Sábado, 06 de Junho de 2020
AUXÍLIO

Presidentes de clubes da segunda divisão baré falam sobre 'socorro' à CBF

Nesta quarta-feira (29), 210 clubes das segundas divisões estaduais enviaram uma carta com pedido de auxílio financeiro à CBF. Clipper, Rio Negro, Sul América e Tarumã fazem parte do documento



cbf_9DA441AD-1F49-4575-8DE0-4E6C4871E529.jpeg Foto: Lucas Figueiredo/CBF
29/04/2020 às 20:52

Cerca de duas semanas após oficializar a paralisação das competições organizadas pela entidade, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) criou o pacote de auxílio emergencial que ajudaria financeiramente clubes da Série C e Série D do Brasileiro e Série A1 e Série A2 do Brasileiro Feminino - Federações Estaduais também receberam aportes. Agora, é a vez dos clubes das segundas divisões estaduais pedirem ‘socorro’, segundo matéria publicada no site Globoesporte.com.

Entre as 210 equipes que fizeram parte do documento enviado à CBF, quatro são do Amazonas: Clipper, Rio Negro, Sul América e Tarumã. Alegando dificuldades financeiras por conta da pandemia do novo coronavírus, os dirigentes solicitam uma ajuda no valor de R$ 100 mil para cada equipe, isenção de taxas com as Federações e que a CBF realize um acordo com o Governo Federal para que atletas das equipes recebam o auxílio emergencial.



Na carta, os dirigentes afirmam que os clubes em questão se encontram em situação ainda mais precária que as agremiações que já receberam ajuda. Presidente do Rio Negro, Jefferson Oliveira afirma que o pedido foi uma alternativa encontrada pelas quatro equipes barés nesse difícil momento econômico e que espera comoção da CBF.

“O ‘não’ a gente já tem, então vamos tentar essa ajuda com a entidade. Não custa nada tentar. Vamos ver se há uma comoção e se eles podem ajudar, se há recurso disponível. É uma grande conjunção de fatores”, afirmou Jefferson, que lembra que o clube opera no vermelho pelo fechamento da sede. “Estamos sem receitas, porque a sede não recebe mais eventos por conta da paralisação. Os aluguéis que fazemos da piscina, da quadra, da piscina e das salas depende de gente”, completou o presidente. 

Retorno aos campos

Na última temporada, Sulão e Galo da Praça da Saudade foram os rebaixados da elite do Barezão. No segundo semestre, o Rio Negro retornou aos campos, mas no Amazonense Feminino. Já Clipper e Tarumã atuaram somente no segundo semestre, tanto na Série B do Barezão quanto na elite do Feminino. Projetando o retorno do calendário, Izaque Cunha, presidente do Águia Dourada do Parque 10, diz que o trabalho só é bom quando há investimento.
Galo da Praça da Saudade e Sulão foram os dois rebaixados no Barezão 2019. Foto: Arquivo AC

“Nossa inclusão nesse pedido dar-se em razão do que sempre fizemos e faremos pelo bom futebol. Com esse aporte se concretizando, será feito um trabalho melhor. Existe muito a ser feito e, sem um planejamento adequado, não se atinge o objetivo principal que é um bom futebol”, afirmou o dirigente, que completou dizendo que o Clipper pretende jogar a ‘Segundona’ ainda em 2020.

News leonardo 9028af08 26fb 4271 b322 4409cded8370
Repórter do Craque
Jornalista em formação na Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e repórter do caderno de esportes Craque, de A Crítica. Manauara fã da informação e que procura aproximar o leitor de histórias – do futebol ao badminton.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.