Terça-feira, 29 de Setembro de 2020
FRUSTRAÇÃO

Castigo: Manaus leva gol no fim e empata na estreia da Série C

Equipe amazonense vencia o Vila Nova até o último minuto de jogo, quando acabou levando gol de Donato aos 50 minutos e saindo de campo com o empate amargo



WhatsApp_Image_2020-08-08_at_20.10.39_3C2E998F-BF3E-49B3-AD00-03D76E7AEF73.jpeg (Foto: Mauro Neto / FAAR)
08/08/2020 às 20:14

Foi com requintes de crueldade que o Manaus empatou com o Vila Nova na noite deste sábado (8), pelo placar de 1 a 1, na Arena da Amazônia. O gol do Gavião foi marcado por Fumaça, aos 6 minutos da etapa complementar e o empate saiu no último minuto, aos 50 da etapa final,  com Donato, de cabeça, depois de cobrança de falta. Com o empate, o Gavião deixa de conquistar mais dois pontos fundamentais na competição. 

O jogo



A partida começou com o Vila Nova tendo um pouco mais de iniciativa das ações. Logo aos 3 minutos, John Lennon avança pela direita, cruza na área, mas a bola passa por todo mundo. Marcando atrás da linha do meio-campo, o Manaus tentava se aproveitar de erros na parte central para encontrar os espaços. Aos 10 minutos, Luis Fernando faz boa cobertura pelo lado direito, toca para Fumaça, que ao tentar cruzar, acaba isolando a bola para a linha de fundo. 

Aos poucos o Manaus tinha mais iniciativa, principalmente por se aproveitar de erros básicos na saída de bola do Vila. Aos 18 minutos, Fumaça se aproveita de um desses vacilos da equipe goiana, entra na área, chuta cruzado, mas Fabrício faz grande defesa e espalma a bola para a linha de fundo. Logo em seguida, Rennan em cobrança de escanteio acha Luís Fernando dentro da área. Ele subiu mais que Donato, mas a bola sai por cima do gol.

Depois disso, o Manaus subiu mais as suas linhas e passou a incomodar o sistema defensivo do time adversário, que até o início da partida, trocava passes sem muito perigo no seu setor de meio campo. Aos 30, Rennan ganha na velocidade pelo lado esquerdo, enfia bola para a entrada da área e acha Rossini, que passa por Donato, mas na hora de chutar, acaba jogando a bola por cima. Antes do fim do 1° tempo, o Vila ainda teve uma oportunidade com Raphael Lucas. O atacante recebeu fora da área, finalizou, mas a bola passou mansa ao lado de Jonathan.

Com ambas as equipes acelerando o passo nos primeiros minutos da 2ª etapa, a partida passou a ficar um pouco mais violenta, com muitas faltas no meio-campo e na entrada da área. E foi após uma dessas faltas, que Igor teve a oportunidade de colocar bola açucarada dentro no segundo pau, e achar Fumaça, livre. De chapa, em uma bela conclusão, ele definiu para o fundo das redes abrindo o placar para o time da casa.

Após o gol, o Manaus passou a deixar o Vila com a bola e tentar se lançar nos contragolpes. O colorado quase chegou ao gol de empate, aos 10 minutos, depois de linda cobrança de falta do Dudu, que bateu no travessão. "Abusando" das faltas na entrada da área, o Manaus deu mais uma oportunidade para a equipe goiana, mas a batida de Emanuel Biancuchi, com perigo, acabou indo pra fora.

Com as entradas de Henan e Gilsinho, e abrindo mão do volante Derli, Bolívar lançou sua equipe para o campo de ataque. Aos 24, Gilsinho cruzou rasteiro, a bola passou por todo o sistema defensivo do Gavião e achou Henan, sozinho dentro da área. Ele chutou da pequena área e Jonathan operou um verdadeiro milagre, evitando o gol de empate.

De tanto pressionar, o gol de empate aconteceu no minuto final da partida. Mário  Henrique fez cobrança de falta pelo lado esquerdo, Donato subiu mais que a defesa do Manaus e empatou a partida no apagar das luzes. Depois disso só deu tempo para o árbitro Woshington da Silva apontar para o centro de campo e finalizar a partida.

O próximo desafio do Gavião do Norte será no dia 17, em João Pessoa, contra o Botafogo-PB, às 19h (horário de Manaus), válido pela 2ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série C.

 

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.