Publicidade
Esportes
REGRAS

Confira o regulamento da Copa A CRÍTICA de Dominó 2018

Veja todos os detalhes da competição e saiba o que pode e o que não pode durante a disputa 15/05/2018 às 17:57 - Atualizado em 17/05/2018 às 15:21
Show domino1
acritica.com Manaus

TÍTULO I

DAS FINALIDADES

 

Art. 1º. – A Copa A Crítica de Dominó – 2018 têm por finalidade a integração social da população amazonense, através da prática deste esporte, que incentiva o raciocínio lógico e o potencial técnico do nosso povo.

 

TITULO II

DOS OBJETIVOS

 

Art. 2º. – A Copa A Crítica de Dominó – 2018 têm por objetivo proporcionar a integração e confraternização entre os praticantes desta modalidade em Manaus e demais praticantes nos municípios do nosso Estado.

 

TÍTULO III

DA PROMOÇÃO DO EVENTO

 

Art. 3º. – A Copa A Crítica de Dominó – 2018 será promovida pela Rede Calderaro de Comunicação.

 

TÍTULO IV

DA ORGANIZAÇÃO

 

Art. 4º. – Para todos os fins, os participantes da Copa A Crítica de Dominó – 2018 declaram ser conhecedores deste Regulamento, ficando sujeitos a todas as suas disposições e as penalidades que dele possa emanar.

 

Parágrafo Único – Complementarão este Regulamento as Deliberações e as Notas Oficiais baixadas pela Direção Geral.

 

TÍTULO V

DA DIREÇÃO GERAL

 

Art. 5º. – O Diretor Geral da Copa A Crítica de Dominó – 2018, nomeado pela Diretora Presidente da Rede Calderaro de Comunicação, será o executor, dirigente administrativo e técnico da com- petição.

§ 1º. – O Diretor Geral poderá a seu critério designar um elemento como seu auxiliar.

§ 2º. – A Direção Geral editará Deliberações e Notas Oficiais.

 

§ 3º. – A Direção Geral editará Atos Administrativos e / ou Disciplinares, no interesse da administração ou da competição, podendo fazê-lo por preposto ou representante expressamente designado.

 

Art. 6º. – A Direção Geral será assessorada por 01 (um) Coordenador Técnico, 01 (um) Coordenador Administrativo e 01 (uma) Secretaria.

 

Parágrafo Único – A Secretaria será composta por 01 (um) Assessor, 01 (uma) Secretária, 01 (um) Digitador, 01 (um) Estatístico, 01 (um) Supervisor de Logística e 01 (uma) funcionária para serviços gerais.

 

TÍTULO VI

DA DISPUTA

 

Art. 7º. – A Copa A Crítica de Dominó – 2018 será disputada em forma de Eliminatória Simples, dividida em 07 (sete) fases:

 

1ª FASE = CLASSIFICAÇÃO:

1.            Esta Fase será subdividida em até 02 (duas) Etapas.

                1.1.– Cada etapa terá o seu período de inscrição definido no cronograma da competição.

                1.2. - Em cada etapa as duplas inscritas em Manaus serão divididas, por sorteio eletrônico, em chaves;

2.– A 1ª ETAPA será disputada pelas duplas inscritas de numero 001 (um) ao numero 512 (Quinhentos e doze).

 

Serão formadas 128 (cento e vinte e oito) chaves compostas de 04 (quatro) duplas em cada chave.

Em cada chave a disputa será em forma de Eliminatória Simples. Será classificada para a Fase seguinte apenas a dupla que após a disputa na chave for a vencedora de cada chave.

 

3.- A 2ª ETAPA será disputa pelas duplas inscritas a partir do numero de inscrição 513 (quinhentos e treze), obedecendo ao cronograma de inscrição.

 

De acordo com o numero de duplas inscritas na etapa, através de sorteio eletrônico, serão formadas 128 (cento e vinte oito) chaves compostas de 03 (três), 04 (quatro), 05 (cinco), 06 (seis), 07 (sete), 08 (oito) e 09 (nove) duplas.

 

Em cada chave a disputa será em forma de Eliminatória Simples. Será classificada para a Fase seguinte apenas a dupla que após a disputa na chave for a vencedora de cada chave.

