Publicidade
Esportes
Após confusão no Derbi

Clássicos do futebol paulista terão torcida única, diz polícia

A decisão foi tomada após uma morte de um homem durante uma briga entre torcidas de Corinthians e Palmeiras 05/04/2016 às 16:00 - Atualizado em 05/04/2016 às 16:58
Show torcida 3
A resolução irá valer até o final do ano (Foto: Divulgação)
Reuters Manaus (AM)

A polícia de São Paulo proibiu a presença de torcidas de times visitantes nos clássicos do Campeonato Paulista até o final do ano, uma reação à morte a tiros de um transeunte no domingo durante uma briga de torcedores do Palmeiras e Corinthians antes do jogo.

A decisão foi tomada pela Polícia Militar juntamente com a Federação Paulista de Futebol e promotores públicos.

"Isso irá evitar que a Polícia Militar precise escoltar torcidas organizadas, o que irá permitir um reforço do policiamento ao redor dos estádios", disse o secretário de Segurança Pública de São Paulo, em um comunicado.

Embora não se tenha especificado quais clubes serão afetados pela medida, é provável que ela se aplique aos quatro grandes – Corinthians, Palmeiras, Santos e São Paulo.

As autoridades também anunciaram que irão impedir que torcedores levem faixas e tambores aos estádios de São Paulo.

Embora as torcidas afirmem ser simplesmente fanáticas por futebol, a polícia e os promotores as veem como grupos violentos por trás de alguns dos piores episódios de violência relacionados ao esporte no Brasil, que deixaram dezenas de mortos nas duas últimas décadas.

As autoridades ainda afirmaram ter identificado 50 torcedores envolvidos no episódio mais recente e que eles serão banidos dos estádios.

Um transeunte foi morto a tiros no domingo quando torcidas rivais realizaram verdadeiras batalhas campais antes da vitória do Palmeiras por de 1 x 0.

A polícia prendeu pelo menos 60 pessoas em no mínimo quatro locais de toda a cidade antes e depois da partida, de acordo com reportagens.

"Estes torcedores irão sofrer um grande revés", disse o promotor Paulo Castilho. "O círculo está se fechando sobre eles, e todas as instituições estão unidas para pôr fim à violência no futebol".

Publicidade
Publicidade