Publicidade
Esportes
Sem limites

Conheça o paratleta Jayme David: para ele, o impossível não existe

Não importa o tipo de competição, nem a distância, Jayme David gosta mesmo é de estar presentes nos eventos esportivos, sempre superando limites 06/03/2017 às 05:00
Show img0017424033
Jayme adora adrenalina, e busca sempre a superação pessoal nas provas que participa (Foto:Antônio Lima)
Jéssica Santos Manaus (AM)

Na terceira e última reportagem da série Sem limites, vamos conhecer um paratleta que faz de tudo um pouco, porque é apaixonado por superar a si mesmo.

Jayme David, 30, é um rapaz aparentemente tranquilo, mas conhecendo-o melhor, você perceberá que ele gosta mesmo é de muita adrenalina. Jayme é um multiatleta, adora participar de competições desafiadoras em diversas modalidades, com um detalhe importante, ele é cadeirante, devido à escoliose congênita.

Com a deficiência, Jayme começou a praticar esporte para melhorar os problemas causados pela escoliose. “Eu comecei com a natação, no Proamde (Programa de Atividades Motoras para Deficientes), aos 16 anos, mas era só adaptação à água; era um lazer e um alívio para a coluna e para as pernas. Os treinos de verdade, eu comecei há menos de um ano com meu técnico, o Coronel”, conta Jayme. E logo que começou a dar as primeiras braçadas, Jayme se arriscou a nadar num torneio máster da cidade.

Ele é assim, adora desafios. “Eu sempre gostei de estar na água, da variedade dos esportes. Joguei basquete, rugby na cadeira de rodas, fiz de tudo um pouco”, afirmou.

Hoje, Jayme faz musculação, participa das corridas de rua, das provas de aventura, obstáculos e de triathlon. “Faz seis anos que eu comecei a correr, mas eu nem ligo muito para a competição, meu maior objetivo nas provas é me superar”, conta ele.

Além do esporte, Jayme trabalha como segurança do trabalho, e faz diversas atividades diárias, nunca está parado. “Com a fisioterapia, a massoterapia e o esporte, consigo ter uma melhora nos problemas causados pela escoliose, ajuda muito”, conta ele.

As corridas e os desafios

Jayme ainda se lembra do seu primeiro treino de corrida. “Corri 10 minutos, mas pareciam ser 5 horas, fiquei morto; mas voltei no dia seguinte, e já foi mais fácil”, disse. O multiatleta também recorda da sua primeira corrida de rua. “eu corria com uma cadeira de basquete, que era mais acessível, e fui logo fazendo o trajeto da ponte, com belas subidas. Também lembro que ainda não faziam largada diferenciada para os cadeirantes, então eu fui atropelado por corredores, fiquei ralado, queriam que eu parasse, mas eu disse que ia continuar e terminei em 39 minutos, e foi daí que começou minha superação”, narra Jayme.

Depois ele passou a participar de outras corridas, começou a fazer provas de 10 km e meias-maratonas. “Hoje, eu tenho 9 meias-maratonas e mais o Challenge, (prova de triathlon com 1,9 km de natação, 90 km de ciclismo e 21 km de corrida), que fiz em 6 horas e meia, com a ajuda de amigos”, recorda Jayme.

E Jayme quer muito mais desafios na sua vida. “Toda corrida, maratona, triathlon e, aventura que tiver, estarei lá inscrito para participar”, conta ele, animado.

O paratleta afirma que participa dessas provas porque são as que ele mais gosta de fazer. “Eu até gosto das corridas de 5 km, mas prefiro as mais desafiadoras. Meu objetivo é concluir cada desafio, mas se eu tiver condições de competir, vou com tudo”, diz ele.

O próximo desafio que Jayme quer superar é a Maratona do Rio de janeiro, num lindo e duro percurso de 42 km. Ele também tem vontade de conquistar a medalha do Ironman 70.3 de Fortaleza. “Se eu estiver na largada, garanto que eu termino a prova”, garante Jayme.

Parcerias para todas as horas

Ricardo e Jayme estão sempre juntos nas corridas da cidade. (Foto:Euzivaldo Queiroz)

Ricardo Rabelo, 47, acompanha Jayme há cinco anos. Ele é motorista e, também, parceiro de competições do paratleta.  “Nos conhecemos nas corridas, firmamos amizade e nos divertimos fazendo tudo juntos.  Acho que o Jayme tem muita raça e muita coragem; às vezes, eu dou umas ideias malucas para ele, mas o incrível é que ele compra logo a proposta, e diz: - bora!”, conta Ricardo.

Os dois buscam desafios, mas não se arriscam. “Eu sempre busco a segurança. Se tem uma prova dentro da mata, eu vou lá e analiso tudo primeiro, para que na hora não haja imprevistos, sufoco. Mas ele é muito guerreiro de ir lá e ter coragem de fazer”, ressalta Ricardo.

Além do seu amigo Ricardo, Jayme está sempre acompanhado de sua namorada, Luzyanne Gomes. Ela conta que sempre o acompanha nas corridas e que o admira. “Eu gosto da rotina de competições dele, tenho um pouco de medo de ele se machucar, mas acho ótimo ele gostar de desafios, admiro muito isso”, disse ela.

Publicidade
Publicidade