Segunda-feira, 21 de Outubro de 2019
Craque

Corinthians enfrenta o Once Caldas nesta quarta-feira pela pré-Libertadores

O primeiro jogo do Timão, nesta fase, acontecerá às 20h, no estádio do Itaquerão. o time do Parque São Jorge tentará afastar de uma vez por todas o trauma de 2011



1.jpg Fanético pelo Timão, Diego Orutia está apreensivo, mas acredita na vitória diante do Once Caldas
04/02/2015 às 11:39

Chegou o dia torcida corintiana. Nesta quarta-feira, dia 04, às 20h (horário de Manaus), no estádio Itaquerão, o Timão faz o primeiro jogo da fase pré-Libertadores contra o colombiano Once Caldas, tentando afastar de uma vez por todas o trauma de 2011 quando foi eliminado pelo azarão Tolima.

O adversário desta quarta já foi campeão da Libertadores - em 2004, vencendo o favorito Boca Juniors na final. O jogo de volta será no dia 11, em Manizales. Se passar, o Alvinegro do Parque São Jorge vai ficar no Grupo 2, com São Paulo, San Lorenzo e Danubio, do Uruguai.



“Nossa preparação está melhor do que em 2011. Estou esperançoso em um bom resultado logo mais”, destacou o Tite, em uma das suas entrevistas antes do confronto desta quarta.

Torcida apreensiva
A torcida corintiana no Amazonas vive momentos de apreensão horas antes do jogo contra mais um time colombiano na pré-Libertadores da América.

Se em 2011 foi o Tolima, desta vez o Once Caldas é quem vem tirando o sono da Fiel. Que o diga o comerciante Diego Orutia, 34. Ex-integrante da organizada Gaviões da Fiel, ele fala que o nervosismo impera entre os alvinegros.

“Nossa expectativa é de nervosismo total, porque já temos o trauma de 2011 com o Tolima e eu, particularmente, estou meio apreensivo”, destacou o corintiano.

Assim como em 2011, o jogo de volta será na Colômbia. Ou seja, mais um motivo de preocupação para a Fiel, diz Orutia. “O primeiro jogo é no Itaquerão. E o jogo de volta será na casa deles. E o time é colombiano. A mesma coisa da vez anterior. Mas vamos exorcizar de vez esse fantasma da Libertadores”, disse o corintiano.

E para espantar esse “fantasma do trauma colombiano”, Orutia vai repetir um ritual que costuma fazer nos jogos do Timão: assistir à partida dentro do quarto e coberto com um lençol do time do coração.

“O Guerrero é a nossa grande esperança. O esquema montado é para chamar a atenção da zaga para ele e deixar o Renato Augusto e o Jadson soltos armando jogadas. Outro trunfo é que, no Itaquerão, ganhamos todos os jogos clássicos. Lá o negócio é diferente”, ressalta ele.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.