Quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
INÉDITO

Atleta trans faz história no MMA e afirma: "Mostrei que vim lutar, não aparecer"

Anne Veriato vence Raílson Paixão em luta inédita, do Mr. Cage 34, e dá recado a preconceituosos: "não tô nem aí".



12/03/2018 às 13:54

Sob os gritos de “Anne, guerreira”, vindos da plateia, Veriato foi declarada a vencedora por decisão unânime dos árbitros, Na primeira luta entre uma atleta transgênero e um homem cis, da história do MMA nacional. O confronto inédito e histórico aconteceu no sábado (10), no Jevian Festas e Eventos, Nossa Senhora das Graças. 

Anne Veriato, de Manaus, e o atleta de Coari, Raílson Paixão, protagonizam a luta mais esperada, não só da noite do Mr. Cage 34, mas, para muitos, dos últimos tempos do MMA. Assim, expectadores do Brasil e do mundo queriam saber que levaria a melhor nesse confronto, e o que eles viram foi uma ’lutão’, pois os dois partiram para a trocação franca desde o início, com muitos socos, chutes e joelhadas de Raílson, e a busca pela queda do adversário, por Anne. A luta se deu em pé, mas, também, no chão, e os dois puderam mostrar suas especialidades, tanto que Raílson acertou vários socos fortes na lutadora, além de ter aplicado quedas violentas, enquanto Anne também não teve medo de devolver os socos, imobilizar o adversário e buscar finalizar. 

Motivação
Ela venceu a luta, mas para Anne isso será bem mais que um dado no seu currículo. “Essa vitória vem mostrar para todo mundo que foi contra, que me criticou, que eu vim pra lutar de verdade, não vim pra querer aparecer, que o esporte é o que eu amo fazer, e vim aqui para mostrar isso, de verdade”.

Para ela, que saiu bem machucada - e feliz - do octógono, a dificuldade do seu primeiro combate no MMA a fortalece para os próximos. “Eu sei que cada luta vai ser dura, mas eu vou treinar bastante para da próxima estar mais preparada porque tive cerca de trinta dias somente para me preparar para essa luta, pouco tempo, e eu não tinha boxe, não treinava, só tinha o jiu-jítsu mesmo, então é claro que ele estava mais preparado do que eu no boxe, mas eu fui confiante no meu jiu-jítsu, em derrubar, botar pra baixo, e foi o que me trouxe a vitória”.


Seu adversário, Raílson, disse que, apesar da derrota, está feliz pelo momento que vive. “Essa luta foi histórica, nunca vai sair do hall da fama do MMA, e acho que meu pulo foi alto porque saiu notícia sobre a luta em vários países, França, Estados Unidos, e eu fui guerreiro, ela também, seguramos lá em cima de igual pra igual”, disse.

E, se o confronto entre os dois foi uma verdadeira guerra, nos bastidores,só há paz. “No octógono é uma coisa, aqui fora é outra. Fizemos uma amizade bacana, eu e ela, sempre tiramos brincadeira aqui e ali, e que venham sempre eventos maiores para participar. Por causa dela, subi mais um pouco, e tô um pouco conhecido já (risos)”, disse Raílson. 

Ele também afirma que respeita Anne de duas formas diferentes. “Como atleta, respeito como ‘ele’, mas em relação à personalidade, trato ‘ela’ como uma mulher”, disse. Já, Anne, dá mais um recado às pessoas que não a tratam com o mesmo respeito. “Tô nem ligando para as críticas que fazem,  não tô nem aí. Amo o que eu faço e faço com amor, com gosto”.

Disputas pelos cinturões também agitam o Mr. Cage

Na batalha feminina pelo Cinturão Peso Palha, Ketlen “Esquentadinha” levou a melhor contra Andreia Cerdeira, aplicando um nocaute técnico logo no primeiro round. Após a luta, Ketlen destacou que sempre confia muito em si mesma, e não importa o que digam para provocar. “Desde a pesagem, estavam falando que eu ia perder fácil, mas não é assim, treino com homem, tenho que apanhar para chegar em cima do octógono e não perder e, assim, a Andreia é muito boa, mas, pra mim, ela é sem combate porque eu confio em mim. Sou humilde, mas sou mais eu”, disse.

A luta feminina foi rápida, e a masculina pelo cinturão foi somente até o segundo round. Isso porque Luiz Henrique “Frankenstein” aplicou um chute frontal e várias cotoveladas que não deram alternativa a Otávio “Javali”, se não, desistir da luta. Assim, o ex-UFC agora é o detentor do Cinturão Meio Pesado do Mr. Cage. “É o início do meu retorno, minha equipe nunca deixou de acreditar em mim, e o próximo passo para meu recomeço é continuar treinando muito, conquistar cinturões em outros eventos grandes pelo Brasil e, daqui pro final do ano, ou talvez no ano que vem, retornar ao UFC”, afirmou o lutador.


Outra luta que chamou a atenção foi a primeira do card principal - a vitória por nocaute técnico de Caio Parangolé sobre Roberto Clark. “Minha experiência foi fundamental, estava bem preparado, e sabia que não passaria do segundo round”, disse ele.

MR. CAGE 34 - DIA 10 DE MARÇO

RESULTADOS

Main event

Disputa cinturão 93kg

Luiz Henrique “Frankstein” venceu Otavio “javali” por desistência.

Co-main event

Disputa Cinturão 52 kg

 Ketlen Esquentadinha venceu  Andreia Cerdeira por nocaute técnico.

Até 52kg

Manaus  Coari

Anne Veriato venceu  Railson Paixão por decisão unânime.

Até 84kg

Caio parangolé venceu  Roberto clark por nocaute técnico.
Até 71 kg

Marcelino Cavalcante venceu Jordan Rocha por decisão unânime.

Até 61kg

Manaus  Coari

Jr. Bokita venceu  Sidoclay Torres por nocaute técnico.

Ate 71 kg

Maues  Manaus

Samuel Black venceu  Hidel Souza por nocaute técnico.

Até 66 kg

Max Herrera venceu  Antônio soldado  por decisão unânime.

Ate 66 kg

Diego Pereira venceu  Douglas passo por nocaute técnico.

Até 57 kg

Willy Saraiva venceu Derik Rocha por decisão unânime.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.