Publicidade
Esportes
MODALIDADE

Copa Glória de Judô reúne mais de 500 atletas em centro de convivência de Manaus

A competição aconteceu no último sábado (11) e teve direito a disputas de alto nível, além de alta participação de roraimenses. 13/08/2018 às 08:54
Show judo 1 1534113246
No total 33 academias participaram da Copa Glória, que contou com o apoio da Federação  de Judô do Amazonas (Fotos: Euzivaldo Queiroz/A crítica)
Jéssica Santos Manaus (AM)

 Quinhentos e três judocas entraram em ação no último sábado (11), na tradicional Copa Glória de Judô. O evento, que chegou a sua 18 edição, aconteceu no Centro de Convivência Magdalena Arce Daou, Zona Oeste de Manaus, e teve de tudo um pouco - hippon frenético, lutas equilibradas e show dos judocas roraimenses. 

O Centro de Convivência foi marcado por lutas acirradas do início até o fim do dia. Na competição, judocas de diversas categorias: festival, mirim/shiai, sub-11, sub-13, sênior iniciante, sub-15 e sênior graduado.

Hippon e humildade

A amazonense Fernanda Ribeiro (Nilton Bala), 15, conseguiu aplicar o hippon na sua adversária com apenas alguns segundos de luta, sagrando-se a vencedora da categoria meio-pesada, mas ela conta que não esperava a vitória avassaladora.

“A gente nunca espera... A gente tem que esperar o primeiro lugar, mas nunca sabemos o que vai acontecer", disse a judoca que treina na academia Shogun e na Nilton Bala. Fernanda fez questão de ir cumprimentar sua adversária, Stephany Rosa, logo após o confronto. As duas são amigas. “Hoje não treinamos mais juntas, mas temos amizade e, após a luta, fui lá dizer pra ela ficar tranquila porque é o primeiro campeonato dela, então disse pra ela ter calma porque ela vai crescer; eu tô crescendo aos poucos e ela vai crescer também”, disse Fernanda, que treina há dois anos. 

Alto Nível

Se a luta de Fernanda foi definida com rapidez, o judoca Gustavo Silva (La Salle), Sub-18, teve trabalho para colocar a medalha dourada no peito. “Posso dizer que foi uma luta difícil. Na hora, meu adversário puxou com muita força e eu ia caindo, só que quando eu vi que ele perdeu o equilíbrio, eu já puxei pro chão e o imobilizei de uma vez”, conta Gustavo que também venceu por hippon. Para ele, o mérito da sua conquista está nos treinamentos específicos.

“Eu treino todo dia na minha academia e o sensei me ajuda em vários golpes, principalmente nesse que eu apliquei na luta, que ele estava me ajudando a aperfeiçoar há um certo tempo. Sem a ajuda dele, eu não teria conseguido ganhar essa competição”, disse Gustavo, que treina com o professor Ronald Cardoso. 

Talentos de Roraima

A Copa Glória não reuniu apenas os amazonenses, mas, também, os roraimenses, que vieram em peso para a competição. No total, 39 judocas vieram a Manaus, e fizeram bonito, conquistando 35 medalhas, sendo 17 de ouro, 12 de prata e 6 de bronze. 

Na categoria Sub-13 (-52kg), Kaio Malinowski e Daniel Mendes fizeram a final. Ambos são da Academia Kodokan, de Boa Vista (RR). “O dois são muito amigos e fizeram uma luta bonita”, disse o professor dos dois, Paulo Ferreira. Kaio levou a melhor. 

O  vice-presidente da Federação de Judô do Estado de Roraima, Jonathas Apolônio, disse que os judocas sempre vêm a Manaus competir, e explicou a razão. “É o intercâmbio que a gente tem com a Federação do Estado do Amazonas, e isso tem nos ajudado muito”. Jonathas disse também que o judô é um esporte de destaque em Roraima e que os atletas também participaram do Campeonato Brasileiro - Região 1, que também aconteceu em Manaus. “Eles treinam intensamente desde o início do ano, participaram e trouxeram medalhas no Brasileiro, e, agora, após a Copa Glória, o foco serão os Jogos Escolares e também o Brasileiro Sub-15”.

Atrasos não ofuscam o brilho

“Batemos recorde de atletas inscritos, como tínhamos previsto. Todo mundo apoiou a Copa Glória”, afirma David Azevedo, organizador do evento. 
Para David, que é o idealizador e realizador da competição, a Copa Glória aconteceu sem maiores problemas, mas, houve atrasos no andamento da Copa. 

“Costumamos ser pontuais, mas, desta vez, como o número de inscritos foi bem alto, as lutas acabaram atrasando, alguns pais reclamaram e com razão porque ninguém quer passar o dia no campeonato, mas vamos melhorar, ampliar o espaço para mais lutas acontecerem ao mesmo tempo”, disse ele.

No total 33 academias participaram da Copa Glória, que contou com o apoio da Federação  de Judô do Amazonas. “A Copa é tradicional, importante para o judô, e o mais legal é que todos participam, temos credibilidade”, disse David.

Publicidade
Publicidade