Em cada chave a disputa será em forma de Eliminatória Simples. Será classificada para a Fase seguinte apenas a dupla que após a disputa na chave for a vencedora de cada chave. 

 

2ª FASE = ELIMINATÓRIA 01:

 

1.            As duplas classificadas na Fase anterior serão divididas, por sorteio eletrônico, em 64 (sessenta e quatro) chaves;

– De acordo com o numero de duplas classificadas para esta fase, serão formadas 64 (sessenta e quatro) chaves compostas com 03 (três) duplas, 04 (quatro) duplas, 05 (cinco) duplas, 06 (seis) duplas, 07 (sete) duplas, 08 (oito) duplas ou 09 (nove) duplas.

– Em cada chave a disputa será em forma de Eliminatória Simples. Será classificada para a Fase seguinte apenas a dupla que após a disputa na chave for a vencedora de cada chave, ou seja, 64 (sessenta e quatro) duplas classificadas para a Fase seguinte.

 

3ª FASE = ELIMINATÓRIA 02:

1.            Esta fase será disputada por 64 (sessenta e quatro) duplas classificadas na Fase anterior.

                – As 64 (sessenta e quatro) duplas participantes, por sorteio, serão divididas em 16 (dezesseis) chaves numeradas de 01 a 16, com 04 (quatro) duplas em cada chave.

                               Será efetuado o sorteio dos 08 (oito) jogos da Fase Oitavas de Final, os 04 (quatro) jogos da Fase Quartas de Final e os 02 (dois) jogos da Fase Semifinal.

                – Em cada chave a disputa será em forma de eliminatória simples e será classificada para a fase seguinte apenas a dupla que após a disputa na chave for a vencedora de cada chave, ou seja, 16 (dezesseis) duplas classificadas para a Fase seguinte.

 

4ª FASE = OITAVAS DE FINAL:

1.            Esta  fase será disputada por 16 (dezesseis) duplas classificadas na Fase anterior.

– As 16 (dezesseis) duplas participantes serão divididas em 08 (oito) jogos numerados de 01 a  08, definidos no sorteio da fase anterior, as chaves serão numeradas de 17 a 24.

– Cada jogo na respectiva chave, a disputa será em forma de eliminatória simples e será classificada para a fase seguinte apenas a dupla vencedora de cada jogo.

 

Serão realizados 08 (oito) jogos na Fase Oitavas de Final, assim definidos:

Jogo 01– Chave 17=  Vencedor Chave 01 X Vencedor da Chave 02.

Jogo 02 – Chave 18 = Vencedor Chave 03 X Vencedor da Chave 04.

Jogo 03 – Chave 19 = Vencedor Chave 05 X Vencedor da Chave 06.

Jogo 04 – Chave 20 = Vencedor Chave 07 X Vencedor da Chave 08.

Jogo 05 – Chave 21 = Vencedor Chave 09 X Vencedor da Chave 10.

Jogo 06 – Chave 22 = Vencedor Chave 11 X Vencedor da Chave 12.

Jogo 07 – Chave 23 = Vencedor Chave 13 X Vencedor da Chave 14.

Jogo 08 – Chave 24 = Vencedor Chave 15 X Vencedor da Chave 16.

 

5ª FASE = QUARTAS DE FINAL:

1.            Esta fase será disputada por 08 (oito) duplas classificadas na fase anterior.

                –  As 08 (oito) duplas participantes serão divididas em 04 (quatro) jogos numerados de 01 a 04, definidos no sorteio realizado na 3ª fase, as chaves desta fase serão numeradas de 25 a 28.

                –  Cada jogo na respectiva chave a disputa será em forma de eliminatória simples e será classificada para a fase seguinte apenas a dupla vencedora de cada jogo.

                Serão realizados 04 (quatro) jogos na Fase Quartas de Final, assim definidos:

                Jogo 01 – Chave 25 = Vencedor Chave 17 X Vencedor da Chave 18.

                Jogo 02 – Chave 26 = Vencedor Chave 19 X Vencedor da Chave 20.

                Jogo 03 – Chave 27 = Vencedor Chave 21 X Vencedor da Chave 22.

                Jogo 04 – Chave 28 = Vencedor Chave 23 X Vencedor da Chave 24.

