Publicidade
Esportes
Craque

Botafogo tenta fugir da ‘degola’ em jogos no Rio pra voltar tranquilo a Manaus

Depois de mais uma derrota no Brasileirão o Alvinegro terá de somar 12 pontos nos seis últimos confrontos no campeonato para não cair. Partidas no Rio são aposta da diretoria, mas Manaus ainda pode ser palco do último e decisivo “jogo da salvação” 03/11/2014 às 11:16
Show 1
Os alvinegros mostraram poder de superação em Manaus
Denir Simplício Manaus (AM)

O Botafogo mais do que nunca terá de “incendiar” a equipe em busca de resultados positivos na reta final do Brasileirão. Após a 17ª derrota no torneio, ocorrida neste domingo (2), frente ao líder Cruzeiro, no Mineirão, o clube carioca terá de vencer ao menos quatro dos próximos seis duelos na competição. Sem local confirmado para os duelos contra Figueirense e Atlético-MG, a Arena da Amazônia é cogitada para ser palco do jogo que poderá manter o time na Série A.

Com 33 pontos em 32 jogos no campeonato, o “Glorioso” (apelido do clube) terá de realizar uma campanha digna de campeão brasileiro. O time terá de somar 12 pontos em seis rodadas para se livrar da degola, tendo que obter um aproveitamento de 66%, igual ao do líder Cruzeiro.  

No entanto, os números mostram uma realidade cruel à equipe alvinegra: nos últimos seis duelos da equipe no torneio, o time somou apenas 7 pontos. Sendo que venceu duas vezes, empatou uma, e perdeu em três ocasiões. Caso essa campanha se repita até o fim do Brasileirão, o Botafogo terminaria o campeonato com apenas 40 pontos. O que de acordo com os matemáticos, não seria suficiente para manter o time na elite do futebol nacional.

"A situação é delicada, o ano não é fácil, mas precisamos lutar para conseguir estes pontos. Não podemos nos entregar. A situação é desesperadora, mas o campeonato ainda está aberto", avaliou o técnico Vagner Mancini, que foi expulso durante o duelo contra os mineiros na tarde deste domingo, no Mineirão.

Vencer no Rio e voltar a atuar em Manaus

Acreditando numa boa sequência atuando no Rio de Janeiro, o Botafogo aposta todas as suas fichas na recuperação diante de seus torcedores. Nas três próximas rodadas, o time enfrentará Atlético-PR, no estádio Raulino de Oliveira, em Volta Redonda. Depois o Glorioso pega o Fluminense, no Maracanã, e fecha a série contra o Figueirense, ainda sem local definido.

Em conversa com reportagem do Portal ACritica.com, o diretor de futebol do Botafogo, Wilson Gottardo, reafirmou a vontade da equipe retornar a Manaus para mais uma partida do Brasileirão. “Nossa vontade é de voltar. Fomos muito bem recebidos pelo povo de Manaus e conseguimos duas vitórias importantes jogando na Arena. Mas não depende somente da gente. Temos de ver o interesse do grupo de investimentos no jogo”, explicou.


Gottardo descartou a vinda do jogo contra o Figueirense para Manaus por conta do alto investimento e da pouca visibilidade do adversário, que poderia não trazer um bom público. Mas deixou uma dúvida positiva quanto ao confronto contra o Galo (apelido do Atlético-MG), no estádio amazonense.

“Temos o jogo com o Figueirense que comercialmente não parece interessante. E tem o jogo contra o Atlético Mineiro que é o último e decisivo. O Atlético ainda pode estar brigando por Libertadores - pois está em duas frentes. Também está na Copa do Brasil. Quem sabe nós joguemos essa última partida lá (Arena da Amazônia). Mas no momento a possibilidade é zero, não tem nada em vista ainda”, desconversou o diretor do Botafogo.

Após a série de jogos do Rio, o Botafogo terá pela frente dois jogos fora de casa contra Chapecoense, na Arena Condá, e Santos, na Vila Belmiro. Para fechar sua participação no campeonato, o Glorioso enfrenta o Atlético-MG na última rodada do Brasileirão. Esse duelo, ainda sem estádio definido, pode ser o jogo da salvação ou da degola do clube de General Severiano.

“Queremos mesmo é estar livre de qualquer possibilidade de queda. Talvez o Atlético esteja classificado pra Libertadores e venha mais aliviado pro jogo contra a gente. Nós também poderemos estar fora dessa situação e seria um jogo mais tranquilo pra ambos”, finalizou Gottardo. 

Publicidade
Publicidade