Publicidade
Esportes
NA PISTA

Atletas do Amazonas conquistam três medalhas de ouro em circuito de atletismo

Matheus Laborda, Temístocles Paraiso e Renata do Vale garantiram as vitórias. Evento aconteceu no último final de semana, no Rio Grande do Norte 10/05/2018 às 16:07
Show sem t tulo
(Mauro Neto/Sejel e Heberth Gaúcho/Sejel)
acritica.com Manaus (AM)

Atletas da Federação Desportiva de Atletismo do Estado do Amazonas (Fedaeam) conquistaram três medalhas de ouro e uma de prata no Troféu Norte Nordeste CAIXA de Atletismo, realizado no último final de semana, em Natal, Rio Grande do Norte. A comissão, formada por seis atletas e um técnico, João Monteiro, contou com o apoio da Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel).

As medalhas de ouro vieram com o atleta Matheus Laborda, 1º lugar no lançamento de martelo à distância de 44,89m, Temístocles Paraiso, Lançamento do Dardo (57,29m) e Renata do Vale, Salto triplo (11,78m). A atleta Leila Maciel, da Escola CMPM IV, teve a segunda melhor marca no salto em altura (1,45m) e conquistou a prata.

Treinando desde os 12 anos de idade na Vila Olímpica de Manaus, Renata, hoje com 17 anos, soma muitas vitórias no currículo, mas destacou que não estava muito segura neste Norte Nordeste. “Eu nunca tinha participado do Circuito Caixa Norte Nordeste. Participei dos Jogos Escolares da Juventude ano passado onde fui bem, mas este Circuito, foi surpresa para mim porque eu não estava em um bom momento. Mas eu me esforcei e deu certo. Estou muito satisfeita com isso, afinal, minha primeira vez e já sair com ouro é um motivo muito bom para estar feliz”, comentou.

A equipe amazonense, levando em consideração o número de atletas e os resultados obtidos, teve grande porcentagem de aproveitamento, segundo o Técnico João Monteiro. “Estive com eles todo o tempo durante a competição, dando todo o suporte necessário, fazendo ajustes e foi muito bom. A equipe foi analisada entre os técnicos e com o número de atletas e os seus resultados, foi uma das maiores de nível técnico, com 75% de aproveitamento e a que mais produziu. Para mim, isso é motivo de orgulho e demonstração do quanto o atletismo tem para dar ao Estado”, pontuou João.

Publicidade
Publicidade