 

 

6ª FASE = SEMIFINAL:

1.            Esta fase será disputada por 04 (quatro) duplas classificadas na fase anterior.

– As 04 (quatro) duplas participantes desta fase, serão divididas em 02 (dois) jogos numerados de 01 e 02, definidos no sorteio realizado na 3ª fase, as chaves desta fase serão numeradas de 29 e 30.

– Cada jogo na respectiva chave a disputa será em forma de eliminatória simples e será classificada para a fase seguinte apenas a dupla vencedora de cada jogo.

Serão realizados 02 (dois) jogos na Fase Semifinal assim definido:

 

Jogo 01 – Chave 29 = Vencedor Chave 25 X Vencedor da Chave 26. Jogo 02 – Chave 30 = Vencedor Chave 27 X Vencedor da Chave 28.

 

7ª FASE = FINAL:

1.            Esta fase será disputada por 04 (quatro) duplas classificadas na fase anterior.

 

Também chamado de “O GRANDE DIA” com as partidas transmitidas ao vivo pela Inova TV.

Será realizada em 02 (duas) partidas, assim definida:

 

– A Disputa pelo 3º e 4º (terceiro e quarto) lugar será realizada pelas 02 (duas) duplas perdedoras da Fase anterior.

 

Jogo 01 – Chave 31 = Perdedor Chave 29 x Perdedor Chave 30.

 

Será realizada em 01 (um) jogo único, em forma de eliminatória simples, a dupla vencedora desta partida será considerada 3º (terceiro) Lugar da Copa A Crítica de Dominó 2018 e a dupla perdedora desta partida será considerada 4º (quarto) Lugar da Copa A Crítica de Dominó 2018.

 

GRANDE FINAL

 

– A Disputa pelo 1º e 2º (primeiro e segundo) lugar será realizada pelas 02 (duas) duplas vencedoras da Fase anterior.

 

Jogo 02 – Chave 32 = Vencedor Chave 29            x        Vencedor Chave 30.

 

Será realizada em 01 (um) jogo único, em forma de eliminatória simples, a dupla vencedora desta partida será considerada CAMPEÃ da Copa A Crítica de Dominó 2018 e a dupla perdedora desta partida será considerada VICE-CAMPEÃ da Copa A Crítica de Dominó 2018.

 

TÍTULO VII

DAS INSCRIÇÕES

 

Art. 8º. – A taxa de inscrição será 01 (uma) lata ou pacote de leite em pó por participante, os demais serviços da Copa A Crítica de Dominó – 2018 serão gratuitos  e deverão ser homologados pela Direção Geral.

 

§ 1º. – As inscrições deverão ser realizadas no período determinado pela Direção Geral.

 

§ 2º. – A dupla poderá ser composta por atletas masculinos, ou atletas femininos, ou mistos (atleta masculino e feminino).

 

§ 3º. – Em Manaus a inscrição deverá ser efetuada diretamente na sede da Coordenação da Copa A Crítica de Dominó – 2018, situada na Rua Joaquim Sarmento, nº. 270 A – centro, de segunda feira a sábado, no horário comercial.

 

Art. 9º. – Não será permitida a inscrição de atleta menor de 18 (dezoito) anos, deverá  ter nascido até o ano 2000.

 

 

 

 

Art. 10. – Cada atleta participante só poderá fazer 01 (uma) inscrição para a Copa A Crítica de Dominó – 2018. Caso qualquer dos atletas participantes da dupla efetuar mais de 01 (uma) inscrição a dupla (os 02 (dois) atletas) será eliminada da Copa A Crítica de Dominó – 2018, ficando impedida de disputar a competição.

 

Art. 11. – Cada dupla deverá apresentar no ato da inscrição, obrigatoriamente, a seguinte documentação de cada atleta participante da dupla:

                - Ficha de inscrição da dupla, padronizada com a logo da Copa A Crítica de Dominó 2018 preenchida digitalmente ou a mão em letra de forma, sem rasuras, com as informações de cada atleta e assinada por  cada atleta igual a assinatura do documento apresentado.

