Publicidade
Esportes
Em busca do bi

Campeão com o Naça em 2015, Peter tenta repetir o feito na Arena

O lateral-direito do Leão reforça a equipe na decisão depois de ficar de fora na derrota no primeiro duelo com o Manaus FC; experiente, o jogador compara os elencos de 2015 e 2017 09/06/2017 às 15:58 - Atualizado em 09/06/2017 às 16:04
Show e2fe329f af1f 4122 a060 5fc0d8e3a4cf
Peter vai em busca do segundo título do Barezão com o Nacional (Foto: Márcio Silva)
Denir Simplício Manaus (AM)

Clima de tranquilidade na "Toca do Leão" na véspera da grande decisão do Campeonato Amazonense de 2017. Após a derrota frente ao Manaus FC no primeiro duelo das finais, o elenco do Nacional enfrentou o forte calor da manhã desta sexta-feira (9) no derradeiro treino antes da partida que decide o vencedor do Barezão na temporada.

Campeão com o Naça em 2015, o lateral-direito Peter, que reforça a equipe após a derrota por 1 a 0 para o Gavião no jogo de ida, falou sobre mais uma final na Arena da Amazônia.

"Final é sempre um jogo com uma responsabilidade muita grande. Sabemos que a equipe do Manaus é uma boa equipe, uma equipe bem treinada pelo seu treinador (Aderbal Lana), que teve passagem aqui, mas agora é descansar o máximo porque final de campeonato tem de estar com o máximo de energia para que você possa render muito bem no jogo", disse o jogador confirmando seu retorno e o do meia Charles e elogiando o trabalho do técnico Arthur Bernardes à frente do Leão.

Capitão do Naça na temporada, Peter quer o bi (Foto: Evandro Seixas)

"Tem a minha volta e a volta do Charles, mas em compensação a gente perde dois companheiros no ataque (Paulo Roberto e Hudson). O professor Arthur vem desempenhando um trabalho extraordinário, muita gente que está de fora às vezes o critica, mas é um cara que se o torcedor, ou até a imprensa mesmo vir aqui no dia a dia, vai ver que é um cara fenomenal e acho que merece esse título, não só ele, mas toda a equipe do Nacional", comentou o lateral pedindo apoio do torcedor nacionalino.

"Única coisa que peço é pra chamar o meu torcedor que é a maior torcida do Amazonas. Fazer com que eles compareçam na Arena e nos incentive o tempo todo, porque contra o Princesa foi provado que, com o apoio dele, nossa equipe fica mais forte", convocou Peter.

Naça de 2015 e o de 2017

Carioca, Peter dos Santos Barbosa Júnior, 33, esteve em campo com a camisa 2 do Nacional na espetacular campanha do Barezão de 2015, quando o Leão ficou 15 partidas invictas na competição. No fim, o título veio na Arena da Amazônia, onde o time nacionalino, com Aderbal Lana no comando, se sagrou como primeiro campeão no palco que recebeu a Copa do Mundo e a Rio 2016. Peter fez uma breve comparação sobre os times daquela temporada e da atual.

"Vou falar um negócio, se for para falar de vontade, a desse ano supera e vai além das expectativas. Esse ano a vontade da nossa equipe é muito grande, essa equipe aqui merece ser campeã, merece ser coroada com o título", afirmou o lateral elogiando também o time de 2015.

Peter foi campeão com o Naça em 2015 (Foto: Denir Simplício)

"A equipe de 2015 tinha uma qualidade muito grande. Não foi à toa que nós ficamos 15 jogos sem perder e ali mostrou que o Nacional naquele ano estava muito acima das outras equipes. Mas mesmo assim nós encontramos o Princesa numa final de campeonato, o Penarol numa semifinal que deu muito trabalho pra gente", relembra o jogador apontando as dificuldades do Leão na atual temporada.

"Esse ano as coisas no Nacional estão sendo todas com dificuldades. Até na nossa diretoria mesmo, muitas pessoas que poderiam estar do lado deles, hoje estão vendo talvez com outros olhos a questão da fartura. Em 2015 era muito farto, esse ano está mais seguro, mas acho que o título coroa todo um belo trabalho, tanto da diretoria como da comissão e jogadores", disse o campeão da Serie B de 2012 com o Goiás.

Por fim, Peter recordou do início o ano, quando o Leão caiu na Copa Verde e mais uma vez pediu para que a massa nacionalina confie na equipe.

"Acho que o torcedor do Nacional talvez lá no começo do ano, naquela Copa Verde, não acreditava na nossa equipe. Tenho certeza que hoje o torcedor acredita na nossa equipe e tenho certeza que ele vai comparecer em bom número no estádio. E quem sabe Papai do Céu possa nos abençoar com a vitória", concluiu o lateral do Naça. 

Publicidade
Publicidade