Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2020
OUTRA COPA?

Brasil quer Copa do Mundo Feminina em 2023 e inclui Manaus como sede

Candidatura do Brasil contempla as oito cidades que sediaram a Copa do Mundo Masculina em 2014; Manaus também sediou jogos da Olimpíadas de 2016, inclusive da seleção brasileira



MARTA123_4827FEDB-2EF7-4103-803A-A01B9E9C522F.jpg (Foto: Evandro Seixas)
13/12/2019 às 16:43

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) entregou nesta quinta-feira, 12, na sede da FIFA em Zurique, os documentos que tornam oficial a candidatura do país a sediar a Copa do Mundo Feminina 2023. A proposta do Brasil prevê jogos em oito cidades distribuídas em todas as regiões do país, que também receberam jogos da Copa do Mundo de 2014. São elas: Manaus, Recife, Salvador, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo e Porto Alegre.

Sede de duas Copas do Mundo nos últimos cinco anos Copa do Mundo FIFA 2014 e Copa do Mundo Sub-17 FIFA 2019 o Brasil aposta nessas experiências bem sucedidas para convencer a entidade mundial a realizar o evento novamente no país. A infraestrutura a ser utilizada será a mesma já testada e aprovada nas grandes competições recentes.



Manaus, além de sediar jogos da Copa do Mundo Masculina de 2014, também sediou partidas de futebol feminino nas Olimpíadas de 2016 - inclusive um jogo da seleção brasileira. Com as principais estrelas poupadas por conta da classificação antecipada, o Brasil encarou a África do Sul na Arena da Amazônia e ficou no 0 a 0. Agora, o reencontro pode acontecer daqui a quatro anos. 

"A FIFA já demonstrou que confia na nossa capacidade de realizar eventos deste porte. Eu tenho repetido que a partir de agora a CBF será candidata a receber todas as grandes competições do futebol mundial, pois temos experiência e equipamentos comprovadamente de excelência. Sabemos que temos fortes concorrentes, mas acreditamos na possibilidade de termos mais uma Copa do Mundo no Brasil", ressalta Rogério Caboclo, Presidente da CBF.

Além dos oito estádios a serem indicados para realização da competição, o projeto brasileiro conta com o mapeamento de mais de 60 centros de treinamento, 1000 hotéis, além de estruturas em todas as cidades para realização de sorteios, workshops e eventos paralelos. A expectativa é que um evento deste porte gere cerca de 40 mil empregos diretos e indiretos.

A Copa do Mundo Feminina da FIFA 2023 contará com 32 seleções e seguirá o modelo atual da Copa do Mundo Masculina. A última edição na França foi a mais vista da história, quando cerca de 1,1 bilhão de espectadores acompanharam a cobertura no mundo inteiro.

Se na edição de 2015, no Canadá, a média de espectadores era de 8,3 milhões, no último ano chegou a 17,2 milhões de pessoas vendo cada jogo pela televisão. A destacar a participação da Seleção Brasileira nesses números: os quatro jogos realizados pela equipe estiveram entre as oito maiores audiências de toda a competição.

Concorrem com o Brasil para receber o Mundial a Colômbia, o Japão e a candidatura conjunta de Austrália e Nova Zelândia. Confira anexo os documentos entregues pela CBF à FIFA para oficializar a candidatura do Brasil.

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

20 Jan
trans_8C3DB8BB-BCF9-43E8-B068-3BED79D3DBF5.JPG

Mutirão retifica nomes e assegura identidade de travestis e transsexuais

20/01/2020 às 20:27

Como o procedimento feito diretamente no cartório não é tão simples (a lista de documentos exigidos é extensa) e nem sempre é barato (custa em média entre R$350 a R$ 400), a ação visa não somente facilitar a vida das pessoas transexuais que desejam alterar o nome e gênero de registro em sua documentação de nascimento, como também vai acompanhar e custear a certidão de tabelionato de protestos


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.