Publicidade
Esportes
Time 'operário'

Fast comemora vitórias e bom início no Barezão, apesar das duas expulsões

Tricolor de Aço acumula dois triunfos no Estadual, mas também coleciona dois cartões vermelhos. Para o técnico João Carlos Cavalo, as punições são fruto da determinação de time operário 29/08/2016 às 13:08 - Atualizado em 29/08/2016 às 15:29
Show img 4802
Cavalo terá quase duas semanas de tranquilidade para trabalhar até encarar o próximo adversário (Foto: Denir Simplício)
Denir Simplício Manaus (AM)

Nada mais favorável do que iniciar a campanha no Campeonato Amazonense 2016 com duas vitórias no dois primeiros jogos. E para o Fast Clube os triunfos contra Manaus FC e Sâo Raimundo nas duas primeiras rodadas do Barezão Centenário trouxeram a tranquilidade que o técnico João Carlos Cavalo precisava. Com 6 pontos na tabela do torneio e duas expulsões, o comandante do Tricolor de Aço classifica sua equipe como uma "equipe operária" e que as punições são apenas fruto da vontade excessiva de vencer os adversários.

Com Tiago Paraná, expulso contra o Manaus FC, e Andrezinho, excluído do jogo contra o São Raimundo, o Fast se tornou uma das equipes mais indisciplinadas do Barezão Centenário. Questionado se seus comandados estavam de "cabeça quente" por conta dos cartões vermelhos, João Carlos Cavalo contemporizou. 

"Não. Acho que é determinação mesmo. O próprio jogo contra o São Raimundo, que é um clássico, achei que o árbitro se precipitou bastante durante a partida. Ele poderia ter relevado aquela situação da expulsão do Andrezinho e do Alberto e ter dado o amarelo”, pontuou o treinador, contente com o bom início de sua equipe. Cavalo ainda disse que as vitórias trazem confiança ao time, que classificou como de operários e talvez por isso o execesso de vontade nas divididas.

"Sempre buscamos confiança. Acho importante nesse início de competição é buscar confiança e a confiança só vem com a sequência de vitórias e nós estamos no caminho certo. Então é procurar trabalhar com os pés no chão. Pelo fato de nós conscientizarmos nossos jogadores de que somos uma equipe operária é dividir todas as bolas com muita consistência também. E por conta disso, do excesso de vontade a gente acaba pecando também”, comentou o treinador do Fast.

De folga da terceira rodada do Estadual, o Rolão terá quase duas semanas para aprimorar o time que hoje está na vice-liderança da competição. O Fast só volta a campo no dia 11 de setembro para encarar o Naça Borbense. A partida contra o Camaleão de Borba está marcada para às 15h30, no estádio Jabotão, no interior do Estado. Nesta segunda-feira (29), o elenco fastiano se reapresenta para treinamento no Campo da Ulbra, na Zona Centro-Sul de Manaus.

Publicidade
Publicidade