Publicidade
Esportes
Craque

Com o Flamengo, Eduardo da Silva retorna a Manaus para ser o maior artilheiro da Arena

O atacante rubro-negro retorna a Arena da Amazônia pela terceira vez em menos de um ano. Com média de um gol por partida, o brasileiro, que jogou o Mundial da Fifa pela Croácia poderá se tornar o maior artilheiro do estádio amazonense 20/01/2015 às 16:51
Show 1
Eduardo da Silva pode se tornar o maior artilheiro da Arena da Amazônia com a camisa do Flamengo.
Denir Simplício Manaus (AM)

Pouco mais de sete meses depois da partida em que a Seleção da Croácia goleou a de Camarões por 4 a 0, pela segunda partida da Copa do Mundo em Manaus, um brasileiro em especial retorna ao palco do Mundial. O atacante do Flamengo, naturalizado croata, Eduardo da Silva, volta a atuar no estádio e pode conseguir um feito notável durante o Torneio Super Series: se tornar o maior goleador da Arena da Amazônia.

Eduardo da Silva balançou as redes do estádio, que recebeu quatro jogos da Copa do Mundo, pela primeira vez aos 22 minutos do segundo tempo do jogo contra o time de Samuel Eto’o, que nem chegou a entrar em campo. No dia 25 de outubro passado, o atacante voltou a marcar na Arena da Amazônia, dessa vez vestindo a camisa do Flamengo, no duelo contra o Botafogo, pelo Brasileirão de 2014.

No desembarque da delegação do Rubro Negro, na madrugada desta terça-feira (19), em Manaus, o artilheiro comentou rapidamente sua volta a capital amazonense e as lembranças da Copa. “É sempre bom. Essa recepção calorosa é sempre bem vinda e faz bem pra gente”, disse o jogador cercado por uma dezena de fanáticos torcedores do Flamengo.

Com dois gols marcados nas duas atuações na Arena, o atacante está muito próximo de se igualar e até se tornar o maior goleador do estádio. Com três gols feitos na partida entre Suíça e Honduras, o suíço Shaquiri é o maior artilheiro do novo estádio manauara. Eduardo da Silva terá mais duas chances de estufar as redes dos adversários durante o Torneio Super Series.

Caso mantenha a média, o camisa 23 do Mengo chegaria a quatro gols e superaria o suíço em número de gols marcados no estádio. Perguntado se era bom voltar ao palco da Copa, Eduardo foi rápido, como os artilheiros, na resposta. “É muito bom. Tenho muito boas lembranças daqui”, finalizou o jogador antes de ser engolido pela Massa Rubro Negra que o esperava no saguão do aeroporto.

Publicidade
Publicidade