Publicidade
Esportes
One Championship

Na China, Bibiano Fernandes fará sua sexta defesa de cinturão neste sábado (5)

Aos 37 anos, amazonense tenta manter seu reinado contra um adversário 10 anos mais novo, em Macau, e garante que idade não será problema 03/08/2017 às 20:29 - Atualizado em 03/08/2017 às 20:29
Show china
(Foto: Divulgação One Championship)
Camila Leonel Manaus (AM)

Bibiano Fernandes entra na jaula do One Championship na manhã deste sábado (5), a partir das 5h30 da manhã (horário de Manaus) para mais um desafio na sua carreira. O campeão do peso galo vai para a sua sexta defesa de cinturão contra o norte-americano Andrew Leone na luta principal do One: Reis e Conquistadores, em Macau, na China. Mas qual é o desafio  para lutador que aos 37 anos já varreu a categoria no evento, está há 1.385 dias como campeão e detém o recorde de defesas de título do torneio?

De acordo com Fernandes, que falou com o CRAQUE na semana que antecede o combate, o segredo é se manter focado como se fosse lutar a primeira vez. Isso é fundamental para continuar em grande forma aos 37 anos de idade. “Mesmo com o passar dos anos, eu sempre tenho dentro de mim a chama para lutar. Quando isso apagar, eu vou parar de lutar. Sou um guerreiro por natureza, um guerreiro manauara, e a vontade de lutar é sempre muito grande. Estou muito empolgado para defender meu título e representar bem o Brasil aqui do outro lado do mundo”, disse o lutador.

Detentor do cinturão do One desde 2013, Bibiano sabe da necessidade de estar preparado para a luta, para isso, durante o camping treinou mais uma vez com o campeão da categoria peso-mosca, do UFC, Demetrious Johnson.  “Fiz uma excelente preparação. Contei, mais uma vez, com a ajuda do Demetrious Johnson, campeão do UFC, e isso é sempre muito bem-vindo”, disse o lutador que também focou em saber os pontos fortes e fracos de seu adversário. “Estudei o jogo do meu oponente e sei tudo o que tenho que fazer para batê-lo. Será uma grande luta, e conto com a torcida de todo o Brasil, especialmente do Amazonas, para manter o topo da categoria”, completou.

Entre os estudos, Bibiano pode ter percebido que o nova-iorquino também domina a arte suave, onde tem a faixa-preta e tem como um dos pontos fortes o Muay Thai. O americano estreou no MMA em 2010 e tem o cartel de oito lutas e duas derrotas, mas uma lesão interrompeu a carreira de Leone, que após 17 meses de tratamento terá que lutar contra um adversário que não perde desde 2010.

A maioria das lutas vencidas por Andrewe Leone foram por decisão. Das oito lutas que venceu, seis foram por decisão. O lutador possui trocação forte vindo do muay thai, porém as duas derrotas na carreira foram por finalização e a luta no chão é um dos pontos fortes de Bibiano.
Mas o brasileiro não tem o apelido de The Flash à toa. Rápido e preciso, Bibiano tem um estilo de luta forte tanto no chão quanto em pé.

“Meu adversário é um cara duro, explosivo, mais novo. Mas eu me sinto um menino nos treinamentos e nas lutas. A preparação física é um dos meus pontos fortes na luta, e tenho certeza que a experiência está ao meu lado nessa luta”, declarou.

Se sentindo em casa

O amazonense lutará em Macau, uma das regiões administrativas da China, que foi colonizada por Portugal. Um dos efeitos da colonização é o idioma falado na cidade: o português e essa familiaridade, para Bibiano, pode ser um trunfo para atrair a simpatia e a torcida dos habitantes de Macau. “Estou me sentindo em casa. Sempre quis lutar e conhecer Macau, até pelo fato de que, por aqui, também o idioma oficial é o português. Isso tem me ajudado muito no convívio por aqui, além da identificação com os fãs locais. Imagino que terei a torcida ao meu favor na arena (risos)”, finalizou.

Publicidade
Publicidade