Terça-feira, 16 de Julho de 2019
Invicta

Bárbara fala sobre trabalho intenso das goleiras da Seleção Brasileira

A goleira Bárbara ainda não sofreu um gol sequer na Copa Caixa. Ela fala sobre o novo momento da equipe



zCR0313-01_p01.jpg A goleira tem treinos intensos antes de depois dos jogos (Foto: Aguilar Abecassis)
13/12/2016 às 05:00

Dois jogos, dez gols marcados e nenhum sofrido. Esses são os números da Seleção Brasileira na Copa Caixa de Seleções. E no dia seguinte ao jogo, as titulares fizeram apenas trabalho na academia e relaxamento. A única que trabalhou integralmente na tarde de ontem (12) no estádio Carlos Zamith, Zona Leste de Manaus, foi a goleira Bárbara. Aliás, se nos jogos, a arqueira de 28 anos quase não tem sido exigida, nos treinos o preparador  Izaque José Rodrigues, tenta tirar o máximo da jogadora.

“Logo quando saiu a comissão técnica, eu sabia que a Emily seria a treinadora, mas não sabia da comissão dela. Eu  estava em um evento com a Maurine, a Formiga e a Thaísa quando saiu de fato a comissão e a Maurine falou pra mim ‘é goleira, você que gosta de trabalhar está bem servida porque o preparador de golerio não dá espaço’, e para mim foi uma surpresa porque a gente queria trabalhar mais, mais e mais e às vezes o período era curto. Não tinha como dar treino e no primeiro contato foi bom”, disse a goleira. 

Tanto trabalho resultou em uma evolução em pouco tempo. “A gente teve pouco tempo de convívio, mas o pouco tempo, a gente vem comentando, é um treino muito bom e especificamente de goleiro evoluiu bastante. Em poucos dias, poucas semanas, a gente viu que evoluiu bastante”, disse a goleira.

Sem levar gols até agora, Bárbara acredita que contra a Itália, será o jogo mais difícil da competição.
“Entre os dois jogos que a gente teve vai ser o jogo mais difícil. Elas jogam muito fechadas e vêm estudando bastante o nosso jogo, mas creio que a comissão está estudando elas para que possamos combatê-las e sair com a vitória”, avaliou.

O Brasil joga por dois empates para levantar a taça e parte desse objetivo passa por não levar gols, mas Bárbara não sente o peso no gol. “Não vamos colocar essa responsabilidade em cima de mim. Já basta essa responsabilidade que foi nas Olimpíadas, mas agora acho que está sendo bem divido, tanto eu jogando ali atrás como as meninas na frente. Mas eu apesar de não ter feito muitas defesas, estou me sentindo bem, me sentindo leve”, confessou.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.