Publicidade
Esportes
JOGAÇO!

Brasil enfrenta melhor geração belga por vaga na semifinal da Copa da Rússia

Com retorno de Marcelo ao time titular, Seleção Brasileira encara nesta sexta-feira (06) a Bélgica, que tem elenco recheado de craques e busca revanche da eliminação de 2002 06/07/2018 às 07:07
Show aaa
Recuperado de lesão nas costas, Marcelo encara a Bélgica. Foto: ucas Figueiredo/CBF
Denir Simplício Manaus (AM)

Brasil e Bélgica se enfrentam nesta sexta-feira (06), às 14h (horário de Manaus), na Arena Kazan, prometendo fazer o jogo mais bonito da Copa do Mundo da Rússia. A expectativa em torno do  duelo válido pelas quartas de final é enorme não apenas pelo estilo de jogo ofensivo das duas equipes, mas também pela quantidade de estrelas nos times comandados por Tite e pelo espanhol Roberto Martínez.

Se de um lado o Brasil tem a fantástica linhagem  de Willian, Coutinho, Jesus e Neymar, a geração belga da vez tem De Bruyne, Hazard e Lukaku, num verdadeiro confronto galáctico por uma vaga nas semifinais da  Copa.

Feijoada x chocolate

No histórico do confronto entre brasileiros e belgas, vantagem é dos criadores da feijoada contra os reis do chocolate. São apenas 4 jogos, sendo que o primeiro duelo surpreendentemente aconteceu somente em 1963, e com “chocolate” dos belgas: 5 a 1 pra cima da Seleção. Dois anos depois, a revanche veio na mesma moeda: 5 a 0 pro Brasil. No terceiro amistoso entre as equipes, em 1988, mais um triunfo verde amarelo, dessa vez por 2 a 1.

Rivaldo marcou um dos gols contra a Bélgica na Copa de 2002 (Foto: Reprodução/internet)

Porém, o grande duelo entre Brasil e Bélgica aconteceu há 16 anos, na Copa da Coreia e Japão 2002. Válido pelas oitavas de final do Mundial, Rivaldo e Ronaldo selaram o destino de mais uma promissora geração belga e seguiram para o pentacampeonato, após bater o time do perigoso Wilmots por 2 a 0.

Revanche belga?

Se a atual geração belga pouco se lembra do fracasso na Coreia e Japão, para o zagueiro Kompany a lembrança do gol anulado contra o Brasil - Wilmots marcou de cabeça, mas o árbitro jamaicano Peter Prendergast viu falta em Roque Júnior - quando o jogo estava 0 a 0, em 2002, ainda está bastante viva.

“A única coisa que todos os belgas lembram é da cabeçada de Marc Wilmots e o que aconteceria se o gol não fosse anulado. É simplesmente isso”, disse o defensor, que na época tinha 16 anos.

Um verdadeiro abismo divide Brasil e Bélgica quando o assunto é Copas do Mundo. São cinco títulos mundiais contra um quarto lugar no México 1986.  Sabedor disso, o técnico Roberto Martínez elogiou bastante a Seleção Brasileira, mas apontou que a diferença básica entre as equipes está no histórico na competição.

Kompany guarda mágoa do revés contra o Brasil na Coréia/Japão (Foto: Fifa.com)

“Acho que a diferença é clara. As duas equipes são semelhantes em termos de qualidade. Temos talento na nossa seleção. A diferença é que nunca ganhamos uma Copa do Mundo. É simples. É uma vantagem que o Brasil tem. Eles já se livraram dessa barreira psicológica. Vamos respeitar o Brasil por tudo o que conquistaram. Mas vamos tentar vencer e aceitar o desafio. Além da técnica e da tática, eles têm a experiência de ter vencido uma Copa do Mundo”, disse o espanhol.

Marcelo vai pro jogo

Como de hábito, Tite divulgou um dia antes a escalação para o jogo, e o técnico confirmou o retorno de Marcelo à lateral esquerda. 

“Conversei com o Marcelo e o Filipe Luís. O Marcelo saiu por um problema clínico e não voltou no jogo seguinte por um problema físico, só poderia jogar de 45 a 60 minutos. O Filipe Luís jogou muito nos dois jogos, competem os dois, deixam a cabeça do homem um trevo. E por critério volta o Marcelo”, explicou o treinador prevendo uma grande partida contra a Bélgica.

Marcelo volta ao time canarinho na vaga de Filipe Luis (Foto: Lucas Figueiredo/CBF) 

“O poder criativo da Bélgica é muito forte, a qualidade, vai ser um grande jogo. São duas equipes que primam por um futebol bonito, cada um com suas características. A Bélgica tem valores individuais de qualidade, um grande técnico, uma grande campanha. Vai ser um grande jogo”, disse.

Fim da linha pra Danilo

Se Marcelo volta ao time canarinho contra a Bélgica, o lateral direito Danilo deu adeus à Copa. A péssima notícia da nova lesão do jogador  veio no início da noite de ontem e o jogador do Manchester City não joga mais pelo Brasil. Uma lesão no tornozelo esquerdo foi o corte do atleta, que permanecerá com o grupo.

Publicidade
Publicidade