Publicidade
Esportes
Craque

Confronto com o Nacional servirá de parâmetro para o Princesa na fase final

O treinador do Tubarão, Zé Marco, falou da expectativa do jogo de domingo, jogou o favoritismo para o rival e disse que não tem planejamento especial contra o Nacional 21/05/2015 às 20:38
Show 1
Treinador Zé Marco, comandante do Princesa
Felipe de Paula Manaus (AM)

Já classificado para a próxima fase do Barezão, o Princesa do Solimões, por meio do técnico Zé Marco, ainda não admite, mas já pensa nas semifinais do Campeonato Amazonense. Antes disso, porém, tem um jogo que pode servir de medida para a fase final da competição. A partida em questão trata-se de nada mais nada menos que uma das maiores rivalidades do estado do Amazonas nos últimos anos: Princesa x Nacional, em jogo marcado para o próximo domingo, às 16h, no estádio Ismael Benigno, a Colina.

Em conversa com a reportagem do CRAQUE, o treinador do Tubarão, Zé Marco, falou da expectativa do jogo de domingo e joga o favoritismo para o rival. “Esperamos vencer a partida. Sabemos que pela campanha que o Nacional vem fazendo, eles são favoritos. Por outro lado, nosso time vem crescendo, evoluindo. É um adversário difícil de ser batido, mas vamos a campo jogar futebol, tentar somar esses três pontos”, disse o treinador, que avalia a partida como uma boa medida para a próxima e decisiva fase do Barezão mas diz não fazer uma preparação diferente da que já vem realizando com foco nas outras partidas.

“Sim, com certeza esse jogo contra o Nacional serve como parâmetro, mas nossa preparação é única, não diferencia de acordo com o adversário. Organizamos sim taticamente o time para cada partida, mas não teve nada de especial para esse jogo. O planejamento segue o mesmo que já está montado desde o início da competição”, disse ele.

Questionado sobre o que o Princesa precisa repetir e o que precisa mudar para a fase final do certame, Zé Marco não esconde o jogo. “O que a gente fez e vai continuar fazendo é não fugir das nossas características, que é a marcação forte e a saída de bola em velocidade. Todos os jogos em que cumprimos isso à risca, alcançamos o êxito, que foi a vitória”, diz ele, acrescentando a segunda parte da pergunta. “O que precisamos mudar é a bola aérea defensiva, pos pegamos muitos gols dessa maneira”, finalizou.

Publicidade
Publicidade