Publicidade
Esportes
JANELA

Bicampeão, Guerreirinhos exporta craques categoria infantil do Peladão para o mundo

Bicampeão da modalidade, Guerreirinhos usa a disputa para amadurecer atletas e prepará-los para brilhar longe de casa 15/09/2017 às 08:43 - Atualizado em 15/09/2017 às 08:44
Show zpel0615 01f
Dupla de zaga formada por Ryan Matheus e Caio Henrique brilhou nos títulos do Guerreirinhos. Jogadores fizeram testes na base do Fluminense e já tem data marcada para nova passagem pelo clube das Laranjeiras. (Foto: Gilson Melo)
Valter Cardoso Manaus

Faltam duas semanas para o início da categoria infantil do Peladão, mas a ansiedade já é grande entre os jogadores. O motivo é compreensível: com até 14 anos, os pequenos jogadores vão entrar em campo em uma competição que pode mudar toda a sua carreira.

“De um tempo para cá, o Peladinho se tornou o maior e melhor campeonato para a idade deles. Hoje, preparamos o ano inteiro para jogar esta competição. A partir de um momento, ela evoluiu tanto que a maioria dos atletas que se destacam e chegam as finais, são levados para fora. Não só da nossa escola, mas de outras também”, explicou o técnico do time do Guerreirinhos, Jairo Seixas.

O time é atual bicampeão da categoria e tem acompanhado de perto o amadurecimento de jogadores durante o Peladinho, que abre portas para voos mais altos.

“O Peladinho é a principal categoria para esta categoria. Em 2015, quando fomos campeões, tivemos o Michel que se destacou e hoje joga no Tigres, do Rio de Janeiro. Temos o Bruno, que treinava conosco e hoje é titular do Fluminense. O Adson que jogou conosco está no Tigres também. Do ano passado, temos o Danilo e Felipinho que jogam no Fluminense, Rodrigo que joga também no Tigres. Então é uma vitrine, o atleta sai daqui para fazer intercâmbio e tem também chance em clubes de fora”, explicou o coordenador técnico do time.  

Europa

Além dos jogadores que começam a brilhar no futebol  brasileiro, tem que craque até percorrendo caminhos internacionais. Marcos Cordeiro foi bicampeão com a camisa do clube e agora faz testes na base da Roma, na Itália.  Os exemplos servem de motivação para os atletas que vão disputar o campeonato.

“É um campeonato muito visto, sempre tem a oportunidade de olheiros que vem de fora. Se nos destacarmos, com certeza, com experiência e tudo que já ganhamos, podemos ganhar uma chance como já deram para os meninos”, explicou, Caio Henrique, zagueiro de apenas 14 anos, que já fez testes na base do Fluminense e tem nova viagem ao clube prevista para novembro, junto com o companheiro de zaga do último título do Guerreirinhos, Ryan Matheus, que destacou a importância do Peladinho neste processo.

 “Foi uma experiência muito boa. Ajudou bastante, quando estava lá, a não ficar nervoso”, resumiu o potencial novo craque amazonense a brilhar nos campos do Brasil.

Publicidade
Publicidade