Publicidade
Esportes
Craque

Barba, cabelo e 'juba': Fast Clube vence o Nacional no clássico Pai-Filho pelo infantil e juvenil

Categorias de base do Tricolor voltam a mostrar sua força e batem os times Sub-16 e Sub-18 do Leão da Vila Municipal em pleno CT Barbosa Filho. Juvenis do Rolo Compressor assumem liderança isolada enquanto os infantis do FAst deixam a lanterna 30/09/2015 às 21:37
Show 1
Garotada da base do Tricolor fez a festa no CT Barbosa Filho ao vencer o infantil e o juvenil do Nacional.
Denir Simplício Manaus (AM)

Um dia de glória para os garotos do Fast Clube. Assim como Daniel na cova dos Leões, o Tricolor saiu vitorioso do CT Barbosa Filho - casa do Leão da Vila Municipal - na tarde de ontem, ao bater as equipes infantil e juvenil do Nacional.

Para o time Sub-18 do Rolo Compressor os 3 a 0 sobre o Naça significou a liderança isolada do Campeonato Amazonense Juvenil 2015. Já para a equipe infantil do Tricolor o triunfo em cima dos nacionalinos serviu como alívio. Foi a primeira vitória do Rolo Compressor Sub-16 e a fuga da lanterna da competição.

Passeio Tricolor

Já está virando rotina os garotos das divisões de base do Fast Clube vencerem o Nacional. Foi assim no Barezinho deste ano, em que os Juniores do Rolo Compressor simplesmente “atropelaram” o Leão da Vila.

O clássico Pai-Filho entre os juvenis segue o mesmo roteiro. O Fast partiu pra cima do Naça desde o início do jogo. Sob o comando do técnico Rivaldo, o Tricolor sufocou o Leão no CT Barbosa Filho. A pressão surtiu efeito aos 19 minutos, quando Juninho abriu o placar com belo chute de fora da área. 

A equipe treinada pelo ex-goleiro Naílton parecia nervosa depois de perder a invencibilidade para o Sul América na última rodada e errava muitos passes. Nem o “puxão de orelhas” no intervalo surtiu efeito, ainda mais com o segundo gol do Fast, logo a um minuto do segundo tempo. Juninho aproveitou bobeira da zaga nacionalina e marcou o segundo dele na partida.


O Naça sentiu o golpe e não se achava em campo. Da janela de sua sala no CT Barbosa Filho, o coordenador das categorias de base do Nacional, Aderbal Lana, tentava “apoiar” os garotos do Naça, que batiam cabeça na defesa. O golpe fatal no Leão veio pelos pés de Matheusinho, aos 36 minutos da etapa final. O camisa 20 do Fast arrancou pela direita, invadiu a área e tocou na saída do goleiro. Fim de papo: 3 a 0 para o Rolo Compressor.

“O Fast se comportou do jeito que nós pedimos nos treinamentos e estamos engrenando essa equipe”, disse o técnico Rivaldo, feliz pela quarta vitória do Fast no torneio. Em contrapartida o treinado Naílton não aceitava a forma como o time perdeu. “Nós tivemos duas derrotas aí que, praticamente, aceitamos a derrota e da forma que foi... jogando dentro de casa. Mas conversei com eles e disse que só eles podem sair dessa situação”, finalizou.  

Barba, cabelo e “juba” de Leão

O clássico infantil Pai-Filho  foi um “jogaço”. De um lado o Nacional, que vinha de duas vitórias seguidas, e tentava encostar na parte de cima da tabela. Do outro, o Fast, que era o lanterna do campeonato, somando apenas um ponto em cinco jogos. Moleza pro Leão, certo? Errado.

Depois de ser o saco de pancadas do Infantil 2015 nas quatro primeiras rodadas, a diretoria fastiana trocou a experiência dos irmãos Benarrós pela juventude do técnico Sandro dos Santos. A mudança surtiu efeito e depois de empatar com o Operário na última rodada, o Tricolor Sub-16 desencantou e venceu a primeira na competição.


Com gols de Matheus Pinheiro, aos 10 minutos do primeiro tempo e dois tentos de Carlos Vinicius, aos 5 e aos 31, da segunda etapa (Antônio Henrique, aos 11; e Lucas Rosas, aos 35, do 2º tempo diminuíram), os garotos do infantil do Fast Clube fizeram a festa na casa do Leão.

Com a vitória o Tricolor deixou a lanterna nas mãos do ASA e saltou pra oitava posição no campeonato. 


Publicidade
Publicidade