Sexta-feira, 19 de Julho de 2019
Craque

Copa do Brasil Oitavas de final X Vasco: caro ou só de longe

Presidente do Naça admite aumentar preço dos ingressos contra o Bacalhaus



1.jpg Presidente do Naça revela chance do time mandar partida em outro Estado
07/08/2013 às 08:57

Definidos os confrontos das oitavas de final da Copa do Brasil, o Nacional vai enfrentar um velho conhecido na competição: o Vasco da Gama. Mas se o torcedor vascaíno residente no Estado já está comemorando a possibilidade de assistir o Cruz-maltino carioca em Manaus, no dia 21 de agosto, é bom ficar preparado para o pior. Isso porque o presidente do Naça, Mário Cortez, confirmou ontem que a partida pode não acontecer no estádio Roberto Simonsen, no Sesi.

De olho no lucro com a renda da partida contra o Vasco, a diretoria nacionalina estuda propostas de uma empresa de marketing esportivo para mandar a partida em outro Estado, visto que o Sesi comporta no máximo 5 mil pessoas. Segundo Mário Cortez, até quinta-feira o local da partida será definido. “Ainda vamos nos reunir com a diretoria para ver o que fazer sobre o preço dos ingressos. Vamos enfrentar o Vasco, que tem uma grande torcida no Amazonas. Estamos tendo uma despesa muito grande na Copa do Brasil e na Série D. Queremos prestigiar a torcida amazonense, mas também queremos fazer caixa”, explicou o dirigente.

Sobre a possibilidade da primeira partida do confronto ser mantida no estádio Roberto Simonsen, Mário Cortez foi enfático. “Queremos manter o jogo aqui (em Manaus), mas estamos recebendo propostas de empresas ligadas ao marketing esportivo que querem que a partida aconteça em outro Estado. Ainda não está definido aonde será a partida”, desconversou o presidente.

Quando recebeu Coritiba e Ponte Preta em Manaus, o Nacional contou com casa cheia para apoiar o time em vitórias históricas na competição. O “caldeirão” do Leão da Vila, no entanto, deve ser descartado.

Retrospecto

Se atualmente o Naça está empolgando na Copa do Brasil com aproveitamento de 83,3%, com partidas memoráveis, como nas vitórias contra Coritiba e Ponte Preta, já o retrospecto contra o Vasco na competição não é nada animador. Em quatro partidas, o Naça empatou uma e perdeu três: 1 a 1 em Manaus e derrota em São Januário por 5 a 0 em 1992, e no último confronto, em 1995, derrota por 2 a 0 em casa e por 4 a 1 no Rio.

Reforços à vista

O atacante Leandro Cearense, ex-Clube do Remo, se apresenta hoje à tarde no CT Barbosa Filho, Zona Leste de Manaus. O jogador foi contratado para reforçar o Naça na Copa do Brasil e na Série D do Campeonato Brasileiro. Além do atacante, o Naça também está tratando da contratação do goleiro Gilberto, ex- Caldense, e o volante Agenor, ex-América-MG, que são esperados nos próximos dias.

Atleta irritado

A declaração do presidente Mário Cortez de que a Copa do Brasil é apenas vaidade e que o Nacional não deve passar das oitavas de final da competição irritou alguns jogadores. “Ele está errado em dar essas declarações. Como é que ele monta um grupo e não confia nos jogadores? Eles deveriam mais era dar apoio a este plantel, que vive um momento histórico na Copa do Brasil e para o futebol amazonense. Infelizmente ele falou isso. Paciência. Que não venham cobrar do grupo depois caso seja eliminado”, disse um atleta do Naça, sem querer se identificar para evitar represálias da diretoria. Por determinações recente da comissão técnica, os jogadores só podem conceder entrevistas à imprensa em três dias da semana.

Receba Novidades

* campo obrigatório

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.