Publicidade
Esportes
Craque

Atletas de fora

300 atletas e para-atletas participam do CTARA. O número de atletas de fora soma 9, sendo 4 de Roraima, 4 do Pará e um de São Paulo. 26/03/2013 às 20:17
Show 1
Atletas de outros estados treinam no Centro de Alto Rendimento da Amazônia em Manaus
Aline Cabral Manaus (AM)

Eles estão longe de tudo, da família, dos amigos, do seu Estado e costumes e vieram para Manaus com um objetivo: ser profissionais do esporte. Eles foram acolhidos como irmãos conterrâneos e recebem a mesmo apoio que os atletas locais.

Kário Taynan,18, Erique Reinaldo, 25, Hyago Rodrigues, 20 e Raone Arruda, 17 tiveram de Estados próximos como o Pará e Roraima para tentar a vida em Manaus nos ringues de boxe. Atualmente eles treinam no Centro de Alto Rendimento (CTARA), na Av. Pedro Teixeira, 400, Dom Pedro, na Vila Olímpica de Manaus.

“Ficar longe da família não é fácil. Deixei minha mãe e meu filho de quatro anos para lutar pelo meu sonho. E aqui é um dos pólos mais reconhecidos do Brasil e apesar da saudade sinto que nós de fora somos bem recebidos e recebemos o mesmo apoio dos atletas daqui, não há diferença, dá oportunidade”, declarou o atleta Erique Reinaldo da Silva Lima, 25.

O atleta tem 15 anos de boxe praticados em Belém do Pará e conseguiu o intercâmbio e acolhimento no CTARA tem apenas três meses. Erique é o mais velho da turma que veio de fora e está alojada no hotel da Vila Olímpica.

Lá eles se dividem na limpeza do ambiente e aceitam a hora dos estudos e momento de descanso de cada um.  “Cada um faz um esforço para nos mantermos como uma família mesmo”, destacou ele.


Roraimenses

Kário Taynar Brown, 18, Hyago Rodrigues, 20 e Raone Arruda, 17, vieram de Roraima e estão há duas semanas na capital. Os três rapazes também treinam no centro de boxe na Vila e largaram tudo para lutarem pelo sonho. Eles acordam às 6h para treinar boxe durante 4 horas e a tarde tem mais 4 horas de treinos pesados. Os atletas de fora não se intimidam com tanto treinam e acham que tudo vale à pena.

“É mesmo uma oportunidade única para nós, principalmente porque estamos lutando pelo sonho e ele pode ser realizado aqui em Manaus que dá chance para os atletas. Acho muito legal eles expandirem oportunidade para quem vem de outra região”, disse Hyago Rodrigues, 20.


Para Carlos Fiola, treinador e professor de boxe, o centro de Alto Rendimento é um dos melhores do Brasil. “Hoje o Amazonas é referência no pólo de boxe. Antigamente não tínhamos tradição, mas buscamos melhorias. Hoje o trabalho da secretária Alessandra Campelo está sendo reconhecido, pois ela oferece os instrumentos necessários para termos atletas de ponta. Temos oportunidades para todos não só os atletas daqui como os dos outros estados”, afirmou o professor.

Roraimense

Kário Taynan Brown, filho de pai guionês, é natural de Pacaraima, Roraima. Ele foi indicado pelo seu professor de boxe, e perdeu o campeonato Brasileiro em 2012, em Palmas. No mesmo período perdeu o pai. E foi no boxe que se segurou nessa hora.

O menino de 18 anos conseguiu vir para Manaus há duas semanas e nunca teve uma experiência de ficar tanto tempo sozinho.

“Morava com minha mãe e é muito doloroso deixar ela lá, pois sinto muitas saudades e tendo relevar na internet ou no celular. Mas para superar meus desafios na vida tive que agarrar o esporte e o boxe me dá forças para isso”, declarou o atleta.

Publicidade
Publicidade