Domingo, 19 de Maio de 2019
Craque

Conheça a história do jogador amazonense Eduardo de Melo, o destaque do Vasco na Copinha

Meio-campista era anônimo até alguns dias atrás, quando marcou o gol que manteve o Vasco vivo na briga por vaga na 2ª fase da Copa São Paulo de Futebol Júnior



1.jpg
Meio-campista integra as categorias de base do Cruz-Maltino após passar quatro anos no futebol paulista, pela Portuguesa
11/01/2016 às 10:44

Poderia ser só mais um garoto com o desejo de ser jogador de futebol profissional. Entretanto, Eduardo Melo Alves, 19, foi além. O meio-campista era anônimo até alguns dias atrás, quando marcou o gol que manteve o Vasco vivo na briga por uma vaga na segunda fase da Copa São Paulo de Futebol Júnior até domingo, quando perdeu para o América-MG. Mas a história dele começou “bem ali”, no bairro da Redenção, Zona Oeste de Manaus.

O manauense nunca passou por categorias de base de qualquer equipe profissional baré, mas ganhou o gosto pela redonda no campinho em frente de casa. Após se destacar em jogos de várzea e competições amadoras, como o Peladinho, foi surpreendido pela mãe, Marcela Alves. No final de 2010, ela inscreveu o filho em uma peneira da Portuguesa, na capital paulista. Com as cinco etapas vencidas, toda a família arrumou as malas e partiu em busca do sonho.

“Estou onde estou por causa da minha mãe e do meu pai. Eles tomaram uma decisão meio louca. Ela falou: ‘filho, amanhã, você vai fazer um teste lá em São Paulo’. Eu nunca imaginei que sairia da minha cidade para jogar”, disse, ao ressaltar que o pai, Eduardo Antônio Alves, não pensou duas vezes. “Eu era muito novo (tinha 15 anos) e não poderia ficar no alojamento. Daí, meus pais largaram tudo: casa, empregos e família”, lembrou.

E graças a essa “loucura”, a carreira de “Dudu”, como é mais conhecido no futebol, começou a andar. Foram quatro anos na Lusa e, somente no segundo semestre de 2015, o amazonense conseguiu conquistar um lugar na equipe carioca. Aliás, grande parte da família Melo Alves é cruzmaltina. Por isso, o jogador pretende se desenvolver em São Januário, chegar à elite dos gramados e, um dia, trazer orgulho a todos os vascaínos. “Eu sempre joguei e fui campeão em competições acima da minha idade, por ser grandão. Era artilheiro e todos comentavam que eu precisava jogar fora. E estamos aí, em busca do sonho”, declarou. “Tenho certeza que vou conseguir representar muito bem Manaus. Quero me tornar profissional no Vasco e, depois, ir para o exterior. Assim que me aposentar, voltar para Manaus e dar uma luz para os garotos que sonham em ser jogador de futebol”, completou o vascaíno.

Inspiração e valorização
Apesar de ter apenas 19 anos de idade e uma vida inteira para passear pelos gramados, Eduardo já aprendeu com as histórias de quem precisou abrir mão do sonho por falta de oportunidade. O meio campista conhece os obstáculos de quem tenta se tornar um jogador de futebol profissional no Amazonas. Por isso, enfatizou, disse nunca ter tentado um time local. “O futebol de Manaus é muito desvalorizado. Tem vários garotos com bastante potencial para estar em qualquer clube do Brasil, mas ninguém dá oportunidade. E, quando dão, as próprias diretorias dos times atrasam a vida do garoto. Meu pai e tios passaram por isso quando eram novos. Acho que dificilmente isso irá mudar. É uma pena”, lamentou, ao ressaltar que o irmão Guilherme, 10, quer seguir o mesmo caminho.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.