A)           01 cópia (xerox) legível de um dos seguintes documentos de identidade:

•             Carteira de Identidade civil (RG) expedida pela Secretária de Segurança Estadual, ou

•             Carteira de Identidade Militar expedida pela Policia Militar ou Forças Armadas, ou

•             Carteira Nacional de Habilitação (que contenha foto , nº do RG e assinatura do por- tador), ou

•             Carteira de Conselho Federal de Classe (OAB, CRM, CREA, CREF, etc.) expedida pelo Conselho Federal ou Regional que contenha foto, nº da RG, e assinatura do portador), ou

•             Carteira Profissional do Trabalho, emitida a partir de 2005, que contenha foto, nº RG e assinatura do portador, ou

•             Passaporte.

Havendo dúvida na sua identificação o atleta deverá apresentar o documento original.

O documento apresentado tem que estar dentro do prazo de validade estabelecido no mesmo, caso a validade esteja vencida o mesmo não será recebido pela Secretaria da Copa A Crítica de Dominó 2018.

 

TÍTULO IX

DA PREMIAÇÃO

 

Art. 12. – As duplas finalistas da Copa A Crítica de Dominó – 2018 serão conferidas as seguintes premiações:

a)            Dupla Campeã: R$ 20.000,00 (vinte mil reais).

Sendo, R$ 10.000,00 (dez mil reais) para cada competidor.

+ 01 (um) freezer com cerveja para a dupla.

Troféus:              01 (um) para cada competidor.

b)           Dupla Vice Campeã:       R$ 5.000,00 (cinco mil reais).

Sendo, R$ 2.500,00 (dois mil e quinhentos reais) para cada competidor.

+ 01 (um) freezer com cerveja para a dupla.

Troféus:              01 (um) para cada competidor.

c)            Dupla 3º lugar:  R$ 2.000,00 (dois mil reais).

Sendo, R$ 1.000,00 (um mil reais) para cada competidor.

Troféus:              01 (um) para cada competidor).

d)           Dupla 4º lugar:  R$ 1.000,00 (um mil reais).

Sendo, R$ 500,00 (quinhentos reais) para cada competidor.

Troféus:              01 (um) para cada competidor.

 

Parágrafo Único – A premiação correspondente a cada ganhador será entregue nominal e individualmente, não sendo permitidos acordos ou arranjos envolvendo a premiação conquistada.

 

TÍTULO IX

DOS LOCAIS DE DISPUTA

 

Art. 13. – Os jogos serão realizados na cidade de Manaus, em locais escolhidos pela Direção Geral, com data, horário e local divulgado pelo Jornal A Crítica.

 

Art. 14.  – A Direção Geral fixará no Quadro de Avisos da Coordenação a data, local e horário dos jogos, com a antecedência mínima de 24 horas da realização do mesmo.

 

 

TÍTULO X DOS JOGOS

 

Art. 15. – Os jogos serão disputados em melhor de até 03 (três) partidas de 200 (duzentos) pontos cada partida. A dupla que vencer 02 (duas) partidas será a vencedora do jogo.

 

§ 1º. – A partida só será encerrada quando uma das duplas completarem o mínimo de 200 (duzentos) pontos e um dos competidores tenha sentado (jogado) todas as pedras, a dupla que somar o maior numero de pontos será a vencedora da partida.

 

§ 2º. – Caso uma das duplas some 200 (duzentos) pontos ou mais, mas nenhum dos competidores tenha sentado (jogado) todas as pedras, a partida prosseguirá até que um dos competidores tenha sentado (jogado) todas as pedras. A dupla vencedora da partida será a dupla que somar o maior numero de pontos.

 

§ 3º. – Caso a partida termine empatada, ou seja, um dos competidores tenha sentado (jogado) todas as pedras e cada dupla some o mesmo número de pontos (200 (duzentos) ou mais), a partida terá prosseguimento, reiniciando com a saída efetuada pelo competidor que bateu a partida e será vencedora a dupla que somar o maior numero de pontos quando um dos competidores tenha sentado (jogado) todas as pedras).

 

§ 4º. – Quando a partida for fechada (os  competidores tem pedras na mão, mas não podem sentar (jogar) na mesa), os pontos das pedras de posse de cada competidor da dupla serão somados e a dupla que somar o maior número de pontos (transformados para o múltiplo de 05 (cinco) mais próximo, para baixo) serão computados como pontos para a dupla adversária (a que tinha o menor número de pontos quando a partida foi fechada). Caso após a partida ser fechada, a soma dos pontos de posse de cada dupla seja igual, nenhum ponto será somado para cada dupla e, a partida terá prosseguimento, reiniciando com a saída para o competidor de posse da “carroça de sena”.

