Segunda-feira, 14 de Junho de 2021
Em busca do cinturão

Charles do Bronx promete ousadia e alegria no octógono

Brasileiro, que enfrenta Michael Chandler na disputa pelo cinturão dos leves neste sábado (15), falou sobre a sua evolução



fc431784-0a21-461a-ad56-06e8a6a986da_2E9135E9-E1AE-4D5F-9AD0-4D9150F56042.jpg Foto: Reprodução / Internet
14/05/2021 às 14:10

Neste sábado (15), Charles do Bronx finalmente subirá no octógono para decidir o cinturão dos pesos-leves do UFC contra Michael Chander, pelo UFC 262, em Houston (EUA). O título da categoria está vago desde que Khabib Nurmagumedov se aposentou e após uma série de oito vitórias consecutivas, o brasileiro ganhou o direito de disputar o posto mais alto da divisão.

Há mais de 10 anos na franquia, 'Do Bronx' é o recordista de vitórias por finalização com 14 no total. Mas para chegar na 'elite' da categoria, o lutador passou por altos e baixos e precisou se aperfeiçoar.



“Na realidade eu queria voltar de novo pra categoria de baixo, né? E como eu vi que não ia acontecer, sentei com a equipe, a gente analisou e viu que tinha que ficar mais forte. Então, eu fui pra academia Arena, com o Laércio, pra poder ficar mais forte, pra poder ter um corpo melhor e vem dando certo. A gente tá vindo de oito vitórias seguidas, eu me sinto mais forte na categoria dos leves. Tô igual com eles, eu tenho a mesma força que eles, então, pô, tô 100%”, disse o paulista.

E com esse aperfeiçoamento, o faixa preta de jiu-jitsu sabe que a luta de chão é seu ponto forte, o que virou uma preocupação para Chandler, que admitiu ter treinado muito a arte suave para tentar se defender. Mas o brasileiro conta que a luta de solo não é sua única arma.

“Ele vem agressivo no primeiro round, ele é um cara que ele se arma, que ele se expõe. E, cara, eu não dependo só do meu jiu-jitsu. Se vocês, todo mundo tá pensando que eu vou ficar: ah, vou botar pra baixo, não vou. Eu tenho volume na parte de pé. Eu não venho só falando, eu venho mostrando isso luta após luta. Os caras que eram trocador de porrada, eles tentaram me botar pra baixo, foram finalizados, né? Então, quando eles não foram finalizar, eles foram nocauteados. Então, isso mostra o quanto eu evoluí”, comentou o lutador que espera por um nocaute no primeiro assalto.

“Eu creio muito no nocaute no primeiro round, mas quero vencer essa luta e estou preparado para lutar até cinco rounds. A gente nunca para de treinar, essa luta veio com bastante tempo. Tive tempo para treinar, vamos levar ousadia e alegria para dentro do octógono. Eu não estou muito preocupado com o que meu adversário pode trazer, mas sim com aquilo que eu posso levar pra dentro do octógono”, completou.

Sem entrar na ‘pilha’

Recém-chegado no UFC, o ex-campeão do Bellator, Michael Chandler, fez apenas uma luta na franquia contra o neozelandês Dan Hooker, em janeiro deste ano. O triunfo fez com que o estadunidense, que venceu por nocaute, ganhasse o direito de disputar o cinturão e o 'novato' não perdeu tempo e já fez algumas provocações para 'Do Bronx' antes da luta. Em entrevista ao site ‘MMA Fighting’, por exemplo, o 'Iron' declarou que o brasileiro sentirá que estará em um “território hostil”, já que o duelo deste fim de semana terá público.

Apesar do jogo de palavras de Chandler falando de pressão dentro e fora do octógono, 'Do Bronx' diz que as provocações não o afetam e que além da preparação física, também está mentalmente preparado.

“Ele está jogando. Ele tem que arrumar algum jeito para tentar me desestabilizar. Mas de verdade, eu estou 100% bem mentalmente, estou 100% bem fisicamente, espiritualmente. Não vai me abalar. Ele pode falar o que ele quiser. Ele tem que se preocupar em lutar, não em ficar falando. Eu estou preocupado em lutar, chegar lá e dar o meu show, fazer acontecer. Eu vim pronto para isso. Vim pronto para lutar”, disse antes de completar.

“Eu o respeito, como respeito todos os lutadores. Ele é um cara duríssimo, só que ele é mais um que está na minha frente e eu tenho que passar por cima. Então, todo respeito do mundo ao Michael Chandler, é um cara que já foi campeão do Bellator, chegou no UFC com toda atenção do mundo, mas é o meu momento, é a minha hora. E eu não vou ficar falando mal ou bem, nem criticando. Eu só vim aqui para lutar, não vim para ficar falando”, rebateu.

E essa mesma postura humilde e paz e amor é a que Charles do Bronx pretende manter caso conquiste o cinturão. Relembrar as origens de um garoto que veio de um lugar humilde e contra todo prognóstico médico que, por conta de um sopro no coração disse que Charles não poderia praticar esportes.

“Eu quero ser eu. Eu quero ser o Charles de sempre, cara. Eu quero continuar mostrando pra todo mundo que um cara que vem de dentro da comunidade pode vencer na vida, né? Que vem aqui pra lutar sem desrespeitar ninguém, sem falar nada de ninguém, que dá o show dentro do octógono. É isso que eu quero. Quero aumentar o meu legado dessa forma”, declarou.

O UFC 262 está marcado para começar às 18h30 (horário de Manaus). No card preliminar, o capixaba radicado no Amazonas, Ronaldo Jacaré, enfrenta André ‘Sergipano’ Muniz. Já a disputa no card principal está prevista para às 22h (horário de Manaus) com Tony Ferguson enfrentando Beneil Dariush no co-main event e 22h (horário de Manaus) com Peso-leve: Charles do Bronx contra Michael Chandler na luta principal.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.