar e no dia 02 o cavalo embarca para o Chile”, destacou a Yasmim, que pretende entrar no ciclo olímpico de competições, visando os Jogos de 2020.

Foco nos estudos e treinamentos

Estudante do terceiro ano do ensino médio, Yasmim conta como consegue manter a rotina de treinos no Amazonas e em São Paulo. “A escola me ajuda muito, pois eles flexibilizam minhas viagens e meus treinos. Só não posso tirar notas baixas (risos). Mas tirando isso eles me ajudam bastante”, destacou ela. Yasmim pretende entrar no circuito internacional de competições, para realizar um sonho antigo em sua vida, que é o de disputar uma Olimpíada. “Em 2016 eu acho que não é possível não. Mas para as Olímpiadas de 2020 eu acredito sim. Tenho boas chances. Elas existem e não são impossíveis. Só dependo de mim”, pontuou.


Publicidade
Publicidade