Publicidade
Esportes
Copa São Paulo Futebol Júnior 2017

Com outro Tricolor de Aço pela frente, Fast conhece adversários da Copinha

Representante do Amazonas está no Grupo 21 da competição de futebol de base mais importante do Brasil; Rolo Compressor encara o Bahia, São Bernardo-SP e Trindade-GO na primeira fase do torneio 24/11/2016 às 15:41 - Atualizado em 24/11/2016 às 16:50
Show koiju
Fast Clube é o representante do Estado na Copinha que na edição de 2017 contará com 120 clubes (Foto: Denir Simplício)
ACritica.com Manaus (AM)

Teremos embate de Tricolores de Aço na Copinha do ano que vêm. A Federação Paulista de Futebol (FPF) divulgou nesta quinta-feira (24), o chaveamento da Copa São Paulo de Futebol Júnior 2017. O Fast Clube, representante do Amazonas na competição, caiu no Grupo 21 do torneio, que esta temporada contará com 120 clubes divididos em 30 chaves, além de novidades na disputa.

Os garotos do Rolo Compressor, que estão se preparando há um mês, têm pela frente o Bahia - equipe fortíssima nas divisões de base -, o São Bernardo-SP, que é o anfitrião do grupo e o desconhecido Trindade, de Goiás.

Opinião do comandante

Assim que soube da divulgação dos adversários do Fast na Copinha, o técnico do Tricolor, Darlan Borges, deu sua opinião sobre os oponentes no torneio.

"O Bahia é uma equipe forte. Já tivemos oportunidade (dessa geração) de enfrentar o Bahia na Copa Rio. É um time que está nas finais da Copa do Brasil Sub-20 e com certeza é o grande favorito da chave. Vamos brigar por uma vaga com o São Bernardo e com o Trindade. Vamos colher informações do São Bernardo... do Trindade não temos nenhuma informação. Mas acho que temos plenas condições de passar sim, e de brigar pela segunda vaga com o São Bernardo e o Trindade", opinou Borges, afirmando que o Tricolor baiano é o time a ser batido no grupo.

"Com certeza o Bahia deve ser o grande favorito da chave. É uma chave boa, uma chave que nos dá plenas condições de brigar por uma vaga na sequência da Copinha”, disse.

Em relação a quantidade de substituições durante as partidas que passa a ser de seis por jogo - maior novidade na 48ª edição da Copinha -, Darlan Borges achou uma ótima ideia e afirmou que será benéfica para o torneio.

"Sim, foi uma boa ideia. Nos outros anos sempre precisamos de mais de três substituições. Por exemplo: contra o XV de Piracicaba, no ano passado, se eu tivesse de trocar os 11 teria trocado os 11, pois o time foi muito mal. Mas isso é bom, dá pra gente fazer uma boa seleção no campeonato e vai dar oportunidades para todos os jogadores”, avaliou o treiandor fastiano. 

Novidades na Copinha

Com início no dia 3 de janeiro e com a grande decisão no dia 25 de janeiro, no estádio do Pacaembu, a Copa São Paulo, torneio que serve como vitrine e celeiro de craques, é o mais democrático do país, com a participação de clubes de 26 Estados.

Dentro de campo, a principal novidade é a substituição de atletas. Cada clube poderá trocar até 6 jogadores por partida. O regulamento específico da competição prevê que cada clube faça as seis alterações em, no máximo, três atos. Assim, a novidade não irá aumentar o tempo total de bola parada.

Esta medida foi adotada pela FPF após conversas com profissionais de categorias de base e com o MFFB (Movimento de Formação do Futebol Brasileiro), que reúne alguns dos principais clubes do país.

Além de abrir portas para que mais jogadores sejam avaliados, a FPF levou em consideração a questão física dos atletas, já que a competição é realizada em curto espaço de tempo.

O convidado estrangeiro desta edição da Copinha será o Pérolas Negras, do Haiti, país que foi castigado por um furacão neste ano. Em 2016, a passagem do Pérolas Negras pela Rua Javari, onde disputou as três partidas, encheu o estádio e aproximou os haitianos dos brasileiros.

Veja aqui os grupos, as 30 sedes paulistas e os 120 clubes que formam a 48ª edição da Copa São Paulo de Futebol Júnior.

 

Publicidade
Publicidade