 

Art. 16. – A contagem de pontos será feita em múltiplos de 05 (cinco). Art. 17. – Será obedecida a seguinte tabela de pontuação:

a)            Saída sem carroça           = 20 (vinte) pontos para a dupla adversária;

b)           Passe simples   = 20 (vinte) pontos para a dupla adversária;

c)            Batida com carroça         = 20 (vinte) pontos para dupla que bateu com carroça;

d)           Passe geral (Galo)           = 50 (cinqüenta) pontos para a dupla que o aplicou;

 

Art. 18. – Quando do início da partida, a mesma começará com o competidor de posse da “carroça de sena”.

 

§ 1º. – Caso a partida tenha sido iniciada anteriormente, a saída será realizada pelo competidor que bateu a partida anterior (efetuou a última jogada), podendo iniciar sentando (jogando) qualquer carroça.

 

§ 2º. – O competidor que sair no jogo (sentar a carroça) sem que o mesmo tenha batido a partida anterior, a dupla infratora será penalizada com a perda desta partida, na reincidência a dupla infratora será declarada perdedora do jogo.

 

Art. 19. – Caso a partida tenha sido iniciada anteriormente e o competidor que bateu a partida (efetuou a última jogada) não tenha nenhuma carroça para iniciar a partida, este perderá (passará) a vez para o competidor a sua esquerda e a dupla adversária será beneficiada com a marcação de 20 (vinte) pontos a seu favor. Caso o competidor beneficiado com a vez de jogar, também não tenha nenhuma carroça para iniciar a partida, este perderá a vez para o competidor a sua esquerda, porém neste caso não haverá nenhum ponto de bonificação para a dupla adversária.

Art. 20. – As jogadas seguirão sempre pelo lado esquerdo de cada competidor.

 

Art. 21. – O início de cada partida será determinado pelo árbitro, logo após a aprovação das pedras a serem utilizadas.

 

Art. 22. – Em cada partida para que a mesma seja iniciada, o árbitro mexerá as pedras, após misturá-las, autorizará que os competidores retirem as pedras com as quais disputará a partida.

 

 

 

Art. 23. – Em todas as partidas após retirar as suas 7 (sete) pedras, cada competidor poderá observar suas pedras, manuseá-las ou arrumá-las alternando-as entre si, devendo as pedras ficarem unidas e encostadas na extremidade da mesa próxima do competidor, após estes observarem as pedras com as quais irão disputar a partida, o árbitro perguntará se algum competidor tem em mãos 05 (cinco) ou mais carroças.

 

§ 1º - Caso algum dos competidores tenha em mãos 5 (cinco) ou mais carroças, o árbitro solicitará que atleta apresente estas carroças aos demais competidores, em seguida, todas as pedras serão recolhidas pelo árbitro que efetuará nova mistura das pedras e prosseguirá efetuando o mesmo procedimento determinado no caput deste artigo.

 

§ 2º - Se um dos competidores comunicar que possui 5 (cinco) carroças e ao mostrar as pedras for verificado que possui apenas 4 (quatro) ou menos carroças, a dupla deste competidor será declarada perdedora da partida.

 

§ 3º - Caso algum competidor após o início da partida comunicar ao árbitro que tem em mãos 5 (cinco) ou mais carroças, a dupla deste competidor será declarada perdedora da partida. Ocorrendo de o competidor ter em mãos 5 (cinco) ou mais carroças e este não se manifestar a partida prosseguirá normalmente.

 

§ 4º - Se nenhum dos competidores comunicar que tenha 5 (cinco) ou mais carroças o árbitro autorizará o início da partida

 

Art. 24. – Durante o decorrer da partida os competidores não poderão conversar, caso isto ocorra, a dupla infratora será advertida pelo árbitro e penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla adversária, na reincidência (na mesma partida) a dupla infratora será declarada perdedora da partida.

 

Parágrafo Único – Será permitida a conversa entre os competidores da dupla ou entre as duplas no intervalo entre as partidas.

