Publicidade
Esportes
SUPERAÇÃO

Contadora aprende a nadar com 43 anos e ganha medalha após vencer o medo

Olimpíadas do Rio de Janeiro inspiraram a contadora Luciane Cavalcante, que antes tinha receito de nadar e hoje pratica a modalidade junto com o filho de 16 anos 15/09/2016 às 15:49
Show nadadora
Nadadora aceitou a modalidade e hoje pratica com alegria (Foto: Clóvis Miranda)
Dani Brito Manaus (AM)

No último mês com a realização das Olimpíadas no Brasil, acompanhamos as mais diversas histórias de superação, motivação e vontade de vencer. E dentro deste contexto mostraremos agora a história de Luciane Cavalcante, 43, uma mulher que decidiu vencer o medo e aprender a nadar, e em menos de dois meses não só se tornou adepta do esporte como conquistou a primeira medalha de natação.

Luciane é formada em contabilidade e passou a vida toda vendo os outros nadarem. Porém, devido às ânsias de vômitos que tinha ao sentir o cheiro do cloro, nunca conseguiu ter uma relação muito boa com as piscinas.

Ao contrário dela, o filho Vinícius Pessoa, 16, aprendeu a dar as primeiras braçadas aos três anos de idade. Porém, aos 10 anos deixou a modalidade de lado e desde então só entrava em piscinas para brincar. Hoje, mãe e filho treinam juntos e já participaram da primeira competição deles, em categorias diferentes.

“Sempre me incomodei por não saber nadar, principalmente porque gosto de fazer atividades em rio, e mesmo sem saber, colocava um colete e me jogava. Agora, com 43 anos resolvi aprender”, disse ela, que durante a vida já praticou esportes como handebol, basquete e capoeira. O maior incentivo veio de dentro de casa, pois o filho já tinha decidido voltar ao esporte. Atualmente os dois treinam na piscina do Clube do Trabalhador (Sesi), no bairro Coroado. Todas as noites eles treinam em piscinas diferentes, porém, unidos na vontade de se superar e evoluir a cada dia.

Quando decidiu começar a nadar, Lu recebeu incentivo de todos os lados e isso só aumentou a vontade de vencer os obstáculos. Ela começou na piscina rasa, com uma turma de crianças e atualmente já está no terceiro nível e já nada com adultos. “No primeiro dia eu achei meio estranho estar ali com um monte de crianças, as tive o apoio dos professores e o que era complicado tornou-se simples”, ressaltou. Com tanto esforço em menos de dois meses de treino, Luciane participou da primeira competição interna. E para surpresa dela, o filho também decidiu participar da competição. “Fiquei surpresa pois ele nunca gostou de competir”, disse.

Sobre a competição, os dois saíram campeões numa noite que ficou marcada por alegrias, superações e emoções para mãe e filho. De acordo com dados da Secretaria de Esportes do Estado (Sejel), as Olimpíadas incentivaram o interesse por diversas modalidades em Manaus. O crescimento da procura pelas escolinhas da Vila Olímpica de Manaus foi de até 50%. Tá esperando o que para também praticar alguma coisa?

Publicidade
Publicidade