Publicidade
Esportes
Craque

Centro de Formação de Voluntários para os Jogos Rio 2016 é inaugurado em Manaus

O local servirá para seleção e treinamento das pessoas interessadas em ajudar de forma espontânea na organização da Olimpíada, tanto em Manaus, como em outras cidades que receberão o maior evento esportivo do mundo  20/10/2015 às 16:33
Show 1
Os voluntários passarão por dinâmicas de grupo e os selecionados serão entrevistados e capacitados para os Jogos
Camila Leonel Manaus (AM)

Mais do que voluntários, o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos Rio 2016, quer transformar as pessoas que se candidatarem para trabalhar nas Olimpíadas em herois, e é com essa proposta que foi inaugurado o Centro de Formação de Voluntários, localizado na Faculdade Estácio, na avenida Djalma Batista, na Zona Centro-Sul de Manaus. O processo de seleção começou na manhã desta terça-feira (20), às 10h, mas para quem deseja participar, as inscrições ainda estarão abertas no site rio2016.com/voluntários até o dia 22 de novembro.

De acordo com Henrique Gonzalez, diretor de Recursos Humanos do Comitê Rio 2016, cerca de 3 mil pessoas já se inscreveram para as 1.500 vagas a voluntários que serão abertas em Manaus. Porém, no ato da inscrição o candidato pode escolher se quer trabalhar em Manaus ou em outras cidades em que acontecerão os jogos. Gonzalez mencionou que, muitos amazonenses se candidataram para trabalhar no Rio de Janeiro. A diferença é que na Cidade Maravilhosa, o voluntário precisará bancar a sua passagem e estadia. Alimentação, transporte, uniforme e treinamento são por conta do Comitê Organizador.

Um dos objetivos do treinamento é deixar evidente para os atletas e visitantes o espírito alegre e hospitaleiro do brasileiro para que as milhares de pessoas que virão ao Brasil para os jogos possam sentir o calor humano.

“A gente já fez a dinâmica pensando muito nisso, a experiência que eles vão viver aqui junto com esses selecionadores é uma experiência de alegria, de confraternização, que vão promover a intregração dos próprios voluntários e vai dar um pouco do espírito dos Jogos. O  que se espera é promover a alegria, que é da natureza do brasileiro, a gente sabe fazer isso muito bem e a gente vai potencializar isso durante os Jogos”, explicou.

Nessa fase inicial, os candidatos passarão por uma dinâmica de grupo e dependendo da aptidão, eles começarão a receber cartas de ofertas para atuar nas nove áreas que incluem, esportes, comunicação, serviços de saúde, apoio operacional, transportes, protocolo e idiomas, atendimento ao público, tecnologia e produção de cerimônias.

Treinamento

Para o treinamento, o Comitê firmou uma parceria com a Faculdade Estácio, que produzirá o conteúdo a ser ministrado durante a capacitação dos voluntários. Roberto Santos, Diretor do Núcleo da Estácio explica que o conteúdo para cada área foi customizado e que existem cerca de 1.200 cursos diferentes que podem compor o pacote de conteúdos. Os cursos abrangem desde a área técnica, que inclui conhecimento de modalidades esportivas, a assuntos como relacionamento com o público.

“A Olimpíada é diferente de uma Copa do Mundo porque ela atende uma miscelânea de públicos diferentes primeiro pela modalidade esportiva. Você não vai ter só o torcedor do futebol. Em áreas do Rio de Janeiro serão áreas completamente diferentes e simultâneas que têm seus torcedores e o seu perfil. É muito importante do público das olimpíadas é que além de serem brasileiros estrangeiros, são muito mais famílias”, disse.

Um dos candidatos que chegou animado para a pré-seleção foi David William, 20, o jovem que já foi voluntário na Copa do Mundo, em 2014, gostou tanto da experiência que se candidatou para ser voluntário mais uma vez.

“Eu gostei e vou participar de novo das Olimpíadas, também na atuação da recepção dos turistas e dos atletas que vão estar participando aqui no Amazonas”, declarou o estudante, que se candidatou para recepcionar os visitantes que virão para Manaus nos jogos.

E para David, a experiência de ser voluntário é algo tão positivo que ele não se preocupa com comentários de quem não vê o trabalho voluntário em grandes eventos com bons olhos.

“Voluntário para mim é fazer a minha parte para ajudar outras pessoas e também abrir as portas de Manaus para o mundo, e saberem que Manaus pode ser uma cidade-sede maravilhosa. Ser voluntário é a gente dedicar o nosso tempo para ajudar outras pessoas. Aqui nós trabalhamos porque nós gostamos do que a gente faz”, finalizou.



Publicidade
Publicidade