Terça-feira, 12 de Novembro de 2019
Vagas redistribuídas

Atletas russos são impedidos de ir aos Jogos Paralímpicos e vagas serão redistribuídas

Hoje o Tribunal Arbitral do Esporte rejeitou um recurso do Comitê Paralímpico da Rússia. A exclusão deles da Paralimpíada se deu por envolvimento com doping



2016-08-23t113332z_782754702_s1betxbvuyaa_rtrmadp_3_paralympics-rio-russia-cas.jpg Os atletas paralímpicos russos não participarão dos Jogos do Rio (Reuters/Alexander Demianchuk/Direitos Reservados)
23/08/2016 às 17:30

As 267 vagas conquistadas por atletas russos, que foram impedidos de participar dos Jogos Paralímpicos do Rio, serão redistribuídas pelo Comitê Paralímpico Internacional entre outras federações nacionais. Hoje, o Tribunal Arbitral do Esporte rejeitou pedido do Comitê Paralímpico da Rússia e, assim, os atletas daquele país não participarão dos Jogos Paralímpicos de 2016, no Rio de janeiro. A exclusão deles Paralimpíada, por envolvimento com doping, já havia sido anunciada pelo Comitê Paralímpico Internacional no início do mês.

O presidente do Comitê Paralímpico Internacional, Philip Craven, disse que hoje é um dia triste para o movimento paralímpico, mas acredita que seja também um novo começo. “A decisão de hoje reforça nossa forte crença que o doping não tem absolutamente lugar nenhum no esporte paralímpico, e melhora ainda mais nossa capacidade para garantir competição justa e condições iguais para todos os para atletas ao redor do mundo”, ressaltou, em nota.



Vantagem para o Brasil

A exclusão da Rússia pode ajudar a melhorar a colocação do Brasil nos Jogos Paralímpicos. Na Paralimpíada de Londres, em 2012, a Rússia ficou em 2º lugar na classificação geral, com 102 medalhas no total, sendo 36 de ouro, 38 de prata e 28 de bronze. O Brasil ficou em 7º lugar, com 43 medalhas no total (21 de ouro, 14 de prata e oito de bronze).

Para o Presidente da Confederação Brasileira de Desportos de Deficientes Visuais (CBDV), Sandro Laina, o banimento da Rússia deve contribuir para que o Brasil atinja a meta de ficar em 5º lugar na Paralimpíada. “As medalhas da Rússia devem se diluir, e acredito que o Brasil herde algumas delas, o que vai nos ajudar a chegar um pouco mais longe, visto que a Rússia estava na nossa frente”, diz. Ele destaca que, no goalball feminino, a equipe russa é a atual campeã mundial e a saída do país da competição pode favorecer a seleção brasileira. “Seria menos uma grande equipe com quem a gente teria que disputar”, disse.

Neste ano, o Brasil terá a maior delegação da história em Jogos Paralímpicos: serão 279 atletas, sendo 181 homens e 98 mulheres, além de 23 acompanhantes (atletas-guia, calheiros e goleiros) e 195 profissionais técnicos, administrativos e de saúde. Os Jogos Paralímpicos 2016 serão transmitidos pela TV Brasil, em parceria com emissoras da Rede Pública de Televisão dos estados.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.