 

Art. 25. – Quando chegar a sua vez de jogar o competidor deverá retirar todas as suas pedras da mesa para visualizá-las, caso o competidor retire apenas algumas pedras da mesa a dupla infratora será penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla adversária, na    reincidência a dupla será declarada perdedora da partida, se ainda neste jogo houver a persistência desta infração a dupla infratora será declarada perdedora do jogo.

 

Art. 26. – Durante a partida quando for a vez de jogar (sentar a pedra) o competidor somente deverá pegar a pedra com a mão direita se for destro ou a mão esquerda se for canhoto (ou   sinistro) desde a primeira jogada que efetuar até o final do jogo, não podendo usar a mão direita em uma jogada e usar a mão esquerda em outra jogada, caso o competidor alterne o lado da mão para efetuar a jogada, a dupla infratora será penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla adversária, na reincidência a dupla será declarada perdedora da partida, se ainda neste jogo houver a persistência desta infração a dupla infratora será declarada perdedora do jogo.

 

Art. 27. – A dupla que contar (cantar) pontos de forma errada, será penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla adversária e os pontos quando existirem serão marcados para a dupla que efetuou a jogada.

 

Parágrafo Único – A dupla que contar (cantar) pontos que não existam, será penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla adversária.

 

Art. 28. – Para a marcação dos pontos obtidos, qualquer dos competidores da dupla deverá   cantar (informar) os pontos a que tem direito até que o competidor adversário efetue a sua jogada. Caso o adversário tenha sentado (jogado) a pedra na mesa os pontos não serão computados.

 

Art. 29. – A pedra que ao ser sentada (jogada) na mesa for vista (virada para cima) pelos    competidores ou pelo árbitro, terá que ser colocada (jogada) na mesa. Caso a pedra que foi vista não possa ser colocada (jogada) na mesa a dupla infratora será declarada perdedora desta partida.

 

 

 

§ 1º. – Se durante a partida a pedra de algum competidor cair no chão ou na mesa, virada para baixo, a dupla infratora será penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla adversária.

 

§ 2º. – Se durante a partida a pedra de algum competidor cair no chão ou na mesa e for vista (virada para cima) pelos competidores ou árbitro, esta pedra terá que ser colocada na mesa. Caso esta pedra não possa ser colocada na mesa a dupla infratora será declarada perdedora da partida, na reincidência a dupla infratora será declarada perdedora do jogo.

 

Art. 30. – A pedra direcionada para uma determinada posição do jogo, deverá permanecer (ficar) aonde foi colocada, ainda que esta pedra em outra posição possa somar pontos ou mais pontos para a dupla, a pedra não poderá mudar de posição, ficando o prejuízo para a dupla que sentou (jogou) a pedra na posição errada.

 

Art. 31. – O competidor não poderá passar com a pedra na mão, isto é, dizer (falar) que não tem pedra para jogar mesmo que tenha pedra que se encaixe no jogo.

 

§ 1º. – Caso o competidor da vez perceba a tempo que tem pedra para jogar e realize a jogada antes que o competidor seguinte efetue a jogada, a partida prosseguirá normalmente, porém, a dupla infratora será penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla adversária, na reincidência a dupla será declarada perdedora da partida, se ainda neste jogo houver a   persistência desta infração a dupla infratora será declarada perdedora do jogo.

 

§ 2º. – Caso o competidor da vez passe com pedra na mão e a partida tenha prosseguimento, e esta infração seja percebida (pelo árbitro ou adversários) de imediato ou durante a partida, a dupla infratora será declarada perdedora do jogo.

 

Art. 32. – Durante a disputa dos jogos aos competidores não será permitido:

a)            Usar óculos escuros ou espelhados;

b)           Usar chapéu ou boné;

c)            Mascar chiclete;

d)           Usar aparelho eletrônico em geral;

e)           Bebida na mesa (qualquer tipo);

f)            Bolsa ou mochila;

g)            Disputar o jogo com o aparelho celular ligado;

h)           Fumar na mesa ou no ambiente da disputa dos jogos.

 

§ 1º. – Se for verificada pelo árbitro alguma destas infrações por parte de algum competidor antes do início da partida, o mesmo será advertido e solicitado que cumpra o determinado no caput deste artigo, persistindo na infração a dupla será declarada perdedora do jogo.

