Publicidade
Esportes
Craque

Com vantagem para ficar com vaga, Nacional enfrenta o Penarol na partida de volta da semifinal

Naça está com a faca e o queijo na mão para ficar com vaga na final. Na partida de ida, o Nacional venceu por 2 a 0. Para virar, Penarol precisa de três gols de diferença 06/06/2015 às 15:27
Show 1
Surpresa e Força são características dos jogadores Lídio e Felipe Manoel
Anderson Silva e Camila Leonel Manaus (AM)

ASSISTA AO JOGO AO VIVO AQUI

A semana turbulenta que começou após a derrota para o Nacional, dentro de casa, poderá ter um basta definitivo caso o Penarol vença o Leão da Vila no segundo jogo da semifinal, ou até mesmo seja eliminado pelo rival, neste sábado (6), às 15h, no estádio da Colina. O primeiro jogo do clássico dos Leões terminou com a vitória do time da capital, por 2 a 0. O resultado permite o que o Nacional perca até por dois gols de diferença, que ainda assim estará classificado para a final do Campeonato Amazonense 2015.

Se a missão de parar o time com melhor campanha no Estadual, já era complicada, ela se tornou ainda mais difícil para o Penarol que no meio de semana demitiu e – em poucas horas – teve que “repatriar” o comandante Marcos Piter, por “ordem” do grupo de jogadores.

Mas, o desafio de ‘vida ou morte’ de fazer com que a ‘Maquinaça’ pife de uma vez é bastante complicado, ainda mais que o time de Aderbal Lana conta com um conjunto que faz toda a diferença: quando não são os atacantes que resolvem, os volantes assumem a frente de batalha e ganham a ‘luta’. Foi assim contra o mesmo Leão da Velha Serpa, no último final de semana. Os gols foram marcados por Felipe Manoel e Lídio.

“É o futebol moderno. Se você se prende a uma posição só está morto no futebol de hoje. O professor Lana sempre me cobra para eu chegar à frente, e tenho qualidade para chegar à frente. Venho desenvolvendo isso nos treinamentos e marquei o gol no primeiro jogo. Mas o importante disso tudo é a vitória, porque quem vai fazer o gol é só um detalhe”, explicou marcador Felipe, que chegou a somatória de três gols marcados, e mesmo com a vantagem e com todas as dificuldades sofridas pelo rival não acredita em jogo fácil.

“Não está ganho nada! Temos mais 90 minutos. O Penarol é um time rápido e eles vão vir querendo vencer”, afirmou.

Com números de atacante, cinco gols marcados, - quatro a menos que o goleador do time Charles -, Lídio se tornou uma das peças fundamentais da equipe. Além de proteger a defesa, o jogador costumeiramente sobe ao ataque surpreendendo a defesa adversário.

“É trabalho. Dia a dia a gente vem trabalhando e graças a Deus mais uma vez pude ajudar a equipe. É treinamento... aplicamos no jogo. Em outros clubes sempre joguei fixo e aqui no Nacional estou solto e já foram cinco gols”, comemora o surpreendente Lídio, que ri bastante com a pergunta: - Se o ataque não dá jeito o Lídio da jeito?

“(risos) Nãoooo... O ataque dá jeito e vamos estar por trás para sair com o resultado positivo”, disse o baiano sorrindo.

O jogador também opinou sobre a conturbada demissão a admissão do técnico do Penarol. 

“Cara, não tem o que falar. É respeitar eles porque se trata de uma boa equipe. Temos apenas que impor o nosso ritmo de jogo”, frisou.

O comandante da tropa Nacionalina, Aderbal Lana, justificou o sucesso dos ‘volantes artilheiros’.

“São jogadores volantes que sabem e trabalham como meias, como jogadores que dificultam para os adversários. São incisivos na entrada de área, tem altura, bom cabeceio, chutam bem...  estamos usando todas as característica desses jogadores por isso que está dando certo”, afirmou o treinador.

‘Problemas deles’

O caso da demissão e readmissão do técnico Marcos Piter em menos de 24 pelo Penarol não é algo para se tirar vantagem, garante o técnico Aderbal Lana.

“Minha preocupação é aqui. Trabalhos num só período para os jogadores terem descanso e não vamos contar com o Charles, Leonardo e Mauricio Leal. Os problemas do Penarol eles resolvem pra lá. A vida continua”, afirmou.

 Sem três jogadores que estão fora da partida, Leonardo, com lesão no abdômen, Charles que cumpre suspensão e o zagueiro Mauricio Leal com dores na coxa esquerda, Lana não tem preocupação, principalmente com o meia Charles.

“Não é desfalque. O Nacional vinha jogando sem o Charles e vinha rendendo. O Charles entrou e continuou o rendimento, o Charles saiu contra o Penarol e continuou o rendimento. Ficamos chateados de não contar com ele, mas a gente também não tem a preocupação de que a equipe vai cair sem ele jogando”, disse Lana, que não realizou um coletivo na semana e mantém o mistério sobre o provável time, e também prega respeito.

“Mais aguerrido da forma que foi no primeiro jogo eles não vêm. Mas temos que respeitar”.


‘Jogando com sabedoria’

Mais do que nunca, a equipe do Penarol está fechada mantendo o foco e confiança de que irão entrar em campo contra o Nacional “com o coração na ponta da chuteira”, para tentar reverter a vantagem do primeiro jogo. E é com confiança que o atacante Binho disse que o Leão da Velha Serpa entrará em campo logo mais.

“Todos estamos com aquela confiança de que faremos um bom jogo. A gente sabe que é difícil, mas no futebol nada é impossível e vamos entrar em campo para reverter essa vantagem do Nacional. Sabemos da dificuldade, mas temos a consciência de que temos que dar o máximo”.

Apesar da confiança, Binho também fala em sabedoria na hora de entrar em campo, uma vez que o excesso de vontade pode atrapalhar. “O professor falou para nós que não era para ‘dar uma de louco’ na hora de atacar. Que temos que entrar em campo fazendo o que a gente já vem fazendo: marcando e jogando com sabedoria”, disse.

Publicidade
Publicidade