Publicidade
Esportes
ATLETAS

Circuito de Natação revela nova safra de atletas do AM para competições pelo Brasil

Os 173 atletas da natação amazonense participaram do 2º Circuito de Aspirantes e Master 2017 de Natação – Troféu Daniel Ferreira de Queiroz, no no Clube do Trabalhador do Sesi, no Coroado. 02/07/2017 às 18:43 - Atualizado em 02/07/2017 às 18:46
Show  asl2167
Foto: Antonio Lima/Divulgação
acritica.com Manaus (AM)

Disputando braçada a braçada, os 173 atletas da natação amazonense estiveram no último sábado (1º) participando do 2º Circuito de Aspirantes e Master 2017 de Natação – Troféu Daniel Ferreira de Queiroz. A competição, promovida pela Federação de Desportos Aquáticos (Fada), com apoio do Governo do Amazonas, via Secretaria de Estado de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel), ocorreu no Clube do Trabalhador do Sesi (Coroado), e colocou em prova as categorias Mini A e Mini B, Mirim, Petiz, Infantil, Juvenil, Junior/Sênior e Master. 

Dentre os destaques do dia de prova estava Ásafe Mota, de apenas 7 anos. Competindo pela Aquática Nobre, na categoria Mini A, o pequeno nadador foi mais ágil nas braçadas e pernadas e papou quase tudo o que disputou, conquistando o ouro nos 25m nado peito, 25m livre e os 25m borboleta, além de duas pratas nas provas de revezamento.

Filho do carateca e empresário, Harrison Mota, 31, Ásafe começou a nadar por conta do medo do pai, que temia pelo afogamento do menino na piscina do sítio da família. Hoje, a paixão pelos dois esportes, o caratê e a natação, já deixa o pai temeroso com o amor em definitivo do filho pelas águas. O menino já compete há 1 ano e 3 meses.

“Eu tenho até medo que ele perca o prazer pelo caratê e fique só na natação, mas a gente vê que ele tem talento nas águas, então vou deixar ele escolher bem à vontade o que ele quiser fazer”, disse Harrison. 

Para Ásafe, a chave para o sucesso e o título de futura promessa no mundo das águas vem da total dedicação e a evolução, que caminham juntos nos treinos quase que diários.

“Estou muito feliz com a conquista. Estou na minha terceira competição. Em dezembro do ano passado eu conquistei o primeiro lugar na prova em que competi. Na primeira competição deste ano disputei cinco provas e fiquei em com a primeira colocação em quatro delas. Estou contente com meus resultados”, explicou o menino prodígio da natação.

Dos rios para a piscina

Os gêmeos Renan Poany e Luan Yurkuro, ambos com 8 anos, provaram que vieram para escrever uma bonita história no esporte. Índios da etnia Tuyuka, os meninos foram adotados pelo militar Juarez Lima, 50, e passaram a vestir a camisa da equipe do Círculo Militar de Manaus (Cirman).

Na disputa da categoria pré-mirim, os irmãos subiram no pódio nas disputas dos 25m peito, costas e borboleta. E o talento não é só dos gêmeos, os meninos têm um irmão de 11 anos, Dyogo Dhupõ, que também se destaca na natação e faturou três medalhas.

“É muita energia pra podermos controlar, mas é muito gostoso estar com estas crianças nas competições”, destacou o pai, Juarez Lima, que os acompanha em diversas provas desde o início das aulas de natação no início do ano.

Para abrir portas

De acordo com o vice-presidente da Fada e árbitro geral, Mike Moraes, o Circuito serve para a entidade responsável pelo esporte aquático no Amazonas encontrar novas promessas.

“É uma competição que abre portas para os atletas iniciantes, pois alcançando o índice eles podem competir no campeonato brasileiro e demais competições pelo Brasil a fora. Muito graduados já saíram daqui para várias competições em nível nacional”, explicou.

O evento faz parte do Calendário de Eventos da Federação, onde os atletas que mais pontuarem no decorrer dos circuitos, receberão no final do ano, o troféu de Mérito Aquático Waldir de Oliveira.

Classificação por equipes:

1º Nobre

2º CIRMMAN

3º Atl. Sales

4º Dom Bosco

5º CTAM/SESI

6º SEST

7º Aquática Amazonas

8º La Salle Manaus

9º AAviva

10º Estrela do Norte

*Com informações da assessoria de comunicação

Publicidade
Publicidade