Publicidade
Esportes
Campeonato de SUP

1ª etapa do Campeonato Amazonense de SUP vai acontecer no dia 30 de abril

Primeira etapa da competição de Stand Up Paddle acontecerá na Rio Negro Challenge Amazônia, na Ponta Negra 08/02/2017 às 17:25
Show sup
Campeonato voltará em grande estilo, após um ano sem acontecer. Estão planejadas três etapas do campeonato amazonense da modalidade este ano. A primeira competição em abril, a segunda em julho e a terceira em setembro. (Foto: arquivo/A crítica)
Jéssica Santos Manaus (AM)

Vem aí a temporada 2017 de Stand Up Paddle, o tão querido SUP! A primeira competição da modalidade será realizada na praia da Ponta negra, dia 30 de abril, logo após a prova de natação em águas abertas Rio Negro Challenge Amazônia.

A ideia de unir SUP e natação surgiu em 2015. No festival aquático ‘100 anos do 1º BIS’, com competições dos dois esportes acontecendo na mesma manhã, o número de atletas participando e prestigiando as provas foi maior que o habitual, segundo o presidente da Federação Amazonense de SUP, Pablo Casado.

“Buscamos essa parceria com o Pierre Gadelha, da Aquática Amazonas, porque ele monta a raia para a competição de natação e também atrai público, então, vi como uma excelente oportunidade de colocarmos nossa competição de SUP para acontecer após a prova de maratona aquática; assim juntamos nossas forças, e os dois esportes crescem”, disse Pablo.

Pablo planeja fazer três etapas do campeonato amazonense da modalidade este ano, assim como aconteceu em 2014 e 2015. A primeira competição em abril, a segunda em julho e a terceira em setembro. “No ano passado não fizemos nenhuma prova porque não conseguimos o apoio de patrocinadores e também perdi meu pai, então fiquei sem cabeça para me dedicar aos campeonatos, mas este ano quero muito retomar tudo”, disse Casado.

O principal objetivo do Campeonato Amazonense de SUP é incentivar o crescimento do esporte no Amazonas. “Muita gente faz SUP só no sábado ou domingo, mas quero que essas pessoas também fiquem motivadas para competir, que venham treinar pelo menos três vezes por semana, porque dá tempo de fazer uma boa preparação. Eu tenho vinte pranchas no Tribal SUP que estarão disponíveis para aqueles que não têm a sua prancha e desejam participar do campeonato”, explicou Pablo.

Tudo pelo SUP

Pablo é Presidente da Federação Amazonense de SUP, atleta da modalidade e, ainda, instrutor de SUP. (Foto: arquivo/A crítica)

Além de presidente da federação amazonense de SUP, Pablo Casado é um grande atleta da modalidade. Ele começou no esporte somente aos 36 anos de idade, e conquistou vários títulos em 2014 e 2015. Pablo contou que no ano passado não ficou tão bem classificado porque não pode participar das seis etapas do campeonato brasileiro por falta de apoio para as viagens. Em 2017, ele completará 40 anos de idade e vai competir pela categoria máster.

“Desde que iniciei no SUP desejava ser campeão brasileiro pela categoria máster mesmo, porque comecei tarde no esporte, e sempre foi difícil competir com garotos de 18, 20 anos”, explicou.

Instrutor da confederação brasileira de SUP, Pablo também dá aulas do esporte na sua escola ‘Amazônia Tribal SUP’ e tenta motivar seus alunos ao máximo. “Sei que sou um exemplo para os praticantes desta modalidade, então tento passar para meus alunos como é esse estilo de vida em cima da água, e o caminho para alcançar metas”, ressaltou Pablo.

Projeto Superar

Pablo disse que o SUP pode crescer muito no Amazonas. Para contribuir ainda mais com isso, ele reserva 20% do que arrecada em sua escola para reverter para o projeto. “Quero muito estimular mais pessoas a fazerem SUP. Visitei diversas cidades do interior do Amazonas, e a ideia é criar o Projeto Superar, para ensinar crianças dessas cidades a remar. Em lugares como Maués e Parintins muitas crianças e jovens seguem para maus caminhos, e a ideia é fazê-las aprender o esporte para se tornarem atletas ou até mesmo instrutoras, quem sabe? O mercado é grande, temos o maior rio do mundo, eu vivo desse esporte, então, porque essas crianças não podem também?”, explicou Pablo.

Regulamentação do esporte

Outra coisa que preocupa Pablo é a falta de regras para a prática do esporte no Amazonas. “Quero regulamentar o esporte porque o correto é que sejam seguidas certas regras para a segurança e bem-estar dos praticantes. Se não houver cautela e segurança, quem trabalha da maneira certa acaba prejudicado”, disse ele referindo-se a instrutores que dão aula sem credenciamento de nenhuma entidade, ao não uso de coletes salva-vidas para a prática do SUP, além do uso de equipamentos inadequados.

Publicidade
Publicidade