Publicidade
Esportes
Halterofilismo

Atletas amazonenses do Halterofilismo são convocados para treinos e avaliações em SP

Os amazonenses foram convocados pelo comitê paralímpico, e a programação de treinos e testes acontecerá entre os dias 1° a 8 de março 14/02/2017 às 06:08
Show  mcn0726
Atletas do halterofilismo integrarão Seleção Brasileira Paralímpica de Jovens. (Foto: Mauro Neto/Sejel)
a crítica.com Manaus (AM)

Duas jovens promessas do paradesporto brasileiro sairão de Manaus para integrar a Seleção Brasileira Paralímpica de Jovens. Convocados pelo Comitê Paralímpico, Lucas Santos, 15, e Vitor Afonso, 19, estarão participando da 1ª Fase de Treinamentos e Avaliações 2017, na cidade de São Paulo, de 1º a 8 de março, e vão mostrar a força do Amazonas no halterofilismo.

A porta de entrada para a Seleção começou, para os dois, por acaso, e em menos de dois anos de vida no paradesporto. Diagnosticados com deficiência física desde o nascimento, os atletas buscaram ao máximo levar uma vida saudável. Enquanto Vitor nasceu com epifisiólise - deslizamento do fêmur com a bacia – que passou a se agravar a partir dos 12 anos, Lucas Santos nasceu com osteomielite neonatal – infecção no fêmur que implicou no crescimento do osso da perna direita.

“Ela (epifisiólise) veio de nascimento e se gravou quando tinha 12 anos de idade. Isso ocorreu por conta do crescimento e o meu fêmur não desenvolveu. Já fiz natação quando criança e futebol, aí depois, com 15 anos entrei para a academia. E Já estou há um ano e quatro meses treinando na Vila. Sempre gostei do levantamento de peso e quando descobri que a Vila oferecia esse suporte passei praticar”, comentou o Vitor, que possui um segundo lugar no Norte-Nordeste de atletismo e o um quarto lugar no Brasileiro, ambos ano passado, e é o segundo do ranking nacional da categoria abaixo de 107 kg e recordista juvenil.

Superando os desafios desde uma infeção no fêmur, que o impossibilitou de desenvolver a perna direita, Lucas não desanimou e hoje leva uma vida cheia de afazeres. “Sempre fiz esporte. Já fiz academia e estou treinando na Vila há menos de um ano. Já participei de três campeonatos, um brasileiro e um regional. Já ganhei duas medalhas, sendo um segundo lugar no Brasileiro ano passado”, disse o atleta.

Oportunidade

Atletas ficaram superanimados com a notícia da convocação. (Foto: Mauro Neto/Sejel)

O resultado de destaque da dupla nas disputas rendeu uma oportunidade de integrar a seleção. Felizes com a convocação do Comitê, o sonho dos paratletas de estarem numa Paralimpíadas ficou menos distante. “Esperava mais ou menos ser convocado. Algumas pessoas falavam que eu poderia estar na seleção, mas não fiquei esperando. Agora estou feliz e com muita expectativa. É apenas o início para uma vaga nas Paralimpíadas”, comemorou Lucas. O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), apoia os paratletas.

Surpreso com a convocação, Vitor nunca desconfiou que o trabalho pesado nos treinos quase diários na Vila Olímpica iriam lhe render uma convocação. “Mesmo com o meu desempenho não esperava ser convocado e isso mostra que tenho muito a dar para eles. Só não imaginava quer seria tão rápido. Quando chegou a convocação não acreditei”, disse o atleta, ainda surpreso. “Estava ciente que teria uma convocação, mas em nenhum momento pensei que meu nome estaria na lista. Meu foco é 2020. Estarei lá”, concretizou.

Para o presidente da Federação de Esportes Paralímpicos do Amazonas (Fepam), Getúlio Filho, a convocação honrou o trabalho da dupla. “É fruto do trabalho realizado dos treinadores, mas principalmente da dedicação deles. Nós já tínhamos uma esperança de futuramente eles darem resultados. Ano passado, logo nas disputas regionais, já trouxeram medalhas e isso sempre gera expectativa. Agora eles estão na seleção de jovens que é um momento único para o Amazonas”, explicou.

 

Publicidade
Publicidade