Publicidade
Esportes
Solidariedade

Clubes cedem jogadores e pedem 3 anos sem rebaixamento ao Chapecoense

Os departamentos jurídicos dos clubes estão em negociação, mas já divulgaram uma nota à imprensa 29/11/2016 às 12:35
Show chape 1
Foto: Reprodução/Internet
acritica.com Manaus (AM)

Após o trágico acidente aéreo que vitimou 75 pessoas na madrugada desta terça-feira (29) em Medellín, na Colômbia, sendo a grande maioria das vítimas jogadores e membros do time Chapecoense, os principais clubes brasileiros formaram um movimento para reerguer o time sulista, que enfrentaria ainda hoje o Atlético Nacional, em jogo válido pelo primeiro confronto da final da Copa Sul-Americana.

Os departamentos jurídicos dos clubes estão em negociação, mas já divulgaram uma nota à imprensa. Nela, eles deixam à disposição jogadores ao time sem custo para a temporada de 2017 e pedem que o Chapecoense não seja rebaixado nas próximas três edições do Campeonato Brasileiro, caso termine entre os quatro último colocados.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) está acompanhando tudo com o diretor geral de competições, Manoel Flores.

Confira a nota na íntegra

Neste momento de perda e de profunda tristeza, nós, presidentes dos clubes brasileiros que publicam esta nota, gostaríamos de manifestar nossos mais sinceros sentimentos de pesar e solidariedade à Associação Chapecoense de Futebol e seus torcedores, e em especial às famílias e amigos dos atletas, comissão técnica e dirigentes envolvidos na tragédia ocorrida na madrugada desta terça-feira (29).

Mesmo cientes dos prejuízos irreparáveis provocados por este terrível acontecimento, os clubes entendem que o momento é de união, apoio e auxílio à Chapecoense.

Neste sentido, os clubes anunciam Medidas Solidárias a Chapecoense, que consistirão, dentre outras, em:

(i) Empréstimo gratuito de atletas para a temporada de 2017; e
(ii) Solicitação formal à Confederação Brasileira de Futebol para que a Chapecoense não fique sujeita ao rebaixamento à Série B do Campeonato Brasileiro pelas próximas 3 (três) temporadas. Caso a Chapecoense termine o campeonato entre os quatro últimos, o 16º colocado seria rebaixado.

Trata-se de gesto mínimo de solidariedade que se encontra ao nosso alcance neste momento, mas dotado do mais sincero objetivo de reconstrução desta instituição e de parte do futebol brasileiro que fora perdida hoje.

Entenda o caso

A aeronave que transportava o time da Chapecoense, para Medellín, na Colômbia, onde o time enfrentaria o Atlético Nacional, em jogo válido pelo primeiro confronto da final da Copa Sul-Americana sofreu um acidente próximo à cidade de Cerro Gordo de La Unión, na madrugada desta terça-feira (29). A aeronave tinha 72 passageiros - sendo 48 membros do clube, 21 jornalistas e três convidados - além de nove tripulantes. Segundo informações da Aeronáutica Colombiana, o avião foi obrigado a fazer um pouso forçado.

A polícia colombiana confirmou que 76 pessoas que estavam a bordo do avião que levava o time da Chapecoense morreram no acidente ocorrido nesta madrugada (29). As informações são da agência Ansa.

Ainda segundo informações divulgadas pela aeronáutica da Colômbia, os feridos estão sendo transportados para os hospitais da região - cinco já teriam sido resgatados pelos paramédicos. O primeiro jogador da Chape a chegar ao hospital foi o zagueiro Alan Ruschel que, segundo o site Globoesporte.com, estava consciente.

O resgate está sendo feito por terra, por conta das condições climáticas ruins, conforme informações divulgadas pelo aeroporto internacional Jose Maria Cordova de Rio Negro, primeiro a noticiar informações sobre o acidente.

Publicidade
Publicidade