 

§ 2º. – Caso ocorra alguma destas infrações durante a partida por um dos competidores a dupla infratora será advertida e penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla    adversária, na reincidência a dupla infratora será declarada perdedora do jogo.

 

Art. 33. – Quando da disputa da partida aos competidores não será permitido:

a)            Cruzar os braços;

b)           Fazer sinais;

c)            Fazer gestos;

 

Parágrafo Único – Caso ocorra alguma destas infrações durante a partida por um dos    competidores a dupla infratora será penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla    adversária, na reincidência a dupla infratora será declarada perdedora da partida.

 

Art. 34. – Quando da disputa da partida aos competidores não será permitido “Passar gato” (pedra que não se encaixa com a pedra que esta na mesa). Caso ocorra esta infração por um dos competidores a dupla infratora será considerada perdedora do jogo.

 

Art. 35. – Não será permitido bater a pedra na mesa quando da realização da jogada, caso isto ocorra a dupla infratora será penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla adversária, na reincidência a dupla infratora será declarada perdedora da partida.

 

Art. 36. – As pedras deverão permanecer viradas sobre a mesa até o momento em que o competidor for efetuar a sua jogada.

 

§ 1º. – O competidor que manusear as suas pedras sem que seja a sua vez de efetuar a jogada (sentar a pedra na mesa) será penalizado com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla adversária, na reincidência a dupla infratora será declarada perdedora da partida.

 

§ 2º. – Se durante este manuseio a pedra cair na mesa ou no chão a dupla infratora será declarada perdedora da partida, na reincidência a dupla infratora será declarada perdedora do jogo.

 

Art. 37. – Quando da vez do competidor jogar (sentar a pedra na mesa) o mesmo deverá efetuar a jogada colocando a pedra na posição correta em que a mesma ficará na mesa, não sendo permitido que o competidor coloque a pedra atravessada como se fosse “carroça”, quando na verdade a pedra colocada não mesa não seja uma “carroça”, caso isto ocorra a dupla infratora será advertida pelo árbitro penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla  adversária, na reincidência a dupla será declarada perdedora da partida, se ainda neste jogo houver a persistência desta infração a dupla infratora será declarada perdedora do jogo.

 

Parágrafo Único – Quando da vez do competidor jogar (sentar a pedra na mesa) o mesmo deverá colocar a pedra em linha, cabendo ao árbitro realizar ou autorizar a mudança de direção da pedra, para a direita ou para a esquerda. Caso o competidor mude a direção da pedra sem necessidade (tendo espaço na mesa) ou sem a autorização do árbitro a dupla infratora será penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla adversária, na reincidência a dupla infratora será declarada perdedora da partida.

 

Art. 38. – O competidor ao arrumar as suas pedras deverá colocá-las unidas (uma ao lado da outra) não poderá deixar nenhuma pedra em separado, caso isto ocorra a dupla infratora será advertida pelo árbitro penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla adversária, na reincidência a dupla infratora será declarada perdedora da partida, se ainda neste jogo houver a persistência desta infração a dupla infratora será declarada perdedora do jogo.

 

Art. 39. – A partida finalizada através de irregularidade por uma das duplas competidoras terá como resultado final o total de 200 (duzentos) pontos a 0 (zero) para a dupla vencedora da partida, independente dos pontos marcados até o momento da irregularidade

 

Parágrafo Único – O jogo que for finalizado através de irregularidade por uma das duplas competidoras terá como resultado final o placar de 2 x 0 (dois a zero) com parciais de 200 (duzentos) pontos a 0 (zero) cada partida para a dupla vencedora do jogo, independente dos pontos marcados até o momento da irregularidade

 

Art. 40. – Cada competidor terá o tempo máximo de 15 (quinze) segundos para efetuar a jogada, sentando (jogando) a pedra na mesa.

 

Parágrafo Único – Caso este tempo seja ultrapassado por um dos competidores a dupla infratora será advertida e penalizada com a marcação de 20 (vinte) pontos para a dupla adversária, na reincidência a dupla será declarada perdedora desta partida.

