Publicidade
Esportes
Inclusão pelo esporte

COI anuncia equipe de refugiados para a disputa da Rio 2016

A equipe com atletas que se refugiaram no País contará com dez atletas de quatro países. Delegação refugiada desfilará na abertura dos Jogos com a bandeira Olímpica 03/06/2016 às 10:45
Show 1140
Os judocas Popole Misenga e Yolande Mabika são dois dos atletas que disputarão a Olimpíada do Rio, em agosto (Foto: divulgação)
ACritica.com Manaus (AM)

O Conselho Executivo do Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou nesta sexta-feira (03) os nomes dos dez atletas que farão parte do Time dos Atletas Olímpicos Refugiados nos Jogos de 2016. Serão cinco atletas do Sudão do Sul, dois atletas da Síria, dois da República Democrática do Congo e um da Etiópia. 

Os judocas Popole Misenga (COD) e Yolande Mabika (COD), que moram e treinam no Brasil desde 2013, quando vieram disputar o Mundial de Judô no Rio, estão na lista. 

Na Cerimônia de Abertura do Rio 2016, os atletas da equipe de Refugiados Olímpicos entrarão no desfile antes dos atletas do Time Brasil, delegação anfitrião dos Jogos. Eles entrarão com a bandeira olímpica. O Tegla Loroupe (KEN), ex-recordista mundial da maratona será a chefe de missão da equipe. Enquanto a brasileira Isabela Mazão será a chefe de missão substituta.

Segundo o presidente do COI, Thomas Bach, os atletas serão símbolo de esperança para os refugiados em todo o mundo. “Esses refugiados não têm casa, nenhum time, nenhuma bandeira, nenhum hino nacional. Vamos oferecer-lhes uma casa na Vila Olímpica em conjunto com todos os atletas. O hino olímpico será jogado em sua honra e a bandeira olímpica vai levá-los para o Estádio Olímpico. Este será um símbolo de esperança para todos os refugiados em nosso mundo e vai fazer o mundo melhor conhecimento da magnitude desta crise. É também um sinal para a comunidade internacional de que os refugiados são nossos companheiros. Estes atletas de refugiados vai mostrar ao mundo que, apesar das tragédias inimagináveis que eles têm enfrentado, qualquer um pode contribuir para a sociedade através de seus talentos, habilidades e força do espírito humano”.

Confira os nomes: 

Rami Anis (Síria) - Natação

Yusra Mardini (Síria) - Natação

Yiech Pur Biel (Sudão do Sul) - Atletismo

James Nyang Chiengjiek (Sudão do Sul) – Atletismo

Yonas Kinde (Etiópia) - Atletismo

Anjelina Nada Lohalith (Sudão do Sul) - Atetismo

Rose Nathike Lokonyen (Sudão do Sul) - Atletismo

Paulo Amotun Lokoro (Sudão do Sul) - Atletismo

Yolande Bukasa Mabika (República Democrática do Congo) - Judô

Popole Misenga (República Democrática do Congo) - judô

Publicidade
Publicidade