Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2020
DE NOVO

Brasil apresenta candidatura para sediar Copa do Mundo feminina de 2023

A Fifa deverá escolher a sede da próxima Copa do Mundo feminina na reunião de seu Conselho, no início de junho de 2020 em Addis Abeba, capital da Etiópia



images__24__B3877EFF-AC1B-417F-B71A-D0952461D26C.jpg Foto: Reprodução / Internet
News thumb afp d084093c bf21 4ede 853c 0cfb6068260d AFP
16/12/2019 às 09:39

Quatro países apresentaram candidaturas para sediar a próxima Copa do Mundo, em 2023: Brasil, Colômbia, Japão e a candidatura conjunta entre Austrália e Nova Zelândia, anunciou a Fifa nesta sexta-feira.

"Estas quatro candidaturas foram apresentadas antes da data-limite de 13 de dezembro", escreveu a Fifa em comunicado.



"A Fifa colocará agora em prática um processo de avaliação, incluindo visitas de inspeção entre janeiro e fevereiro de 2020", concluiu a entidade.

A Fifa deverá escolher a sede da próxima Copa do Mundo feminina na reunião de seu Conselho, no início de junho de 2020 em Addis Abeba, capital da Etiópia.

A entidade que rege o futebol no mundo confirmou nesta sexta-feira a ampliação de 24 para 32 seleções na próxima Copa feminina, num momento em que o futebol feminino vem ganhando popularidade.


Mais de Acritica.com

20 Jan
trans_8C3DB8BB-BCF9-43E8-B068-3BED79D3DBF5.JPG

Mutirão retifica nomes e assegura identidade de travestis e transsexuais

20/01/2020 às 20:27

Como o procedimento feito diretamente no cartório não é tão simples (a lista de documentos exigidos é extensa) e nem sempre é barato (custa em média entre R$350 a R$ 400), a ação visa não somente facilitar a vida das pessoas transexuais que desejam alterar o nome e gênero de registro em sua documentação de nascimento, como também vai acompanhar e custear a certidão de tabelionato de protestos


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.