 

Art. 41. – Em todas as fases da competição, antes de cada jogo, cada competidor da dupla deverá identificar-se para o árbitro da partida, apresentando o seu documento de identificação original, ou xerox, de um destes documentos:

 

•             Carteira de Identidade civil (RG) expedida pela Secretária de Segurança Estadual, ou

•             Carteira de Identidade Militar expedida pela Policia Militar ou Forças Armadas, ou

•             Carteira Nacional de Habilitação (que contenha foto , nº do RG e assinatura

 

do portador), ou

•             Carteira de Conselho Federal de Classe (OAB, CRM, CREA, CREF, etc.) expedida pelo Conselho Federal ou Regional que contenha foto, nº da RG, e assinatura do portador), ou

•             Carteira Profissional do Trabalho, emitida a partir de 2005, que contenha foto, nº RG e assinatura do portador, ou Passaporte.

§ 1º. – Caso algum dos competidores não se identifique para disputar a partida conforme o de- terminado no caput deste artigo, a dupla infratora será declarada perdedora do jogo.

 

§ 2º. – Na ocorrência de competidores de duplas diferentes não identificarem-se conforme o caput deste artigo, as 02 (duas) duplas serão declaradas perdedoras do jogo.

 

Art. 42. – Será obedecida uma tolerância de 15 (quinze) minutos somente para o início do 1º. (primeiro) jogo da rodada, conforme o horário publicado no Quadro de Avisos da sede da Coordenação da competição.

 

Art. 43. – No dia da competição a ausência de um dos competidores da dupla eliminará a dupla da competição.

 

TÍTULO XI

DO USO DA IMAGEM

 

Art. 44. – Ao inscrever-se na Copa A Crítica de Dominó – 2018 o competidor autoriza a utilização gratuita de sua imagem pelos organizadores e patrocinadores do evento para divulgação e promoção do mesmo pelo período de 03 (três) anos.

 

Parágrafo Único – A imagem dos competidores poderá ser utilizada por todos os meios de comunicação da Rede Calderaro de Comunicação, bem como pelos patrocinadores do evento.

 

TÍTULO XII

DAS CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

Art. 45. – O competidor que apresentar dificuldade em segurar (pegar) as pedras,

                poderá utilizar-se de acessório que possibilite este ato (segurar / pegar), desde que seja

                autorizado pela Direção Geral da competição.

 

Art. 46. – Em todas as fases da competição o Coordenador Técnico será auxiliado por Supervisor Geral de Arbitragem.

 

Art. 47. – O Supervisor Geral de Arbitragem atuará na escalação do Arbitro para atuar na arbitragem de cada jogo da fase em disputa, no esclarecimento do regulamento e na aplicação da punição ao(s) infrator (es), cujas decisões serão sumárias e irrecorríveis.

 

Art. 48. – Durante a competição o arbitro designado para a arbitragem do jogo terá as seguintes atribuições.

§ 1º. – Será o responsável pela mistura das pedras antes de iniciar cada partida.

 

§ 2º. – Será o responsável pelo registro na súmula do jogo dos pontos obtidos por cada dupla no decorrer da partida, informando eventualmente o total dos pontos de cada dupla,  determinando quando do final da mesma, o total dos pontos obtidos e a dupla vencedora da partida ou do jogo.

 

§ 3º. – Será o responsável pelo cumprimento do Regulamento e quando observar que um ou mais competidor estão tentando burlar o Regulamento, aplicará a pena determinada para a infração praticada.

 

 

 

 

§ 4º. – Suas decisões serão definitivas quando amparadas pelo Regulamento da competição, salvo se houver duvida na interpretação da pena aplicada conforme a infração cometida, neste caso o Supervisor Geral de Arbitragem, após ouvir as partes (Arbitro e Competidor) aplicara a pena determinada para a infração praticada.

 

§ 5º. – A dupla participante da partida não poderá vetar o árbitro designado pelo Supervisor Geral de Arbitragem.

 

Art. 49. – Nas partidas das Fases Semifinal e Final o Supervisor Geral de Arbitragem atuará como supervisor das partidas, buscando melhor observar o comportamento dos competidores na obediência ao Regulamento, colocando-se no lado oposto ao arbitro designado para a arbitragem.

 

Art. 50. – Os casos omissos serão resolvidos pelo Coordenador Técnico da competição, no momento da disputa, de forma sumária e irrecorrível.

 

                                                                             

                                                                              Maio de 2018.

                                                                              A Direção Geral.

 

Publicidade
Publicidade