Sábado, 15 de Maio de 2021
Tática para a vitória

Contra o experiente Aderbal Lana, Sérgio Duarte diz que precisará de sabedoria para vencer time oponente

São Raimundo e Princesa se enfrentam na tarde deste domingo (2), pela semifinal do Campeonato Amazonense



9a96cabe-38d8-4cb3-a1c9-c8adbeeaa744_1CAE633E-3046-4096-A3D6-6A739CEA6809.jpg Foto: Antônio Assis / FAF
02/05/2021 às 10:56

São Raimundo e Princesa têm em comum o elenco jovem, iniciando o Barezão – até certo ponto – desacreditado. Mas enquanto o Tubarão fez uma campanha regular – quatro vitórias e seis empates, invicto até aqui –, o São Raimundo teve muitos altos e baixos na competição com três vitórias, quatro empates e três derrotas. E é com campanhas distintas que os times medem forças neste domingo (2), às 15h30, no estádio Carlos Zamith, buscando uma vaga na final e voltar a disputar competições nacionais em 2022.

Para o técnico Sérgio Duarte,  que assumiu a equipe na segunda rodada do Amazonense as dificuldades enfrentadas como lesões, falta de campo para treinar, além de jogadores – que deixaram o time ou foram dispensados – serviram para fortalecer o grupo, que determinado, se esforçou para crescer na competição e fazer partidas melhores a cada rodada.



“Tivemos muitos problemas durante a primeira fase. Ficamos com um plantel muito reduzido e muito jovem, mas fomos reagindo às dificuldades e criando um clima de harmonia e vontade de trabalhar. Independente das adversidades, crescemos dentro da competição. Fiz de tudo um pouco quando percebi que as dificuldades poderiam me fortalecer e fortalecer o meu grupo de trabalho. Pedi a Deus sabedoria para fazer com que os jogadores acreditassem que têm potencial e que, independente das circunstâncias, nós poderíamos buscar um objetivo maior que uma simples participação no campeonato”, explicou.

Experiência fora de campo

Sobre o desafio de encarar Aderbal Lana, maior vencedor de Campeonatos Amazonenses e que fez história quando comandava o São Raimundo, Sérgio espera ter montado a estratégia certa.

“Fico feliz em saber que o Aderbal tem admirado o meu trabalho. É um grande treinador e tenho o maior respeito e admiração por ele também. Foi meu treinador e conquistamos muito no futebol amazonense, aprendi muito com ele e sou grato por isso. Hoje estamos em lados opostos e buscando mais uma conquista em nossas carreiras. Sei o quanto vou ter que ser sábio e equilibrado para superá-lo”.

Por ter feito uma melhor campanha no certame, o Princesa do Solimões segue com a vantagem de jogar pelo empate no placar agregado.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.